Preço do diesel é tema dominante nas manchetes dos jornais

Preço do diesel é tema dominante nas manchetes dos jornais. Noticiário destaca as diversas opções, e suas dificuldades, que podem ser utilizadas para controlar o preço do diesel SINOPSE DE

Preço do diesel é tema dominante nas manchetes dos jornais. Noticiário destaca as diversas opções, e suas dificuldades, que podem ser utilizadas para controlar o preço do diesel

SINOPSE DE 05 DE JUNHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Leilão do pré-sal pode ser usado para segurar preço. Governo estuda aproveitar área cedida à Petrobras, mas Fazenda resiste. Estatal deixaria de realizar reajustes diários no valor da gasolina, assim como fez no gás. Em busca de uma fonte de recursos para compensar a Petrobras e evitar reajustes frequentes dos combustíveis, o governo estuda usar o leilão do pré-sal de uma área cedida à estatal e que agora deve retornar parcialmente à União. A estimativa é que este leilão possa render até R$ 80 bilhões. Mas a equipe econômica resiste. A proposta do Ministério da Fazenda é que a Petrobras estenda o prazo entre os reajustes da gasolina, a exemplo do que já faz com o preço do gás/

Greve deixa rastro de prejuízos/

Prefeitura amplia treinamento contra violência nas escolas. Capacitação já ocorre em 349 unidades de áreas conflagradas. A Secretaria Municipal de Educação vai treinar os profissionais da rede, em parceria com a Cruz Vermelha, para enfrentar situações de violência. A capacitação já é oferecida a 349 escolas localizadas em áreas conflagradas. Agora, o programa “Acesso Mais Seguro às Escolas” será estendido às 1.537 unidades do município. O treinamento já foi ministrado em áreas de guerra na Ucrânia, no Líbano e na Colômbia/

STF aponta lentidão da PF e de procuradores. Em reação às críticas sobre a lentidão dos processos na Corte, ministros do STF assinalaram a demora da Procuradoria-Geral da República e da Polícia Federal para fazer pareceres e diligências. A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, pediu à procuradora-geral, Raquel Dodge, mais rapidez. Em resposta, a PGR vê os prazos como naturais/

PF investiga obra em casa de Temer. A Polícia Federal suspeita que reforma feita numa casa do presidente Temer serviu para lavar dinheiro. Planilha achada em empresa do coronel Lima, apontado como operador de Temer, cita a obra/

Míriam Leitão: Amazônia vigiada. MPF vai processar 2,3 mil pessoas e empresas por desmatamento ilegal/

OEA inicia processo contra Venezuela. Começa hoje o processo de suspensão da Venezuela da OEA por causa das graves violações à democracia do regime de Nicolás Maduro/

Editorial1: Mais competição no mercado de combustíveis. Além de ser necessária absoluta transparência na formação dos preços, no próprio setor é preciso que haja efetiva competição, para que ele reduza seus custos/

Editorial2: Protecionismo de Trump assombra o G-7. Quando se reunirem na próxima sexta-feira em Quebec, no Canadá, os líderes das seis maiores potências econômicas e a Rússia terão como tópico principal o protecionismo americano e os riscos que ele representa para a economia mundial. O mal-estar dos demais países em relação aos EUA pôde ser percebido claramente no encontro preparatório no último fim de semana com ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais dos países do G-7. As críticas mais agudas vieram recentemente dos governos de Canadá, México, Japão, China e União Europeia, sinalizando a ameaça concreta de ruptura mediante uma guerra comercial.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Segurar preço de diesel, gás e gasolina custaria R$ 30 bilhões. Com receio de insatisfação popular com aumento de preços, ala do Planalto defende gasto. O subsídio ao preço do diesel, da gasolina e do gás de cozinha para evitar que os reajustes da Petrobrás sejam repassados integralmente ao consumidor custaria R$ 30 bilhões ao Tesouro até o fim do ano, segundo apurou o Estado. O subsídio é um desejo de parte do governo, que teme insatisfação popular com a alta dos combustíveis. A ideia em estudo por uma ala do governo é criar um “colchão tributário” para amortecer aumentos diante de altas expressivas do barril de petróleo e do dólar. O ministro Moreira Franco (Minas e Energia) defende esse sistema e formou um grupo de trabalho para a criação de uma “política de amortecimento dos preços dos combustíveis ao consumidor”. A Petrobrás negocia alternativas para a mudança da periodicidade de reajuste dos combustíveis, mas deseja manter a paridade com os preços internacionais e rejeita propostas que signifiquem prejuízos para seu caixa/

Por enquanto, só ameaças. O governo anunciou que usará “todo o poder de polícia” para que o desconto de R$ 0,46 no diesel chegue ao consumidor, mas não disse como agirá/

PCC ataca em MG e RN e põe outros Estados em alerta. Entre domingo e ontem, pelo menos 20 ônibus foram incendiados em 17 cidades de Minas, um ônibus foi queimado em Natal e um policial foi executado em Parnamirim (RN). Os ataques foram ordenados pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). O motivo dos ataques – que podem envolver outros dois Estados e pela primeira vez ocorreram simultaneamente – seria a “opressão no complexo prisional de Alcaçuz”, no RN/

Em Manaus, ônibus depredados. No 7º dia de greve dos rodoviários em Manaus, 61 ônibus foram depredados na manhã de ontem. Não há indícios do envolvimento de facções criminosas nos ataques/

Servidores de ex-territórios podem onerar União em R$ 2 bi. O Congresso aprovou, na semana passada, medida provisória que autoriza cerca de 30 mil servidores dos ex-territórios (hoje Estados) de Roraima, Amapá e Rondônia a pedir transferência para a folha de pagamentos da União. A medida deve custar mais de R$ 2 bilhões aos cofres públicos. A MP do “trem da alegria”, no entanto, foi encaminhada pelo governo sem previsão orçamentária para bancar o aumento de custos/

Esquerda e ‘centro’ querem candidatos únicos. Parlamentares e lideranças de partidos lançam hoje movimento que tentará unificar o “centro” em torno de uma candidatura. Oito pré-candidatos, entre eles Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB), serão procurados em busca de um consenso. Mesmo movimento deve acontecer entre as siglas de esquerda/

‘Tropa’ tenta viabilizar Bolsonaro. Núcleos de motociclistas, atiradores, maçons, PMs e grupos que ajudaram a organizar os atos pelo impeachment de Dilma Rousseff integram a “tropa” que tenta viabilizar no Estado de SP, o maior colégio eleitoral do País, o pequeno PSL, partido de Jair Bolsonaro/

Eliane Cantanhêde: Os militares estão prudentes também enquanto eleitores. Assim como a maioria dos brasileiros, eles têm muitas dúvidas/

Editorial1: Competência como problema. O Brasil, ao que parece, não está pronto para uma gestão profissional e apolítica de suas empresas estatais. O caso da Petrobrás é apenas um exemplo/

Editorial2: Volta a guerra comercial. Donald Trump suspendeu trégua com a China e confirmou a guerra comercial com exportadores de aço e alumínio.

Editorial3: A receita dos sindicatos. A reforma trabalhista alterou significativamente as receitas dos sindicatos. Antes, uma vez por ano era descontado do salário do funcionário o equivalente a um dia de trabalho a título de contribuição sindical. Não havia escolha. O caráter facultativo da contribuição sindical fez despencar as receitas dos sindicatos. Em reação, várias entidades recorreram à Justiça com o objetivo de relativizar a necessidade de autorização do empregado. O caráter facultativo da contribuição sindical fez despencar as receitas dos sindicatos. Em reação, várias entidades recorreram à Justiça com o objetivo de relativizar a necessidade de autorização do empregado.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Redução no diesel deve retirar R$ 1 bi do transporte. Prejudicados pela eliminação da Cide sobre o combustível, estados tentam evitar perda de recursos para rodovias. As medidas adotadas p e lo governo Michel Temer (MDB) para reduzir o preço do diesel em R$ 0,46 devem retirar mais de R$ 1 bilhão em investimentos no setor de transportes. Um corte de R$ 368,9 milhões no Orçamento federal afetará 40 obras do programa de transporte terrestre. Além disso, com a eliminação da tributação da Cide sobre o combustível, serão retirados R$ 722 milhões destinados à conservação de rodovias estaduais, segundo cálculos de secretários de transportes dos 26 estados e do Distrito Federal. Reunidos no Conselho Nacional de Secretários de Transportes, eles buscam negociar com o governo. Segundo Marcelo Duarte Monteiro, presidente do conselho, a maior parte dos estados conta apenas com a arrecadação da Cide para gerir a malha rodoviária. Os m ais prejudicados serão São Paulo, que deveria receber R$ 237,6 milhões neste ano, e Minas Gerais (R$ 149 milhões)/

Mercado Aberto: Petrobras tem desvantagem competitiva com reajuste mensal, diz conselheiro/

Enel compra a Eletropaulo por R$ 5,5 bilhões e conta pode subir. A Enel fechou ontem a compra de 73% da Eletropaulo, distribuidora de energia elétrica que atende a Grande SP. Especialistas dizem que a conta de luz pode ficar mais cara. Também nesta segunda (4), o Walmart anunciou a venda de 80% da operação brasileira para o fundo Advent Internacional. O valor do negócio não foi divulgado/

Hélio Schwartsman: Subsídios atuam como um Robin Hood ao contrário. É ridículo que minhas viagens ao sítio no fim de semana com a caminhonete a diesel estejam sendo subsidiadas pelo governo. É a família que ganha dois salários mínimos que está ajudando a financiar o meu lazer/

Brasil e mais seis querem suspender Venezuela da OEA. O Brasil e outros seis países, entre eles EUA e Argentina, podem votar em assembleia a suspensão da Venezuela na OEA (Organização dos Estados Americanos) . O motivo seria o desrespeito à Carta Democrática Interamericana e a falta de legitimidade das eleições presidenciais, realizadas em maio/

Investigação acha R$ 24 mi em contas de amigo de Temer. A Polícia Federal encontrou planilhas e extratos que indicam R$ 23,6 milhões em contas ligadas ao coronel João Baptista Lima Filho, amigo de Michel Temer. A PF apura suposta atuação dele como intermediário de propina do presidente. A defesa alegou sigilo fiscal e não se manifestou/

Cármen Lúcia tira parlamentarismo da pauta do STF/

Onda de ataques a ônibus atinge 17 cidades de Minas/

Editorial1: Causa própria. Uso do Sistema S para promover Skaf mostra riscos da falta de renovação de entidades/

Editorial2: Vale mais que pesa. Custo extra para trazer obras de arte ao Brasil causa controvérsia.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.