Escolas de samba, Justiça e internacional são os destaques do noticiário

Edição: Sérgio Botêlho MANCHETES DOS JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Crítica política vence na Sapucaí. Campeã Beija-Flor e vice Paraíso do Tuiuti investem na sátira social

Edição: Sérgio Botêlho

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Crítica política vence na Sapucaí. Campeã Beija-Flor e vice Paraíso do Tuiuti investem na sátira social e fazem história/Em agência espacial, visita de Crivella é tratada como de ‘caráter privado’. Para funcionário de agência, visita foi de ‘caráter puramente privado’. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, causou constrangimento na sede da Agência Espacial Europeia (ESA) ao divulgar como oficial uma visita que, de acordo com um funcionário da instituição, tinha “caráter puramente privado”/Em meio à extrema violência, Pezão diz que estado não estava preparado. Pezão admite falhas; coordenador de inteligência da PM viajou com Crivella/Ascânio Seleme: Beija-Flor errou ao ignorar o PT no enredo de ratazanas/Flávia Oliveira: A Beija-Flor venceu porque transformou em samba a insatisfação generalizada dos brasileiros/Artur Xexéo: Além de ter um samba-enredo imbatível, a azul e branco foi a escola que mais arriscou/Cora Rónai: É uma felicidade ver o poder tripudiado em praça pública/Bernardo Mello Franco: O Sambódromo é um território onde o crime convive com o poder. Foi o carnaval mais politizado dos últimos anos. As críticas aos governantes deram o tom dos desfiles na Sapucaí. Melhor assim/Leonardo Bruno: Beija-Flor carnavalizou pouco e foi salva por ecoar o grito entalado na garganta do público. Júri oficial, tão criticado por ser frio e calculista, desta vez foi populista/Bernardo Araujo: Separados por abismo, Império e Grande Rio caem com justiça/Luiz Antonio Simas: As divergências mostram como as escolas podem recuperar o protagonismo/Presidente da África do Sul renuncia. Presidente cede cargo após ultimato de aliados, em meio a acusações de corrupção/Governo põe Roraima em estado de emergência social. Imigração de venezuelanos leva União a duplicar efetivo militar na região/Crise no CPDOC ameaça pesquisa histórica. Crise no centro de documentação da FGV, que completa 45 anos, preocupa acadêmicos. Corte brusco. A historiadora Dulce Pandolfi, uma das pesquisadoras do CPDOC demitidas em janeiro, gerando comoção na comunidade acadêmica: ela escreveu uma carta em que acusa a direção de desprezar ‘caráter público do conhecimento’/Produtividade deixa Brasil em 50º lugar entre 68 países. Estudo da FGV mostra que Brasil está na 50ª posição numa lista que inclui 68 países. Levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas (FGV) a pedido do O GLOBO mostra que o Brasil continua na lanterna da produtividade do trabalho/Ex-aluno mata 17 em escola na Flórida. Atirador tinha sido expulso; ataque é o mais mortal nos últimos 5 anos/Cármen mantém Cristiane Brasil longe do Ministério do Trabalho. Decisão da presidente do STF, no entanto, ainda não é definitiva/Partidos grandes acusam ‘leilão’ com Fundo Partidário. Uso de novo caixa abre polêmica sobre trocas para eleições; siglas médias negam. “Quem tem muito é o PP, o PSD, o PR, que quase nada distribuem e ficam com 70% do total para campanha”, diz Eunício Oliveira (PMDB-CE) Presidente do Senado. A liberação de R$ 888 milhões do Fundo Partidário para engordar as contas eleitorais das campanhas deste ano — que já têm um outro caixa específico de R$ 1,7 bilhão — está acirrando a guerra entre os grandes partidos — PT, PSDB e PMDB —, e as legendas médias, como o PP, PR e PSD. A acusação é que essas últimas estariam fazendo “leilão” com o dinheiro dos dois fundos para atrair deputados com dificuldades de financiar suas campanhas, usando a janela partidária de março, quando são permitidas trocas entre siglas/Ex-executivo da Odebrecht reforça suspeita em obra da gestão Aécio. À PF, ele indica fraude em contrato da Cidade Administrativa; tucano nega/Editorial1: Diretor-geral da PF não tem credibilidade. Já foi um início de gestão pouco usual, o de Fernando Segovia na direção-geral da PF. A sua escolha, para começar, passou ao largo do superior hierárquico da Polícia Federal, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, tendo surgido na cúpula do PMDB, em especial na área de influência do ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil, e do ex-presidente José Sarney, os dois da forte retaguarda política do presidente Michel Temer, este sob investigação da própria PF. Eram, e são, ingredientes explosivos/Editorial2: Quem deve cuidar dos desfiles é a prefeitura. Enquanto a chave da cidade ainda estava sob o comando de Momo, o ex-secretário municipal de Urbanismo Índio da Costa, pré-candidato ao Palácio Guanabara pelo PSD, propôs que a organização do carnaval, hoje sob responsabilidade da prefeitura, seja transferida ao governo do estado.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: MP e governo atuarão juntos em acordos de leniência. Modelo deve facilitar colaborações; grandes empreiteiras pegas na Lava Jato ficam fora do novo formato/Fragilidade do modelo. A parceria entre MP, AGU e CGU é vista como avanço pelo governo e por empresas envolvidas na Lava Jato/Carro eficiente deve derrubar em R$ 2 bi gasto com gasolina. Inovação. Resultado é decorrente da melhora na eficiência energética dos automóveis brasileiros, um objetivo estabelecido no programa Inovar-Auto; veículo com motor 1.0 novo gasta, em média, R$ 900 a menos por ano em combustível do que há cinco anos/Atirador invade escola e mata 17 na Flórida. Policia afirma que autor dos disparos foi um ex-aluno de 19 anos, Nikolas Cruz, que havia sido expulso do colégio no ano passado/Zuma renuncia na África do Sul. Cada vez mais isolado em razão de escândalos de corrupção, Jacob Zuma anunciou na TV que entrega o cargo/Beija-Flor é campeã no Rio. Apoteose. Agremiação de Nilópolis partiu dos 200 anos de Frankenstein para falar dos ‘monstros’ que oprimem o País, com destaque para a corrupção; Tuiuti ficou em segundo com diversas críticas à gestão Michel Temer em um enredo sobre os 130 anos da Lei Áurea/Celso Ming: Se o Fed sair para o combate implacável da inflação estimulará turbulências. Se não, descumprirá sua principal função. A previsão dos analistas tende a se confirmar. A inflação nos Estados Unidos ameaça voltar. O Índice dos Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) de janeiro divulgado nesta quarta-feira repetiu o que acontecera em dezembro: atingiu 0,5% sobre o mês anterior/Exército reage à PGR por tentar rever anistia. Causou muita inquietação e irritação no alto-comando do Exército o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para que o Supremo volte a discutir o alcance da Lei da Anistia, assunto considerado página virada pela força terrestre/Movimentos vão a Huck para ‘renovar’. Eleição. Movimentos organizam encontro unificado com apresentador; em carta, dizem que reunião não representa apoio, mas destacam ‘janela de oportunidade’ para o novo na política/Bolsonaro busca apoio na Câmara. Presidenciável, que vai se filiar ao nanico PSL, tenta formar bancada suprapartidária para compensar estrutura frágil para a eleição/Doria negocia com o DEM; ala tucana dificulta candidatura. Grupo age para adiar as prévias, o que forçaria prefeito a deixar o cargo para entrar na disputa à sucessão de Alckmin/Bolsonaro, Lula e Ciro representam ruptura’. Para cientista político, recuperação econômica deve enfraquecer essas candidaturas e favorecer um nome de centro. Renovação. Para Aragão, ‘não basta ser candidato novo, tem que ter discurso que agregue’/Editorial1: O suspense continua. A Quarta-Feira de Cinzas começou com suspense nos mercados de capitais, assombrados pelo temor de turbulências parecidas com as da semana passada/Editorial2: Alegria, mas com respeito. Este ano o carnaval de rua de São Paulo – com destaque para a Avenida 23 de Maio – foi um inegável sucesso de público, ao contrário do que acontecia até aqui, em comparação com outras grandes cidades, como o Rio de Janeiro e o Recife, onde ele sempre foi um dos pontos altos da festa/Editorial3: Situação intolerável. Maduro só encontra solidariedade entre liberticidas do PT e seus “movimentos sociais”.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Presidente da África do Sul renuncia após escândalos. No cargo desde 2009, Jacob Zuma havia perdido o apoio de seu partido. O presidente sul-africano, Jacob Zuma, anunciou sua renúncia ontem, em meio a acusações de corrupção que levaram seu partido a deixar de apoiá-lo. No poder desde 2009, ele fez discurso de 30 minutos em que afirmou discordar da maneira com que o CNA (Congresso Nacional Africano) exigiu sua saída. Na terça (13), o partido havia ordenado que Zuma deixasse a Presidência. Em caso de recusa, o partido apoiaria moção da oposição no Parlamento, um voto de desconfiança, o que obrigaria Zuma a deixar o cargo.(…)/Temer decretará emergência em Roraima por crise de venezuelanos/Adesão a lista de bom pagador melhora nota de 4 em cada 10. A adesão ao Cadastro Positivo, banco de dados que concentra informações financeiras dos consumidores, ajudou 40% dos inscritos a melhorarem sua nota de crédito. Segundo levantamento da Serasa Experian, 22% tiveram piora na pontuação e 38% não registraram alterações. A lista, que distingue bons e maus pagadores e dá condições mais favoráveis aos melhores, tem 6 milhões de registros. A inclusão é voluntária, mas projeto de lei pode mudara regra/MEC não fiscaliza bolsas que dão isenção, diz TCU. Auditoria do Tribunal de Contas da União aponta que o Ministério da Educação, embora certifique escolas para oferecer bolsas de estudo que lhes dão isenções de até R$ 4,5 bilhões por ano, não fiscaliza a execução das contrapartidas. A pasta diz que novo sistema de dados ampliará o controle/Análise – Bruno Carazza. Extras de servidor equivalem a 25% do Bolsa Família. Gastos com penduricalhos e reajustes a carreiras privilegiadas do setor público passam de R$ 7,2 bilhões ao ano. O orçamento do Bolsa Família em 2018 é de R$ 28,7 bilhões. Com os agrados, União e Estados despendem 25% do programa que atende 14 milhões de famílias/Editorial1: Emergência social. Governo toma medidas para atenuar impacto do ingresso de venezuelanos em Roraima/Editorial2: Alimentação. Saúde e liberdade. Regras no Chile mudam rótulos de alimentos e impõem restrições ao marketing.

MANCHETES DA HORA DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora do Portal O Globo: Cármen Lúcia confirma decisão contra nomeação de Cristiane Brasil. Indicada pelo presidente Michel Temer para o Ministério do Trabalho, ela continua fora do cargo/Governo voltará a discutir se acaba com horário de verão. Período termina no sábado. Moradores do Sudeste, Sul e Centro-Oeste precisarão atrasar relógio em uma hora/Atirador em escola na Flórida deixa ao menos um morto. Polícia busca o atirador, que feriu 20 pessoas; serviços de emergência foram enviados ao local/Triplex atribuido a Lula vai a leilão avaliado em R$ 2,2 milhões. Valor foi definido em perícia judicial e determinado pelo juiz Sergio Moro. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Polícia prende atirador que matou 17 em escola de Parkland, sul da Flórida. Autor dos disparos se chama Nicolas Cruz, ex-aluno do colégio; segundo relatos, ele usava máscara e chapéu/Maia prepara discurso para engavetar Previdência. Anúncio poderia favorecer candidatura à Presidência, pois o descolaria de uma pauta impopular/Ala tucana tenta impedir candidatura de Doria. Com Alckmin pré-candidato à Presidência, prefeito tenta aliança com o DEM para o governo do Estado/Após polêmica sobre inquérito, Planalto pede para Segovia ‘submergir’. Auxiliares do presidente lembraram não ser a primeira vez que o diretor-geral da PF ‘fala demais’/PGR se manifesta contra pedido da defesa de Lula para evitar prisão. Raquel Dodge defende execução da pena após sentenças de 2ª instância ao relator no STF Luiz Edson Fachin/Triplex atribuído a Lula é avaliado em R$ 2,2 milhões/TRF-4 nega recursos por absolvição de Marisa/Polícia prende atirador que matou um na Flórida. Colégio segue isolado e os estudantes estão sendo retirados; paramédicos cuidam das vítimas/Exército ajudará RR na fronteira com a Venezuela. Presidente Michel Temer se reuniu com ministros da área de segurança para discutir crise migratória/Cármen mantém suspensa posse de Cristiane Brasil. Quem deverá julgar em definitivo se deputada pode ou não assumir o Ministério do Trabalho é o Supremo. 

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Presidente da África do Sul renuncia ao cargo. No poder desde 2009, Jacob Zuma perdeu apoio do partido em meio a acusações de corrupção/Temer decretará emergência devido a refugiados em Roraima. Crise leva venezuelanos a deixar filhos em orfanatos/Mônica Bergamo: Tríplex atribuído a Lula em Guarujá vale R$ 2,2 mi. Informações constam de laudo feito a pedido de Moro, que determinou venda do imóvel/Suspeitos de atirar em youtuber de 14 anos são presos no Paraná. Segundo a mãe, Isabelly Cristine Santos sofreu morte cerebral após ser baleada/Cármen diz que Supremo é que deve julgar posse de Cristiane/Adiamento de reunião do PSDB afeta aspiração eleitoral de Doria.

Manchete da hora do Correio Braziliense online: Ataque a tiros deixa 17 mortos em escola na Flórida. Ex-aluno de 19 anos foi detido; brasileiros estudam no local, mas nenhum está entre as vítimas, diz consulado/Adesão à lista de bom pagador melhora nota de 4 em cada 10. Lista com número maior de informações dos consumidores reúne 6 milhões de pessoas e inclusão do nome é opcional/AGU quer ‘força-tarefa’ para pacificar acordos de leniência. Padronizar acertos evitaria divergências com órgãos de controle/Perícia contratada por Lula diz que Odebrecht fraudou provas/Movimentos querem conversar com Huck, ‘candidato ou não’/Flerte de Temer com reeleição atrapalha planos de Meirelles/Mônica Bergamo: Maia ainda negocia acúmulo de benefícios na Previdência. Ideia é que viúvos recebam o seu benefício mais 50% da pensão do companheiro morto/Clóvis Rossi: Há incríveis coincidências nos casos de Brasil e África do Sul/MEC não fiscaliza as bolsas de estudo que dão isenção fiscal/41% da exploração de madeira em MT é ilegal, afirma estudo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.