Economia, denúncia e justiça são os destaques das manchetes dos jornais da grande imprensa

Edição: Sérgio Botêlho MANCHETES DOS JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Banco Central esconde documentos da ditadura. Acesso a atas de conselho é vetado Instituição alegou ao

Edição: Sérgio Botêlho

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Banco Central esconde documentos da ditadura. Acesso a atas de conselho é vetado Instituição alegou ao historiador Carlos Fico que precisaria analisar ‘eventual incidência de sigilo’. Míriam Leitão: O Banco Central mantém sob sigilo as atas de reuniões do Conselho Monetário Nacional realizadas na ditadura, de 1964 a 1985. A instituição negou pedido do historiador Carlos Fico, da UFRJ, feito com base na Lei de Acesso à Informação, de consulta aos documentos, alegando que teria de verificar em cada ata “eventual incidência de sigilo”. Fico recorreu à Controladoria-Geral da União e teve acesso aos índices das atas, que já vieram com tarjas pretas para que as informações principais continuem secretas. Para o historiador, os papéis não se enquadram em casos de sigilo/Eike Batista revela suas memórias do cárcere. Para ex-bilionário, o pior na cela era usar o ‘boi’. Ascânio Seleme. Nove meses após ser libertado, Eike Batista diz que não teve medo de apanhar na penitenciária de Bangu porque sua cela era na ala dos milicianos: “Sempre ajudei muito a polícia. Parei no lugar certo”. O pior momento era usar o “boi”, buraco no chão que serve de sanitário: “Ruim é o cheiro, mas existem algumas técnicas”. Eike afirma que vai voltar aos negócios, e também faz planos de se candidatar ao Senado/Barroso cobra explicações de diretor da PF. O ministro do STF Luís Roberto Barroso intimou o diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, a se explicar sobre a sua declaração de que inquérito contra o presidente Temer deveria ser arquivado/Editorial1: Adiar a reforma é garantir que ela será mais dura. É ilusório achar que o adiamento constante das mudanças e sua atenuação levarão a um ajuste mais leve. Pelo contrário, devido ao agravamento galopante da situação/Editorial2: Reajuste de IPTU sobrecarrega contribuintes. É preciso levar em conta que o Brasil está saindo de grave recessão (a queda do PIB foi de 8% em dois anos). E o Rio é a unidade da Federação mais afetada pela crise.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Com ‘penduricalhos’, juiz deixa de pagar R$ 360 mi de tributo. Valor corresponde à isenção de auxílios não tributados de 18 mil magistrados. Dezoito mil juízes deixaram de pagar R$ 30 milhões por mês de Imposto de Renda graças à isenção tributária de “penduricalhos” como os auxílios- moradia, alimentação e saúde. Esses benefícios são enquadrados como indenização e, por isso, ficam isentos de imposto. Se fossem tributados, como sugerem os críticos dos auxílios concedidos ao Judiciário, cada magistrado teria de pagar, em média, 19% mais para a Receita Federal. É o que mostra levantamento feito pelo Estadão Dados com base nos contracheques de juízes de 81 tribunais federais e estaduais do País. Na média da folha de pagamento de novembro, os salários corresponderam a 60% do total de rendimentos, e os “penduricalhos”, a 40%. Foram excluídos da conta os juízes que não receberam auxílios ou que, por serem aposentados, não têm desconto de Imposto de Renda na fonte/Dnit vai conceder rodovias em troca de reparos. Sem dinheiro para investimentos, o governo vai oferecer trechos de rodovias à iniciativa privada em troca de manutenção e reparos. O orçamento do Dnit encolheu de R$ 9 bilhões, em 2017, para R$ 8,2 bilhões neste ano/Ministro do STF pede explicação a diretor da PF. Luís Roberto Barroso intimou o diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, a esclarecer declaração de que o inquérito do Decreto dos Portos, que tem Michel Temer entre os investigados, será arquivado. Delegado negou interferência/Eliane Cantanhêde: O que caiu na capital da República não foi só um viaduto, foi uma ira acumulada em anos, governos e práticas lesivas/Ediorial1: O cansaço do povo. Ministra Cármen Lúcia fez leitura acurada do estado de espírito de boa parte da sociedade ao dizer que “o cidadão brasileiro está cansado da ineficiência de todos nós (autoridades públicas)”/Editorial2: A encruzilhada do Bolsa Família. Perpetua-se a pobreza que o Bolsa Família pretendia mitigar/Editorial3: O sucesso da reforma trabalhista. Nova legislação vai sendo consolidada com mais rapidez e menos resistência do que se imaginava.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Banco terá de viver com juro baixo, diz sucessor no Bradesco. Não adianta ser empresa rica num país pobre, afirma Lazari Junior, que assumirá em março a presidência da instituição. O futuro presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, 54, afirma ter chegado a hora de os bancos brasileiros aprenderem a conviver com juros baixos. “É lógico que os bancos têm um ganho importante com taxas de juros altas, mas não adianta ser empresa rica num país pobre”, disse ele em entrevista à Folha. Para o economista, que trabalha há 40 anos no banco e é especialista em marketing e finanças, o segredo está na escala: se emprestar mais, o sistema financeiro continuará sendo rentável. “Todo mundo precisa de crédito. Se chegarmos a 50% da população, em vez de apenas 10%, as taxas de juros podem ser menores.” O executivo vê sinais de recuperação da economia e se diz otimista sobre a continuidade das reformas, mesmo com a proximidade das eleições. “Independentemente de quem seja o próximo presidente, a agenda para o país ê igual”, disse. Lazari assumirá a presidência em março, no lugar de Luiz Trabuco/Diretor da ANS critica custos de planos de saúde. A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) quer estimular a competição entre as operadoras e fazer com que empregadores negociem melhor o preço e a qualidade do plano ofertado aos funcionários. “Pagar mais mensalidade? Ninguém aguenta”, diz Leandro Fonseca, diretor-presidente substituto da ANS. Para ele, o financiamento da saúde ê debate em falta no país/Não foi a elite que expulsou os mais pobres dos voos : Samuel Pessôa. Há uma narrativa da esquerda segundo a qual nossa crise econômica é fruto da crise política. Uma das ideias do discurso é que a elite branca não tolera conviver com pobres em aeroportos. Mas, diferentemente da sugestão de “Caravanas ”, de Chico Buarque, não foi a raiva dessa elite que expulsou a população dos voos, e sim a gestão econômica do PT/Ranier Bragon: Intenção de Fux de mudar regras por causa de Lula apequena instituições/Ruy Castro: Só metade dos Estados teve alta na arrecadação em 2017/Diretor da PF terá de explicar frase em que inocenta Temer. Barroso intima diretor da PF por declarações sobre inquérito de Temer. Ministro quer confirmar as declarações de que a tendência é arquivar a investigação/Juízes que condenaram Lula têm auxílio mesmo com imóvel no RS. Leandro Paulsen e Victor Laus, que atuam no TRF-4, ganham benefício de R$ 4.378 mensais/Aliança de ruralistas com Bolsonaro preocupa Alckmin. ‘Agro é 95%’ a favor do deputado, diz consultor de tucano para a área/Editorial1: Sem alívio. Mesmo com o impulso que o fim da recessão pode dar às receitas, governadores precisarão apertar os cintos para equilibrar suas contas/Editorial2: Elogio da contradição. A religião e a política encontram sem dificuldade argumentos para tudo.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e submanchetes da hora de O Globo online: Míriam Leitão: Banco Central esconde documentos da ditadura. Acesso a atas de conselho é negado; instituição alegou ao historiador Carlos Fico que precisaria analisar ‘eventual incidência de sigilo’/Eike Batista revela suas memórias do cárcere. Empresário conta situações inusitadas que passou na prisão e sonha com futuro na política/Barroso intima diretor da PF por declarações sobre o caso Temer. Em carta, Segovia diz que não anunciou arquivamento de inquérito/Procuradores reagem: cabe à PGR arquivar inquérito contra Temer. ANPR considerou que declarações de Segovia ‘desrespeitaram instituição e subordinados’/Marun diz que investigação é ‘evidentemente política’/Ação do crime na eleição não é investigada. Mesmo com novo alerta da PF, nenhuma apuração está em curso sobre atuação do tráfico e de milícias/‘O auxílio mina a credibilidade da Justiça’, diz Eliana Calmon. Ex-ministra do STJ diz que defesa do benefício está ‘mal arrumada’ legal e moralmente/Aumento da conta de luz torna projetos de energia solar mais vantajosos no Rio. Investimento é compensado em 3 anos. Geração dessa fonte energética cresceu 200% em 2017 no país/Custo de instalação de equipamentos de energia solar cai 50% no país. Mas setor reivindica linhas de financiamento com juros mais atraentes/Venda de boi vivo mostra piora nas exportações brasileiras. Apesar de superávit, manufaturados são só 37% do que vai para fora do país/Luciano Huck terá conversa com PPS depois do carnaval. Partido declarou interesse em possível candidatura do apresentador e promete ‘protagonismo’/FH diz que Huck ‘está considerando’ candidatura em 2018. O prefeito de São Paulo, João Doria, no Sambódromo do Anhembi Foto: Jussara Soares /Doria diz que PSDB terá candidato próprio em São Paulo. Prefeito esteve na primeira noite de desfiles no Sambódromo do Anhembi/Com comitiva menor, Temer passa Carnaval em base no Rio. Após repercussão, presidente pediu para reduzir staff inicial, que seria de cerca de 60 pessoas/TSE deve rejeitar recurso de Lula contra aplicação da Ficha Limpa/Militares venezuelanos buscam atendimento médico no Brasil. Consultas têm sido realizadas sem conhecimento prévio de autoridades dos dois países/Temer endurece com Maduro enquanto reforça fronteira. ‘Estamos em um embate diplomático com a Venezuela’, diz presidente.

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Com auxílios, juízes deixam de pagar R$ 360 milhões de Imposto de Renda. Se ‘penduricalhos’ fossem tributados, cada magistrado teria de repassar 19% a mais para a Receita. ‘Está previsto na lei e não pode ser tributado’/Barroso manda intimar Segovia a esclarecer declarações. PF diz que Segovia responderá Barroso na Quarta de Cinzas/Federação quer ‘retratação pública’ de Segovia/Segovia: não disse que investigação seria arquivada/Segovia não vê indício de crime em inquérito/OAB diz que ‘não é apropriado’ que diretor dê opinião/Temer conta com forte aparato de segurança no RJ. Barcos são impedidos de se aproximar da Restinga da Marambaia, onde o presidente passa o carnaval.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: ‘Não adianta ser uma empresa rica num país pobre’, afirma futuro presidente do Bradesco. Para Octavio de Lazari Junior, chegou a hora de os bancos brasileiros aprenderem a conviver com juros menores/Precedentes no TSE mostram situação desfavorável a Lula. Análise mostra que não houve casos em que o tribunal aceitou registro de fichas-sujas/Declarações de diretor da PF ferem autonomia, diz associação. Segovia disse que pode abrir processo contra delegado que preside inquérito contra Temer/Fux quer evitar efeito cascata de decisão que pode barrar Lula.

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.