Corpo de Jarbas Passarinho é sepultado

Cerca de 200 pessoas acompanharam o enterro do ex-senador Jarbas Passarinho, neste domingo, 05.
Sepultamento de Jarbas Passarinho. Crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O corpo do ex-senador Jarbas Passarinho foi sepultado às 16h30 deste domingo (5) na Ala dos Pioneiros do Cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Cerca de 200 pessoas acompanharam a cerimônia, de acordo com a Polícia Militar.

Segundo a assessoria do governo do Pará, estado que Passarinho governou, ele morreu por problemas de saúde decorrentes da idade avançada. O estado decretou luto oficial de três dias.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, lamentou a morte de Passarinho e também decretou luto oficial de três dias a partir desta segunda-feira (6).

O velório ocorreu a partir de 13h30, no Oratório do Soldado, no Setor Militar Urbano de Brasília. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Melo esteve no velório.

Coronel da reserva do Exército, Passarinho foi sepultado com honras militares. Houve salva de tiros de canhão e de fuzil. Na hora do sepultamento, a bandeira do Brasil que cobria o caixão foi dobrada e entregue a Carlos Passarinho, um dos cinco filhos do ex-senador. A banda do Exército executou a Canção da Artilharia, arma da qual Passarinho fazia parte. O caixão desceu à sepultura sob uma salva de palmas.

O senador Hélio José (PMDB-DF) esteve no enterro e falou sobre o legado de Jarbas Passarinho.

– Para nós do Senado Federal, o senador Jarbas Passarinho foi um grande exemplo de homem público. Uma pessoa que foi ministro da Educação por vários anos, que foi presidente do Senado Federal, um democrata. Num regime onde a lei era mais dura, todos tinham no senador Jarbas Passarinho aquele exemplo do democrata. Procurava agir para que os movimentos sociais, mesmo num regime mais duro, tivessem voz – disse.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.