Segurança pública, Justiça, redes sociais e economia são os destaques dos jornais

Edição: Sérgio Botêlho Segurança pública, Justiça, redes sociais e economia são os destaques dos jornais. Não há verbas para a intervenção, reclama general; Moro incentiva STF a manter prisão após

Edição: Sérgio Botêlho

Segurança pública, Justiça, redes sociais e economia são os destaques dos jornais. Não há verbas para a intervenção, reclama general; Moro incentiva STF a manter prisão após segunda instância; Líder do Facebook presta esclarecimentos no Senado americano; Inflação é confrontada com crescimento lento.

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Sem verba, intervenção suspende 63 ações no Rio. Burocracia trava liberação de R$ 1,2 bilhão em Brasília. Sem recursos. O general Braga Netto no encontro com deputados federais, no Ministério da Defesa: falta de verba faz a polícia suspender operações. Nomeação de parte da equipe do interventor, general Braga Netto, ainda não foi publicada no Diário Oficial/

Nomeação de Moreira Franco dificulta venda da Eletrobras. Maia diz que governo escolheu nome sem ‘boa articulação’ no Congresso/

Polícia acha digitais em balas do caso Marielle. Investigadores acham digitais em balas usadas no assassinato de vereadora e motorista/

Rediscussão de prisão em segunda instância é adiada. Relator do caso no STF, Marco Aurélio desiste de levar pedido de liminar hoje a plenário/

Elio Gaspari: Temer recebeu sugestão de sábio para antecipar eleições. No ano passado ele recebeu uma carta mostrando-lhe que a solução seria convocar eleições gerais antecipadas/

Supremo manda Cabral de volta para prisão do Rio. Ex-governador foi transferido para Curitiba por regalias em Benfica/

Tentativa de resgate de presos deixa 21 mortos no Pará. Na véspera, 14 pessoas foram assassinadas após morte de policiais/

STF decide na terça-feira se Aécio vira réu por propina. Senador é acusado de ter recebido propina de R$ 2 milhões da JBS O senador tucano Aécio Neves responde a nove inquéritos no Supremo Tribunal Federal, com origem em delações premiadas/

Bancos facilitam quitação de dívida do cheque especial. Linha de crédito será mais barata, mas cada instituição definirá taxa cobrada/

Trump desiste de ir à Cúpula das Américas. Decisão de Trump de não viajar a Lima evidencia relação turbulenta com a América Latina/

A luta de Ciro com o PT e a própria língua. O noticiário registrou a presença de três presidenciáveis no último palanque de Lula. Os petistas registraram uma ausência: a de Ciro Gomes, pré-candidato do PDT. Enquanto Guilherme Boulos, Manuela Dávila e Fernando Haddad apareciam na foto com o ex-presidente, Ciro dava palestras nos Estados Unidos. De lá, ele declarou que não é “puxadinho do PT”. A frase irritou os lulistas que se aglomeravam no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. “Agora o Ciro rompeu qualquer ponte com a nossa base social”, sentencia o senador Lindbergh Farias/

Lydia Medeiros: Para poucos. Um sopro de bom senso baixou no Supremo e adiou a quarta tentativa de mudar as regras do jogo sobre o momento da prisão depois da condenação em segunda instância desde 2016, como anunciara o ministro Marco Aurélio. Para muitos juristas, a discussão é superada e prejudicial à democracia/

Nove governadores vão a Curitiba, mas não veem Lula na cadeia. Justiça Federal veta regras especiais para ex-presidente receber visitas/

Merval Pereira: Sem razão para mudanças. Tendo o ministro Marco Aurélio Mello aceitado o pedido de adiamento feito pelos novos advogados do Partido Ecológico Nacional (PEN), a questão da prisão em segunda instância provavelmente voltará à estaca zero/

Rio. PMDB sofre debandada de deputados na Alerj. Partido perde cinco parlamentares e, com três presos, fica do tamanho do PDT/

Alckmin vira alvo da Lava-Jato de SP. Ministério Público quer envio urgente de inquérito que está no STJ/

Governo atendeu de ‘modo servil’ Grupo Libra, afirma procurador. Empresa teria sido beneficiada com prorrogação de contrato em Santos/

MPF: assessor de Temer era distribuidor de propina. Para Ministério Público, José Yunes tinha aparente ‘reputação ilibada’/

Editorial1: A bancada pluripartidária da corrupção. O discurso lulopetista da vitimização se torna cada vez mais caricato à medida que inquéritos e processos, em diversas instâncias, atingem outros partidos/

Editorial2: Vitória de Orbán é mais um risco para projeto europeu. Num pleito marcado por fake news, ameaças, ataques a adversários e, sobretudo, um discurso xenófobo, Viktor Orbán foi reeleito domingo para um terceiro mandato consecutivo como primeiroministro da Hungria, tornando-se o segundo governante mais longevo do bloco europeu, atrás apenas da chanceler alemã, Angela Merkel.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Moro diz que STF impediu ‘um grande retrocesso’. Supremo ‘merece elogios’ por ter negado habeas corpus a Lula, afirma juiz; Corte adia análise da 2ª instância/

Amigo recolhia propina de Temer, diz MP. Acusação na ação que apura ‘quadrilhão’ do MDB afirma que Yunes e coronel Lima auxiliavam na arrecadação de recursos para o presidente/

Juíza veta visitas a Lula em Curitiba. Carolina Lebbos segue determinação de Sérgio Moro e mantém restrição; nove chefes de executivos estaduais são barrados em Curitiba/

Lava Jato pede para investigar Alckmin em SP. Força-tarefa da Lava Jato em São Paulo pediu ao vice-procurador Luciano Mariz Maia que investigações sobre o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) deixem o STJ e passem a ser feitas na primeira instância. Alckmin é citado como beneficiário de recursos de campanha por delatores da Odebrecht/

STF decide se Aécio será réu por corrupção. Lava Jato. Corte vai analisar na próxima terça-feira se aceita ou não denúncia contra senador tucano, acusado pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça/

Bancos vão oferecer alternativa a endividados no cheque especial. Crédito. Quem usar 15% do limite da conta corrente por 30 dias seguidos receberá uma proposta da instituição financeira para migrar para uma linha de crédito com juros mais baixos; hoje, uma dívida de R$ 1 mil nessa modalidade vira R$ 4.240 após um ano/

Senado evita atrito com Zuckerberg. Tecnologia. Fundador do Facebook passou por depoimento sobre uso ilícito de dados de 87 milhões de usuários sem dificuldades; o executivo assumiu os erros da rede por não ter evitado que ela fosse usada para o mal e afastou a possibilidade de deixar o cargo/

Tentativa de resgate deixa 21 mortos em cadeia no Pará. Sistema carcerário. Grupo externo usou explosivos para tentar libertar colegas enquanto detentos atiravam contra agentes e faziam reféns; houve revide do batalhão penitenciário. Relatório de março já falava de ‘facilidade de resgate com apoio externo’/

Trump envia militares para a região da Síria. Duas frentes. Envolvido em duas crises, presidente americano suspende participação em reunião de Lima para supervisionar na Casa Branca retaliação contra regime de Assad que, segundo os EUA, ordenou uso de armas químicas contra civis no sábado/

Vera Magalhães: Rosa Weber fala, sim. Nos votos. E o voto no HC de Lula traz os fundamentos que permitem decifrar seu pensamento. E, de novo, os olhos do País estão postos sobre a sempre tão discreta Rosa Weber. Rosa esta que, como lembrou ontem o juiz Sérgio Moro – como a ecoar a canção de Cartola – não fala/

Leandro Karnal: Che Guevara estava enganado como estavam os conservadores. Felizmente, os indígenas resistiram a ambos/

Editorial1: Ficha nº 700004553820. Valerá para o sr. Lula da Silva a regra que vale para todos os detentos: visita familiar semanal, franqueada somente a presença dos advogados a qualquer dia e hora/

Editorial2: Janela indecente. Cerca de 80 dos 513 deputados – ou seja, 16% da composição total da Câmara – aproveitaram-se para mudar de partido/

Editorial3: Para entrar no jogo mundial. Mais de 200 anos depois da abertura dos portos, um dos primeiros atos políticos de d. João VI ao se instalar no Rio de Janeiro, o Brasil continua a ser uma das economias mais fechadas e menos integradas no mercado global. Mas há pelo menos uma boa notícia a respeito do assunto. O governo está disposto a buscar a integração, garante o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Marcello Estêvão.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Fundador do Facebook não convence Senado ao depor. Mark Zuckerberg fala a congressistas nos EUA sobre violação de privacidade. O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, respondeu por quase cinco horas ontem a questionamentos do Senado dos Estados Unidos sobre a utilização indevida de dados de usuários por empresas por meio da rede social. Ele foi convocado a depor após vir à tona que ao menos 87 milhões de pessoas tiveram informações violadas via aplicativo usado pela consultoria Cambridge Analytica para, a partir delas, formatar campanhas políticas. Pressionado, Zuckerberg reiterou a promessa de fazer mais para proteger dados de usuários e disse que aceitaria que sua equipe trabalhasse com legisladores para criar a “regulação certa” para companhias de tecnologia. Ele também tentou afastar a leitura de que a empresa virou corporação de mídia, o que elevaria responsabilidades. A maioria dos senadores não pareceu convencida de que as intenções do executivo são genuínas/

Tentativa de fuga em prisão do Pará mata ao menos 21. Ao menos 21 pessoas morreram durante tentativa de fuga em massa de um presídio superlotado do Pará, classificado como vulnerável por inspeção externa. Cinco mortos são criminosos que atuavam no resgate de detentos, 15 são presos e 1 é agente prisional —há 4 feridos. O episódio no Complexo de Santa Izabel ocorreu em semana marcada por violência na Grande Belém, com 12 assassinatos em cinco horas/

Países americanos avaliam rejeitar a eleição venezuelana. Ausente da Cúpula das Américas, que começa hoje em Lima, a Venezuela será alvo de documento de países da região, informam Sylvia Colombo e Patrícia Campos Mello. O texto dirá que os governos não reconhecem as eleições presidenciais de 20 de maio e criticará o regime de Nicolás Maduro/

Supremo julgará denúncia que pode tornar Aécio réu. O STF julgará na próxima terça (17) denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o senador Aécio Neves (PSDB), acusado de corrupção passiva e obstrução à Justiça em investigação derivada da delação da JBS. Se ela for acatada, Aécio vira réu. O tucano diz ser vítima de situação forjada/

Relator adia no STF ação sobre prisão em 2º grau. O ministro Marco Aurélio, relator no Supremo de ação que discute as prisões após condenação em 2ª instância, decidiu suspendê-la por cinco dias. Com isso, não levará o tema ao plenário hoje. O julgamento pode beneficiar o ex-presidente Lula/

Governadores são barrados ao tentarem visitar Lula em Curitiba/

Inflação desacelera e vai a 0,09%, mais baixa para março desde o Plano Real/

Nova taxa de juros é salvação para o BNDES. Dyogo Oliveira, novo presidente do BNDES, diz que a nova taxa de juros do banco —a TLP, sem subsídios do Tesouro— salvará a instituição de se desmilinguir. “Com a TLP, há mais instrumentos para captar, fazer hedge, securitização. O banco não tem mais limite.”/

Hélio Schwartsman: Morosidade das cortes superiores prejudica Lava Jato. A Lava Jato tem viés contra o PT? A questão aqui é que, enquanto juizes das instâncias iniciais podem ser rápidos, quem tem direito a foro (parlamentares, ministros, governadores) se vê blindado pela morosidade das cortes superiores. E disso petistas têm razão em reclamar/

Editorial1: Risco orçamentário. Congresso barra medidas que reduziram desequilíbrio das finanças federais/

Editorial2: Encruzilhada síria. EUA precisam ampliar a pressão sobre Putin para que este imponha a Assad um basta à carnificina.

 

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Inflação quase zero confirma compasso lento da retomada. A inflação caiu para quase zero em março – o IPCA aumentou apenas 0,09%, a menor taxa para o mês desde o lançamento do Plano Real, em 1994. A notícia, boa em condições normais, traz mais preocupação com a queda no ritmo da recuperação econômica/

Risco de ‘tarifaço’ na energia. O novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, tem uma bomba-relógio para desarmar. Mudanças na Medida Provisória 814 podem gerar uma conta bilionária para os consumidores/

Um plano para dobrar a renda per capita. O Brasil precisa triplicar a expansão de sua produtividade, para 1,5% ao ano, e dobrar a participação do investimento em infraestrutura para que a renda per capita dobre nos próximos 30 anos. Essa é a meta adotada no documento “Desafios de uma Nação”, que o Ipea divulga hoje e ao qual o Valor teve acesso/

Foco das atenções. Em depoimento no Congresso americano, Mark Zuckerberg disse que o Facebook está investigando se há relação entre o vazamento de dados de usuários e o recebimento de propaganda patrocinada por empresas russas durante a campanha eleitoral dos EUA. As ações da empresa subiram 4,5%/

Geração Z, ansiosa e deprimida. Uma pesquisa da consultoria Consumoteca mostra que 35% dos chamados “centennials” dizem já ter sofrido depressão e 57% afirmam conhecer alguém de sua idade com a doença. Ao todo, 55% dos consultados se declaram ansiosos ou muito ansiosos/

Múltis querem reciclar 100% das embalagens até ano de 2025. Sob pressão de ambientalistas, grandes multinacionais de consumo adotam medidas para reduzir o descarte de materiais que levam centenas de anos para se decompor, como plástico e vidro/

Governo decide manter meta de déficit primário de R$ 139 bilhões para 2019. A meta fará parte do projeto de lei de diretrizes orçamentárias (PLDO) para o próximo ano, que deve ser encaminhado amanhã ao Congresso/

Justiça proíbe visita de políticos a Lula. Nove governadores viajaram a Curitiba, mas foram impedidos de ver o ex-presidente, preso na PF/

Marco Aurélio adia exame no STF de prisão em 2ª instância/

Justiça bloqueia bens de petistas/

MPF pede urgência em envio de inquérito de Alckmin para São Paulo/

Protestos marcam palestra de Moro/

Denúncia contra Aécio terá decisão no dia 17/

Excesso de candidatos à Presidência pode inviabilizar debates na TV. Até o momento, existem 13 pré-candidaturas postas e outras duas possíveis/

Amigos de Temer arrecadavam propina, diz MPF-DF. Denúncia foi aceita pela 12ª Vara Federal de Brasília/

Editorial: Troca-troca partidário mostra avanço do centrão. Os partidos com programa não ganharam posições ou retrocederam, enquanto as legendas de ocasião avançaram. Caberá ao eleitor desmanchar, ou não, essa trama.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.