Bloqueio de recursos orçamentários e denúncias são os destaques do noticiário

Edição: Sérgio Botêlho Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Bloqueio de R$ 16,2 bi livra emendas parlamentares. Municípios vão receber R$ 2 bi em troca de apoio à

Edição: Sérgio Botêlho

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Bloqueio de R$ 16,2 bi livra emendas parlamentares. Municípios vão receber R$ 2 bi em troca de apoio à reforma da Previdência. Incerteza sobre leilão da Eletrobras e despesas não previstas determinaram corte. O governo decidiu bloquear R$ 16,2 bilhões do Orçamento, diante da possibilidade de o leilão de privatização da Eletrobras não acontecer e por conta de despesas não previstas. Entre elas, está o calote dado por países que fizeram importações do Brasil por meio de operações com o BNDES, caso da Venezuela. Diferentemente do contingenciamento tradicional, o corte não vai afetar emendas parlamentares nem gastos de outros poderes. Assim, o governo evita se indispor com o Congresso às vésperas da votação da reforma da Previdência. O repasse de R$ 2 bi aos municípios também é parte da negociação/Postalis foi autuado 43 vezes em 6 anos. O fundo de pensão dos funcionários dos Correios foi o maior alvo de autuações da Superintendência Nacional de Previdência Complementar. Foram 43 autos de infração desde 2012. A Petros recebeu 28. A PF investiga fraudes contra o Postalis, que tem rombo de R$ 6 bilhões/Lula entra com recurso no STF. A defesa do ex-presidente Lula entrou com um pedido de habeas corpus no Supremo para tentar impedir que o petista seja preso. A Corte também se prepara para julgar a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), acusada de corrupção/Moro defende auxílio-moradia. O juiz Sergio Moro justificou receber o auxílio-moradia como uma forma de compensar a falta de reajuste salarial em tribunais federais. O magistrado ganha ajuda mensal de R$ 4.377, mesmo sendo dono de um imóvel em Curitiba/Merval Pereira: Abuso de poder. Moro fez tentativa tosca de justificar o injustificável/PF desiste de nomeação no Rio. A indicação do delegado de Macaé, Felício Laterça, para o cargo de superintendente da Polícia Federal no Rio foi cancelada. Laterça e seu irmão tornaram-se alvo de suspeitas devido às suas conexões com políticos/Míriam Leitão: Embraer e Boeing criarão 3ª empresa. Embraer e Boeing vão criar uma terceira empresa, brasileira, que ficaria com a parte comercial, espacial e de suprimentos/Editorial: Ensino médio agoniza à espera de reforma. Censo Escolar do ano passado dá a dimensão dos problemas ao identificar a existência de 2 milhões de jovens que estão fora das salas de aula/Editorial: Mundo volta a crescer junto, mas ameaças persistem. Países têm primeira expansão sincrônica desde a crise de 2008, reforçando sinais de recuperação, mas nacional-populismo ainda é desafio à retomada.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Governo bloqueia R$ 16 bi, menor valor em dez anos. Equipe econômica refez cálculos do Orçamento de 2018 e concluiu que havia despesas superdimensionadas. O governo definiu em R$ 16,2 bilhões o bloqueio de recursos do Orçamento para este ano, o menor valor desde 2008. A equipe econômica refez as contas do Orçamento e chegou à conclusão de que algumas das despesas previstas estavam superdimensionadas. Na prática, o contingenciamento deve ser ainda menor, já que R$ 8,2 bilhões serão retidos apenas até o Congresso autorizar seu remanejamento entre ministérios. Os outros R$ 8 bilhões estão vinculados à possível privatização da Eletrobrás. Se ela ocorrer este ano, os recursos serão liberados. Os contingenciamentos são comuns porque o Orçamento é sempre elaborado com base em estimativas que geralmente não se concretizam. Este ano, a equipe econômica chegou a prever que seria necessário, além do contingenciamento, um cancelamento de despesas que estavam acima do teto de gastos previsto para 2018. Isso, porém, não foi necessário porque o governo reduziu em R$ 6,5 bilhões a previsão de despesas relacionadas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)/Cai veto judicial a leilão da Eletrobrás. O governo conseguiu derrubar duas liminares que proibiam a inclusão da Eletrobrás no programa de privatizações. Ideia é que a venda da estatal ocorra ainda este ano/Cristiane Brasil é investigada por associação ao tráfico. A deputada federal e ministra nomeada do Trabalho, Cristiane Brasil (PTBRJ), é investigada em inquérito que apura suspeita de associação com o tráfico durante a campanha eleitoral de seu ex-cunhado, o deputado estadual Marcus Vinicius (PTB), em 2010, relata Constança Rezende. Junto com Vinicius e três assessores, Cristiane é suspeita de dar dinheiro a traficantes de Cavalcanti, zona norte do Rio, em troca do “direito exclusivo” de fazer campanha na região. A investigação foi enviada ontem à PGR. Cristiane e Vinicius negam as acusações/TRF-1 determina devolução de passaporte a Lula. O juiz federal Bruno Apolinário determinou a suspensão da decisão da 10.ª Vara do Distrito Federal que ordenou, em 25 de janeiro, a apreensão do passaporte do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o magistrado do TRF- 1, a medida que determinou o confisco do documento “não encontra base de sustentação”/Ex-presidente recorre ao STF. A defesa de Lula entrou ontem com pedido de habeas corpus no STF para evitar a prisão do ex-presidente. O processo será analisado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo/Coluna do Estadão: TCU quer investigar chefe da Infraero. O presidente da Infraero, Antônio Claret, pediu o ressarcimento de valores gastos com assentos especiais em voos nacionais, hospedagem de familiares, bebidas alcoólicas e viagens internacionais em classe executiva. O TCU quer que os pedidos sejam investigados/Boeing e Embraer negociam empresa. A Boeing propôs ao governo a criação de uma terceira empresa para unir as operações de aviação comercial com a Embraer. O negócio de defesa da fabricante nacional, considerado estratégico, ficaria de fora do acordo/Gene torna bebê vulnerável à zika. Estudo liderado por geneticista da USP mostra que 64 genes são responsáveis por aumentar a suscetibilidade de bebês aos problemas neurológicos da infecção pelo vírus da zika, como microcefalia. Pesquisa foi feita com gêmeos/União gasta R$ 817 mi com auxílio-moradia/Adriana Fernandes: Maior teste do dream team econômico será conter gastos em ano eleitoral/Lista de aprovados. No total, 8.402 estudantes foram convocados. Fuvest relacionou 900 treineiros/Editorial: A parte de cada um. Ao dizer que está fazendo sua parte para tentar aprovar a reforma da Previdência, o presidente Michel Temer deixa claro que o Congresso precisa fazer a dele/Editorial: ‘Cidadania’ primitiva. Não será com atentados à dignidade de figuras públicas agredidas que o País irá avançar no processo de amadurecimento político.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Ricos, ministros de Temer ganham ajuda para morar. Blairo Maggi, Padilha e Kassab estão entre beneficiados; chefes das pastas também têm auxílio para alimentação. Ministros do presidente Michel Temer que estão entre os políticos mais ricos do país recebem dos cofres públicos ajuda mensal para moradia e alimentação. Estão entre os beneficiados Henrique Meirelles (Fazenda), Blairo Maggi (Agricultura), Eliseu Padilha (Casa Civil), Alexandre Baldy (Cidades) e Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia). Chefe da equipe econômica, Meirelles recebeu mensalmente desde que se tornou ministro, em 2016, auxílio-moradia de R$ 7.337 e vale-refeição de R$ 458. Ele abriu mão do primeiro benefício quando cresceram as movimentações para lançá-lo à Presidência, em novembro — o segundo, continua a utilizar. O ministro, cuja remuneração mensal ê de R$ 30.934, declarou publicamente seu patrimônio pela última vez há 15 anos, quando se candidatou a deputado. Possuía R$ 45 milhões em bens. Citado em 2014 pela revista “Forbes” como o segundo político mais rico do Brasil — patrimônio de US$ 1,2 bilhão —, Maggi tem a seu dispor imóvel funcional no DF. Alexandre Baldy, mesmo sendo proprietário de casa em um dos pontos mais valorizados da capital federal, tem à disposição um apartamento de mais de 200 m2. Dono de bens declarados no valor de R$ 6,5 milhões em 2014, Kassab recebe ajuda para alimentação. Padilha, que em sua última declaração de bens disse ter bens avaliados em mais de R$ 2 milhões, ganha auxílio-moradia e vale-refeição. Questionados sobre o assunto, os ministros afirmaram que cumprem a legislação federal/Indenização a transmissoras de energia pode subir a R$ 90 bi. A dívida bilionária que os consumidores de energia pagam mensalmente a transmissoras poderá ter seu prazo prorrogado de 8 para 25 anos. A medida reduziria a parcela paga por ano, mas pode ampliar o total desembolsado em atê R$ 30 bilhões. A nova forma de cobrança poderá ajudar o processo de privatização da Eletrobras, segundo analistas/Boeing quer criar nova companhia de união com Embraer. A Boeing ofereceu à Embraer a criação de uma nova companhia, de controle americano, que abrigaria novas aeronaves civis e a promoção da linha de jatos regionais da brasileira. A proposta quer isolar a área de defesa para facilitar a aprovação/Auxílio-moradia compensa falta de reajuste no salário, diz Moro. O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em Curitiba, afirmou que, embora discutível, o auxílio-moradia compensa a falta de reajuste salarial dos juizes federais. Ontem, a Folha revelou que ele recebe mensalmente R$ 4378, mesmo tendo imóvel próprio desde 2002. Liminar de 2014 estendeu o beneficio a todos os magistrados do país/Passaporte de Lula será devolvido após nova decisão judicial/Área de risco, zona norte de SP tem dia de mutirão contra febre amarela/Diferença no DNA deixa alguns bebês suscetíveis à zika. Diferenças genéticas talvez ajudem a explicar por que apenas alguns dos bebês gestados durante a epidemia de zika sofreram com as sequelas causadas pelo vírus da doença. Um estudo de cientistas da USP comparou, pela primeira vez, o DNA de gêmeos não idênticos, dos quais só um teve danos neurológicos/Drauzio Varella: Pânico prejudica estoque de vacina para quem precisa. Nada justifica o desespero de uma pessoa da zona sul deslocar-se para a zona norte atrás da vacina contra a febre amarela. Não é ético sobrecanegar os serviços de saúde com gente que não corre risco, em prejuízo daqueles que vivem em áreas de risco. Como agir? Siga as orientações do Estado/Álvaro Costa e Silva: Gilmar, do STF, é campeão da safra de marchinhas. Nas marchinhas de Carnaval, 0 ministro do Supremo ê 0 campeão da safra 2018. A melhor ê a assinada por João Roberto Kelly: “Alô, alô, Gilmar/ Eu tô em cana/ Vem me soltar”/Editorial: Crédito à economia. Concessão de empréstimos a famílias e empresas volta a crescer/Editorial: Você mesmo, Excelência. Senador Roberto Requião propõe o fim das fórmulas de tratamento rebuscadas.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.