Economia e política mundial, e investigações no Brasil, são os destaques das manchetes

Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Decisão de Trump provoca perdas de R$ 1,9 bi. Ações de siderúrgicas brasileiras despencam. União Europeia pode retaliar,

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Decisão de Trump provoca perdas de R$ 1,9 bi. Ações de siderúrgicas brasileiras despencam. União Europeia pode retaliar, e OMC teme guerra comercial. O anúncio do presidente Donald Trump de que vai taxar em 25% a importação do aço e em 10% a do alumínio provocou perdas bilionárias nas Bolsas do mundo. No Brasil, as siderúrgicas sofreram queda de R$ 1,91 bilhão em valor de mercado no pregão de ontem. Trump disse que “guerras comerciais são boas e fáceis de ganhar”. A União Europeia ameaça com retaliação, e a OMC quer evitar uma guerra comercial global/Temer é investigado em inquérito sobre suposta propina. O presidente Michel Temer será investigado no inquérito que apura suposto pagamento de propina pela Odebrecht em troca de privilégios na Secretaria de Aviação Civil. A decisão do ministro Edson Fachin, do STF, atende a pedido da procuradora Raquel Dodge/Panfletagem. Militar distribui panfleto e a revista em quadrinhos “Recrutinha” aos passageiros de um ônibus, durante operação do Exército com a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária Federal em São Gonçalo/PF apreende 1,3 tonelada de cocaína no Porto do Rio. Maior repressão em Santos faz tráfico optar por rota do Rio. Agentes da Receita e da Polícia Federal encontraram no Porto do Rio 1,3 tonelada de cocaína pura em dois contêineres, que seriam enviados à Bélgica. Na Europa, a carga renderia até R$ 250 milhões. Para a polícia, o aumento da fiscalização em Santos (SP) fez traficantes usarem o Rio como rota. O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, segundo no Ministério da Segurança Pública, disse que a crise no estado resulta de “uma longa história de falta de vergonha na cara”/Conselho do Senado faz nova proposta de censura prévia. O Conselho de Comunicação do Senado apresentará anteprojeto de lei que obrigaria provedores a tirar do ar, sem ordem judicial, conteúdos considerados fake news pelos alvos da publicação. O presidente do Senado não dará prosseguimento à iniciativa/MPF quer condenar Eike por operação com ações da OSX. O Ministério Público Federal pediu a condenação de Eike Batista por crime contra o mercado de capitais em operações com ações da OSX/Côrtes cita ‘contribuição’ a Pezão em UPA/Editorial1: A economia em busca de um crescimento equilibrado. Expansão do ano passado marca o fim da maior recessão da história, mas a retomada é lenta e ainda são necessárias condições para que os investimentos retornem com força/Editorial2: Imposição de tarifas põe EUA perto de guerra comercial. O anúncio de Donald Trump de que aplicará alíquotas sobre a importação de aço e alumínio será um perigoso tiro no pé, alertam analistas.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Trump ameaça levar mundo a uma guerra comercial. União Europeia estuda adoção de barreira tarifária a produto dos EUA após restrição a aço anunciada pelo país. A decisão anunciada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, de adotar barreiras tarifárias de 25% sobre as importações de aço e de 10% contra o alumínio estrangeiro, provocou reação global generalizada ontem. A União Europeia e outros países potencialmente afetados consideram impor medida semelhante contra produtos americanos. Eles estudam uma aliança internacional em um processo na Organização Mundial do Comércio (OMC) para evitar que a barreira tarifária seja estendida para outros setores. Ontem, Trump fez em uma rede social uma espécie de defesa de guerras comerciais. “Quando um país está perdendo vários bilhões de dólares em comércio com praticamente todos os países com que faz negócios, guerras comerciais são boas e fáceis de ganhar”, escreveu. O diretor- geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevedo, disse temer a retaliações entre as maiores economias globais. “Guerra comercial não é do interesse de ninguém/Siderúrgicas perdem R$ 1,7 bi em um dia. As ações de CSN, Usiminas e Gerdau fecharam com forte queda ontem, após as restrições ao aço e ao alumínio anunciadas por Donald Trump. Juntas, perderam R$ 1,7 bilhão em valor de mercado. Um terço do aço brasileiro tem os EUA como destino – foram 15,3 milhões de toneladas exportadas no ano passado/Fachin inclui Temer em inquérito da Odebrecht. A pedido da procuradora-geral, Raquel Dodge, o ministro do STF Edson Fachin incluiu Michel Temer entre os investigados em inquérito que apura suposta propina da Odebrecht para o MDB. Fachin justificou a medida como forma de “evitar dissipação de provas”. Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria- Geral da Presidência) são investigados no caso/Com Lula fora, Bolsonaro mira em Álvaro Dias, Ciro e governo. Com a possível saída do jogo do ex-presidente Lula, condenado a 12 anos e 1 mês de cadeia e inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa, o pré-candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSC-RJ) escolheu novos alvos no debate eleitoral. Ele e seus apoiadores já criticam o ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), o senador Álvaro Dias (Podemos-PR) e o governo Temer/‘Gatilho’ vai reajustar conta de água em SP. A Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo criou “gatilho” de reajuste para “variação anormal” do consumo de água. Para garantir a receita da Sabesp, a tarifa terá aumento se o sistema sofrer redução/Fundo quer salvar startups em risco. O Canary, fundo para startups, tenta tirar novas empresas do “vale da morte”, o estágio inicial dos empreendimentos/Adriana Fernandes: Governadores reconhecem que não sabem como enfrentar a crise da segurança pública/Fernando Reinach: O padrão de desmatamento é tão ou mais importante do que a área total desmatada/Editorial1: A reconstrução do Brasil. As quase três décadas da Constituição de 1988 devem ser ocasião para uma reflexão madura sobre a sua aplicação, pondo freio às aventuras realizadas em seu nome/Editorial2: Eleitores e bananas. Durante um mês, veremos a democracia representativa ser enxovalhada à luz do dia, sem qualquer pudor/Editorial3: Na trilha de Mao. O presidente Xi Jinping deu o passo que faltava para se tornar, de fato e formalmente, o homem mais poderoso da China desde Mao Tsé-tung, que comandou a revolução que implantou o regime comunista no país e o governou por quase três décadas. A decisão do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC), de propor à Assembleia Nacional Popular o fim do limite de dois mandatos presidenciais estabelecido pela Constituição, abre caminho para Xi Jinping permanecer indefinidamente no poder.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Ministro do STF inclui Temer em inquérito sobre propina. Fachin entendeu que presidente pode ser investigado por ato anterior a mandato. O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou a inclusão do presidente Michel Temer como investigado em inquérito que apura repasses da Odebrecht ao MDB em 2014. O caso se refere a jantar no Palácio do Jaburu, em maio daquele ano, em que teria sido acertado repasse ilícito de R$ 10 milhões. Já são alvos do inquérito os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), ambos do MDB. Fachin destaca que a investigação indica que membros do grupo político liderado por eles teriam recebido propina da empreiteira como contrapartida ao atendimento de interesses pela Secretaria de Aviação Civil. Em 2017, ao pedir as diligências contra os ministros, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entendeu que a Constituição proibia investigar o presidente por supostos crimes anteriores ao seu mandato. A sucessora de Janot, Raquel Dodge, faz outra interpretação. Para ela, o presidente pode ser investigado, mas não denunciado no exercício do cargo. Ao pedir a inclusão de Temer entre os investigados, Dodge afirmou que a medida era necessária para impedir o sumiço de provas. A interpretação tem precedentes. Ela citou caso de 1992, que envolvia o então presidente Fernando Collor. A assessoria de Temer informou que o Planalto não comentaria o caso/Taxa de Trump sobre o aço causa onda de reações. A decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de taxar a importação de aço deflagrou onda de descontentamento, com chances de evoluir para batalha global. A OMC (Organização Mundial do Comércio) e o FMI expressaram preocupações. Em rede social, Trump disse que guerras comerciais são boas e fáceis de vencer/Doria encerra ajuda de custo a usuários de drogas em SP. O prefeito de SP, João Doria (PSDB), encerrará programa de seu antecessor, Fernando Haddad (PT), que dá R$ 500 por mês a usuários de drogas da cracolândia em troca de serviços como varrição de ruas e jardinagem. Além da bolsa, eles têm direito a usar hotéis mantidos pela prefeitura e a alimentação, sem exigência de abstinência.“ Era um investimento sem resultados”, diz Aline Cardoso, secretária municipal do Trabalho/Pirataria gera perda de R$ 146 bilhões a governo e empresas/Foto-legenda : Olhe onde pisa. Rachadura provocada por desgaste temporal na rampa exterior do Planalto, inaugurada em 1960; segundo o governo, não há risco de desabamento/Regulação requer velocidade maior, diz xerife da EU. Responsável por multas bilionárias a gigantes como Google e Apple, Margrethe Vestager, comissária europeia de competição, diz que a volatilidade no top 10 mundial de empresas obriga sua atuação a ser veloz. “As coisas mudam de maneira drástica em períodos curtos.”/Demétrio Magnoli: Antes militante, acadêmico pró-PT é hoje marqueteiro. A campanha presidencial simulada de Lula dissolveu o que ainda separava o pensamento acadêmico do imperativo partidário. O ácido foi derramado por professor da UnB que criou disciplina intitulada “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”. Foi seguido por dezenas/Editorial1: Tentação eleitoral. Governo deve evitar o erro de buscar estímulo efêmero ao consumo/Editorial2: Impasses italianos. Parlamento deve ser ainda mais fragmentado na eleição deste domingo.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Crise no Rio é ‘falta de vergonha na cara’, diz sub de Jungmann. Para secretário-executivo do recém-criado Ministério da Segurança, general Carlos Alberto Cruz, não basta vencer confronto armado/Temer está decidido a colocar um civil no Ministério da Defesa. General interino deve deixar pasta após reação/Ancelmo Gois: Rubem César, do Viva Rio, dispara contra críticos da intervenção militar/Bernardo Mello Franco: Cabral pode ficar preso até 2046, e defesa fala em ‘pena de morte’/Regra interna impede que Segovia assuma cargo na Itália. Nova função para ex-diretor da PF foi anunciada pelo presidente Temer/Fachin inclui Temer em inquérito sobre propinas da Odebrecht. Ministro atendeu a pedido feito por Raquel Dodge; Padilha e Moreira já são investigados/Novo diretor da PF se reúne com Raquel Dodge após ser empossado/Febre amarela: Rio já tem 112 casos, com 51 mortes. Angra dos Reis segue como a cidade com o maior número de casos: 25/Em Nova York, Moro diz que ter juízes na política ‘daria confusão’/Brasil. MP não adere à greve por auxílio-moradia, mas fará protesto. Procuradores não concordam com decisão de paralisar trabalhos/Imposto de Renda 2018: Receita já recebeu 428 mil declarações/Cocaína apreendida no Porto do Rio iria para a Bélgica. Fontes da polícia avaliam a carga em R$ 250 milhões/’Choradeira pura’, diz Crivella sobre críticas ao carnaval do Rio. Prefeito participou de evento no Museu de Arte do Rio ao lado do ministro da Cultura/Análise: Brasil não retaliaria EUA por sobretaxa do aço. No entanto, país é um dos mais afetados pela decisão dos EUA. OMC teme guerra comercial por disputa de aço e alumínio. Ameaça de sobretaxas pelos EUA preocupam diretor-geral do organismo internacional/Petrobras inicia venda de novos campos em terra de petróleo. Áreas estão localizadas em Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe/Petrobras ganha força no final e faz Ibovespa subir/Luma entra com pedido de R$ 380 milhões contra Eike. Atriz argumenta que ex-marido teria escondido uma mina de ouro na partilha de bens/Temer comemora empregos, mas omite peso da informalidade. Presidente publicou vídeo em sua página no Facebook após a divulgação do resultado do PIB/Rio teve pior índice de empregos formais no país em janeiro. País levará três anos para retornar ao nível pré-crise.

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Mundo se arma para guerra comercial em resposta às barreiras de Trump. Imposição de tarifa extra de 25% contra o aço e de 10% contra o alumínio provocou reação de vários países/Azevedo teme guerra diante de protecionismo americano. Taxação foi rejeitada por demais setores da economia/Trump diz que ‘guerras comerciais’ são boas/‘Trump é uma pessoa perturbada’, diz Friedman/Presidente investigado. Fachin inclui Temer em inquérito que apura propina da Odebrecht. Ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco já eram investigados na ação, aberta em abril de 2017. Fachin justifica inclusão: ‘evitar dissipação de provas’/Ministros liberam denúncias contra Jucá para julgamento. Senador emedebista é acusado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro/Em sua despedida, Segovia cita imperador Júlio César/Moro defende prisão após condenação em segunda instância. Juiz ainda disse que não viu como grande problema os vazamentos durante as investigações/Lava Jato continua forte, diz Galloro ao assumir PF/PGR questiona decisão do STF sobre mãe de Geddel. Fachin negou imposição de cautelares a Marluce e ao deputado Lúcio Vieira Lima, irmão do ex-ministro/Governo aumenta taxa de transferência ao exterior. IOF sobe de 0,38% para 1,10% para envios de dinheiro a contas de mesmo titular fora do País/Deflação reforça aposta em corte da Selic/No Pará, Meirelles reafirma confiança no crescimento/Para diretor do BC, inflação deve ser de 3,7% neste ano/País abre 77,8 mil vagas em janeiro/Segurança. Interventor se diz preocupado com vazamento/Soldados distribuíram revistinhas para ganhar simpatia de crianças e panfletos pedindo ajuda à população/Exército distribui panfletos e revistinhas. Boato de assalto fecha Quinta da Boa Vista e museu. Frota da PM do Rio será renovada, diz governo.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Ofensiva por provas da Odebrecht cria atrito no Ministério Público. Promotores estaduais tentam obter documentos sem aderir a acordo de leniência com empresa/Doria encerra ajuda de custo a usuários de drogas em SP. Preocupação é se os dependentes terão condições de trabalhar no setor privado após término do ‘bolsa varrição’/Prefeitura vai vender 900 imóveis da Cohab/Rampa do Palácio do Planalto apresenta rachadura. Fissura ocorreu na extremidade superior, onde ocorre a passagem da faixa presidencial/Crise de migrantes na Europa domina debate eleitoral na Itália. Direita e esquerda retratam fluxo de forma negativa; partidos anti-imigração crescem/Com legalização. Estados dos EUA reveem condenações ligadas à maconha. Decisão abriu caminho para redução de penas, solturas e até ‘limpeza’ de histórico/Editorial1: Tentação eleitoral. Governo deve evitar o erro de buscar estímulo efêmero ao consumo/Editorial 2: Impasses italianos. Parlamento deve ser ainda mais fragmentado na eleição deste domingo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.