Condenação de Lula é o mote principal das primeiras páginas dos jornais

Edição: Sérgio Botêlho Segue a sinopse das manchetes e submanchetes dos principais jornais, em suas edições impressas. Enfoque total sobre o julgamento de Lula, com informações e análises. MANCHETES
Condenação de Lula é o assunto predominante na mídia
Condenação de Lula é o assunto predominante na mídia

Edição: Sérgio Botêlho

Segue a sinopse das manchetes e submanchetes dos principais jornais, em suas edições impressas. Enfoque total sobre o julgamento de Lula, com informações e análises.

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Condenação unânime esvazia candidatura de Lula ao Planalto. Por 3 a 0, tribunal eleva pena de ex-presidente para 12 anos e 1 mês. Decisão deixa mais próxima a possibilidade de prisão do petista após recursos. Aliados históricos já se afastam e tendem a buscar candidatos próprios. Em julgamento de mais de nove horas, três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmaram, por unanimidade, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Também de forma unânime, aumentaram a pena, dada em 1ª instância pelo juiz Sergio Moro, de nove anos e meio para 12 anos e um mês. O relator do processo, desembargador João Pedro Gebran Neto, afirmou que há provas, “testemunhais e documentais”, de que o ex-presidente é dono do imóvel, e que a OAS se tornou “laranja” do verdadeiro titular. O relator e os desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus destacaram a culpabilidade como agravante para o aumento da pena, pelo fato de os crimes terem sido praticados por um ex-presidente da República. Paulsen defendeu o cumprimento da pena após a tramitação de embargos de declaração, o que leva, em média, 37 dias. A defesa de Lula anunciou que vai recorrer. Em nota, o PT afirmou que Lula foi vítima de uma “farsa judicial” e que sua candidatura à Presidência será registrada. Aliados históricos já ensaiam abandonar a candidatura petista/Protestos tiveram pouca adesão. A convocação de manifestações contra e a favor de Lula durante e após o julgamento não mobilizou os militantes/Mercado financeiro vive dia de euforia. Com o veredito, o dólar teve a maior queda em oito meses, cotado a R$ 3,16. A Bolsa subiu 3,72% e bateu mais um recorde/Mìriam Leitão: O país em um labirinto eleitoral/Merval Peereira: Entre a cadeia e o Palácio do Planalto/Ancelmo Gois: Ex-presidente fez as pazes com a militância/Lauro Jardim: Fantasma para a eleição de outubro/Ascânio Seleme: Agora só resta a luta política ao petista/Fernando Gabeira: Choque da realidade chegou para a esquerda/Veríssimo: Momento é de barrar o futuro de PT e Lula/José Casado: Não há réus pobres na Lava-Jato/Eugênio Bucci: Aumenta o abismo entre o Judiciário e o povo/Cora Rónai: Democracia saiu fortalecida do tribunal/Ricardo Rangel: Condenação de Lula é exemplar e indiscutível/Lydia Medeiros: PT criou armadilha para si mesmo.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Tribunal aumenta pena de Lula e candidatura deve ser impedida. Sentença é confirmada por unanimidade – Pena sobe de 9 anos e meio para 12 anos e 1 mês – Corte autoriza prisão após recursos. Os três desembargadores da 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) confirmaram ontem a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo envolvendo o triplex do Guarujá (SP) e ampliaram a pena imposta ao petista pelo juiz Sérgio Moro de 9 anos e seis meses para 12 anos e um mês de prisão em regime fechado. O desembargador Leandro Paulsen, revisor da Lava Jato no Tribunal, deixou expresso que a pena deve ser executada após esgotados todos os recursos. A defesa de Lula voltou a alegar inocência do ex-presidente, classificou como exagerada a determinação de prisão e criticou os magistrados. Com a condenação, o petista deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e ficar impedido de disputar a eleição presidencial, em outubro. Como a 8.ª Turma foi unânime na definição da pena, a margem para apelações ficou mais restrita/Análise: Candidatura, uma ficção/Eliane Cantanhêde: Condenado em segunda instância, réu em 6 outros processos e indiciado em mais 3, Lula não tem a mínima condição de se candidatar nem a ministro do Trabalho na vaga de Cristiane Brasil. Julgamento dificulta tese do PT/Vera Magalhães: Diante do julgamento estritamente técnico feito pela 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, resta diminuído o “mimimi” de que Lula é vítima de perseguição política/Mercado reage com euforia, Bolsa tem alta e dólar cai. O Ibovespa fechou ontem em patamar inédito, aos 83.680 pontos, alta de 3,72%. O dólar caiu 1,93%, cotado a R$ 3,173, acompanhando a desvalorização que a moeda teve no mundo. A Bolsa ganhou força após o relator e o revisor do recurso de Lula pedirem o aumento da pena/Ex-presidente diz que é vítima de ‘pacto’. Em discurso, Lula disse que é vítima de “pacto” entre Judiciário e imprensa e que não vai desistir da disputa. “Quero avisar a elite: esperem, vamos voltar”/Cúpula da Polícia Federal prepara prisão do petista/Manifestantes pró-Lula bloqueiam estradas/Empresários pedem a Temer mais reformas/Presidente afirma que não se deve ter receio das eleições/Executivos de grandes empresas como Shell, Coca- Cola e Cargill veem as eleições presidenciais no Brasil como um ponto de interrogação e, em Davos, pediram ao governo que mantenha a estratégia para a economia. Em reuniões bilaterais, o presidente Michel Temer disse que as instituições estão funcionando e, diante dos resultados econômicos positivos, existe um crescente consenso de que não há alternativa à atual política. Em discurso no Fórum Econômico Mundial, o presidente reafirmou que reformas serão mantidas e que ninguém deve ter receio das eleições, pois o eleitorado votará neste ano a favor da “racionalidade”/Editorial: Acima de qualquer dúvida. O placar de 3 a 0 no julgamento no TRF-4 deveria ser suficiente para convencer os petistas a finalmente deixar de tratar o corrupto Lula da Silva como um mártir da democracia brasileira. Em sua passagem pela Presidência, Lula conspurcou o mais elevado cargo político da República, a ele conferido pelo eleitor. Pagará por isso.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Unânime, tribunal condena Lula, eleva pena e dificulta candidatura. Corte confirma sentença por corrupção no caso triplex – Prisão pode ocorrer após fim de recursos na 2ª instância – Punição sob para 12 anos em regime fechado. Três juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (RS), confirmaram por unanimidade a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 72, no caso do tríplex em Guarujá (SP), e elevaram a pena imposta pelo juiz Sergio Moro. A decisão dificulta a candidatura do petista nas eleições de outubro. Líder nas pesquisas de intenção de voto, ele foi considerado culpado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter recebido o apartamento como propina da empreiteira OAS. A pena foi aumentada de 9 anos e 6 meses para 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado. Para os magistrados, o fato de Lula ter ocupado o mais alto cargo do país tornava necessário o agravamento da pena. “É um elemento importantíssimo”, disse o revisor da ação, Leandro Paulsen. Não houve, entretanto, ordem de prisão imediata. De acordo com súmula do TRF, o cumprimento da pena deve ter início após o esgotamento de recursos na segunda instância — a defesa do ex-presidente ainda pode apresentar embargos de declaração na corte. Também poderia haver apelação ao Superior Tribunal de Justiça ou ao Supremo Tribunal Federal. Lula está enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que torna inelegíveis condenados em órgão colegiado, como é o TRF. Pode, porém, recorrer às instâncias superiores ou tentar registro da candidatura na Justiça Eleitoral. A cassação ocorreria apenas no período de campanha, a partir de agosto, o que deve levar o PT a insistir no nome de Lula publicamente. Nos bastidores, no entanto, o partido já cogita substituí-lo. O mercado reagiu com euforia: a bolsa subiu 3,72% e o dólar caiu 2,43%/Petista se diz condenado por imóvel que não possui. Em ato na Praça da República, em SP, após o julgamento, o ex-presidente Lula reforçou o discurso de que não há provas contra ele. “Estou condenado outra vez por um apartamento que não tenho. Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento”, disse. o PT divulgou nota em que chama o julgamento em Porto Alegre de “farsa judicial”, com “votos claramente combinados” dos juízes. “Não nos rendemos diante da injustiça”, diz o texto divulgado pela presidente da sigla, Gleisi Hoffmann. “Querem impedir que milhões que já escolheram o Lula manifestem seu voto”, disse ela, reafirmando que ele será o candidato do PT. O advogado do petista, Cristiano Zanin Martins, afirmou que irá se utilizar de “todos os meios legalmente previstos para impugnar a decisão” do TRF-4/Marcelo Coelho: Relator refuta um a um os argumentos da defesa do petista/Carlos Fernando Lima: Fatos prevaleceram sobre tentativas de politizar o processo/Janio de Freitas: Ilações preencheram no julgamento faltas de demonstração.

Manchete e submanchetes do jornal Correio Braziliense: Como fica Lula após a condenação peloTRF-4. A imagem do ex-presidente abatido, com a rosa vermelha na mão, durante ato na Praça da República, em São Paulo, é emblemática. Lula sofreu, ontem, o mais forte revés desde a condenação aplicada pelo juiz Sérgio Moro, no caso do tríplex de Guarujá (SP)/Os dois primeiros recursos na Justiça. Os advogados de Lula devem entrar, agora, com embargo declaratório no próprio TRF-4, assim que o acórdão do tribunal for distribuído, e pedido de habeas corpus no STJ para evitar prisão/Ex-presidente diz que não aceita “mentira”/Temer diz que julgamento mostra força de instituições.

Manchete do jornal Estado de Minas: E agora, Lula? 12 anos e um mês de reclusão.

Manchete do jornal Zero Hora, do RS: Condenação mantida. Candidatura ameaçada.

Manchete e submanchetes do jornal Valor Econômico: Tribunal tira Lula do jogo eleitoral. Por três votos a zero, a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, condenou a 12 anos e um mês de prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder das pesquisas eleitorais ao Planalto/Prisão ficou mais próxima. Os desembargadores do TRF-4 que condenaram Lula foram unânimes também na aplicação da Súmula 122 do Tribunal, que determina a prisão do réu após esgotados os recursos na Corte/Carta do PT já não afaga o mercado. A despeito das condenações em primeira e segunda instâncias, Lula mantém sua candidatura e tem em mãos a minuta da “Carta-Compromisso de 2018”, nova versão da “Carta aos Brasileiros”, escrita em 2002 para acalmar um mercado em polvorosa com sua ascensão/Lula: ‘Voltamos ao regime autoritário’. Para o ex-presidente Lula, existe uma disputa das instituições por poder. “Nunca acreditei que seria julgado imparcialmente. A Justiça é parcial, tem determinação política”, acusou/Megaleilão pode render R$ 75 bi. O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, defendeu ontem a realização de um “megaleilão” de petróleo em junho. A estimativa de arrecadação com áreas excedentes da chamada cessão onerosa varia, segundo o ministro, de R$ 75 bilhões a R$ 90 bilhões/Dólar cai após fala de Mnuchin. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, quebrou uma tradição ao afirmar, em Davos (Suíça), que um dólar mais fraco é bom para o comércio americano. Após as declarações, o dólar marcou as menores cotações em três anos. No fechamentos dos mercados em Nova York, o euro subia 0,85%, a US$ 1,2401/Uma empresa pode operar sem chefes? Uma empresa sem chefes pode dar certo? Esta questão já está presente em um cenário no qual as relações com o trabalho enfrentam transformações profundas/Evento global, Copa estimula a AB InBev. A Anheuser-Busch InBev, maior fabricante de cervejas do mundo, está otimista com as perspectivas para este ano. O CEO global da AB InBev, Carlos Brito, acredita que a Copa do Mundo na Rússia, em meados do ano, vai impulsionar as vendas nos mercados russo, brasileiro e global.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.