Jornais focam no enfrentamento à violência

Edição: Sérgio Botêlho Segue a SINOPSE DE 19 DE FEVEREIRO DE 2018   MANCHETES DOS JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Tensão sobe em presídios do Rio,

Edição: Sérgio Botêlho

Segue a SINOPSE DE 19 DE FEVEREIRO DE 2018

 

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Tensão sobe em presídios do Rio, com tentativa de fuga e rebelião. Detentos armados fazem 18 reféns em unidade superlotada de Japeri. Ministro da Justiça diz que represália à operação federal já era esperada, e as 54 cadeias do estado foram postas em alerta máximo. Três presos ficaram feridos e, depois de longa negociação, todos os reféns foram liberados no início da madrugada/Criminalidade é crítica em 17 áreas da cidade. Interventor federal terá que observar características de cada comunidade para implementar um plano de segurança eficaz/Chefe de facção paulista é morto em emboscada. Após o crime, Planalto anuncia envio de reforço à Segurança do Ceará/Ricardo Rangel. Para tirar o atraso. Intervenção sinaliza mudança na atitude do governo, mas chega com 15 anos de atraso. Não existe intervenção boa, mas a alternativa, deixar como estava, seria pior. Na verdade, a intervenção está atrasada mais de um ano e é acanhada: deveria mandar Pezão embora e botar um civil no Guanabara/Desigualdade de gênero. Mulheres chefiam apenas 4 estatais. Apenas quatro de 79 estatais são presididas por mulheres, mostra levantamento/Vida nova. Um parto de migrante a cada 4 horas/Brasil quer que Venezuela seja suspensa da OEA. Ministro afirma que vai reforçar sua atuação para que o país seja punido. Ministro das Relações Exteriores afirma que o país vai reforçar sua atuação junto a outras nações para que venezuelanos sejam punidos na organização/No Congresso. Aprovação do decreto de intervenção, até quarta. Câmara inicia hoje votação, e Temer reúne conselhos da Presidência/Ausência de Crivella e falhas da Riotur no carnaval rendem ação. Inquérito aberto pelo MP vai apurar se houve descaso com a festa/Editorial: Tema em discussão: Reforma política. Por mais avanços. A reforma política sancionada no ano passado é um avanço em relação às regras que estavam em vigor, mas um passo pequeno diante do necessário.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: ‘Penduricalhos’ do passado rendem a juízes R$ 211 milhões. Em dezembro, 7 mil magistrados ganharam em média R$ 30 mil retroativos. Sete mil juízes federais e estaduais receberam R$ 211 milhões em dezembro referentes a pagamentos retroativos de benefícios e indenizações, uma média de R$ 30 mil por magistrado/MPF investiga CVM e Previc por falha no rombo do Postalis. Órgãos, que defendem investidores e fundos de pensão, são investigados por não conseguir deter rombo de R$ 5,6 bi no fundo dos Correios/Em alerta, Rio tem motim com reféns em cadeia. Sistema prisional estava em estado de alerta; mais cedo, governo disse que havia adotado ‘medidas de controle’/Entrevista com Marco Aurélio Mello, ministro do STF: “Intervenção desgastará o Exército”. Carioca, ministro também aponta como motivo para decisão federal ausência de prefeito e governador. Ministro diz ter “sérias dúvidas” sobre resultado da medida, que ele credita também às ausências do prefeito e do governador do Rio. “Será que o Exército solucionará a problemática da corrupção na polícia?”, questiona/Cida Damasco: Intervenção no Rio será teste decisivo para as habilidades – e pretensões – de Temer. Com uma ruidosa intervenção na segurança do Rio, com a reforma da Previdência escapando do horizonte de 2018 e sem Luciano Huck na corrida presidencial, o governo Temer entra numa nova etapa/Lúcia Guimarães: Jovens cariocas sob fogo cruzado são vítimas da geração que não larga o osso do poder. Os adolescentes fizeram mais do que chorar. Depois de um novo massacre escolar nos Estados Unidos, os alunos da escola da Flórida onde Nikolas Cruz matou dezessete estudantes e professores, não delegaram seu luto a políticos. Houve vigílias e reuniões de famílias, o ritual comum que seguiu os mais de duzentos massacres em escolas americanas desde Columbine, em 1999/Após crise hídrica, consumo continua 15% menor em SP. Dois anos após fim do racionamento, moradores da Região Metropolitana incorporaram medidas que ajudaram a reduzir consumo/Com Itaú como sócio, XP quer superar bancos. Estratégia. Para atingir a meta ambiciosa de dobrar de tamanho todos os anos até 2020 e alcançar R$ 1 trilhão em custódia, corretora adota modelo do Vale do Silício que divide empresa em 50 ‘startups’/Ministros terão que detalhar suas agendas. A partir de hoje, ministros e outros agentes públicos, como presidentes de empresas públicas, terão de divulgar detalhes de seus compromissos na internet. A regra atende resolução da Comissão de Ética Pública da Presidência. O colegiado deu prazo de dois meses para os servidores se adequarem, que vence nesta segunda/Editorial1: Chicana. Entidades alegam que o auxílio moradia é “legal”. Por não terem fundamentos jurídicos sólidos para sustentar no Supremo Tribunal Federal (STF) a legalidade do pagamento do auxílio-moradia a toda a magistratura, no valor de R$ 4,3 mil mensais, juízes federais estão tentando impedir que a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, inclua na pauta de março o julgamento da Ação Originária 1.773, que questiona a constitucionalidade desse benefício/Editorial2: A recuperação vai se consolidando. No Brasil, a evolução dos serviços normalmente reflete, com algum atraso, o avanço da indústria, da agropecuária e do comércio de bens. O quadro de recuperação da economia nacional fica mais claro, e quase completo, com a reação do setor de serviços, ainda lenta e restrita. No Brasil, a evolução dos serviços normalmente reflete, com algum atraso, o avanço da indústria, da agropecuária e do comércio de bens/Editorial3: O Censo da Educação Básica. Divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) com base em dados de 2017, o Censo Escolar da Educação Básica – que compreende o ensino infantil, o ensino fundamental e o ensino médio – apresenta três informações importantes. A primeira é a queda no total de alunos desses três ciclos, que passou de 48,8 milhões, em 2016, para 48,6 milhões, no ano passado. No ensino médio, que tem 7,9 milhões de alunos, dos quais 84,8% estudam em escolas públicas, a queda foi de 2,5%. A segunda informação é o aumento do número de alunos matriculados em escolas de tempo integral, que pulou de 9,1% para 13,9% no ensino fundamental. A terceira informação revela que os índices de evasão nas séries finais do ensino fundamental e na 1.ª e 2.ª séries do ensino médio continuam altos.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo:  Violência barra Correios em 44% dos locais do Rio. Levantamento mostra restrições de entrega em 12.037 endereços da cidade. O aumento da criminalidade levou os Correios a suspender entregas em pouco menos da metade do Rio. Há algum tipo de restrição em 44% dos 27.616 endereços da cidade. Nos locais, a distribuição só é feita com aparato especial, como escolta armada, o que amplia o prazo para recebimento. Dentro do universo com restrição, não há nenhuma entrega em quase metade dos casos. O morador precisa buscar a encomenda em uma unidade dos Correios. O levantamento foi feito pela Folha com base nos dados dos Correios. Tabulação semelhante no ano passado revelou problemas de entrega em 29% dos CEPs da cidade de São Paulo. A situação do Rio, cuja intervenção na segurança foi decretada sexta (16), é “endêmica”, dizem os Correios. Para a estatal, que investiu R$ 20 milhões em escolta, rastreadores e gerenciamento de risco, o “ambiente de violência” afeta toda a cadeia produtiva/Gregório Duvivier: Soma de furtos no RJ não supera verba no apê do Geddel/Mathias Alencastro: Cidade não precisa de um presidente deslegitimado/‘Entrevista da 2ª. Andreas Schleicher. Brasil investe pouco e mal na área de educação/O país está no nível mais baixo de investimentos em educação e precisa não só aumentá-los como aprender a usá-los com eficiência, diz o diretor do setor educacional da OCDE e um dos criadores do Pisa, teste global de aprendizagem aplicado pela entidade/Governadores negociaram PEC na Previdência. Por apoio à reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ofereceu proposta de emenda constitucional (PEC) para reestruturar as previdências públicas dos Estados. Na última reunião de avaliação compareceram 17 governadores/Forças Armadas são pressionadas para aceitar transexuais/Editorial1: Desgoverno. Embora seja inquestionável o caos no Rio, intervenção suscita dúvidas a respeito de sua motivação e eficácia/Editorial2: O “S” dos Brics. Após renúncia de Jacob Zuma, África do Sul deve passar ainda por novos e duros testes.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.