Governo marca para segunda-feira, 18, votação da reforma da Previdências, mas, não tem voto. Tema é destaque no noticiário

Edição: Sérgio Botêlho “Sem apoio suficiente, governo marca votação da reforma {para o dia 18}”, diz a manchete de O Globo. “Palestinos reagem a Trump; Israel lança ataque a

Edição: Sérgio Botêlho

“Sem apoio suficiente, governo marca votação da reforma {para o dia 18}”, diz a manchete de O Globo. “Palestinos reagem a Trump; Israel lança ataque a Gaza”, noticia a manchete do Estadão. “Temer cria pacote de bondades para acelerar retomada”, informa a manchete da Folha.

Iniciativas do governo para aprovação da reforma da Previdência fazem o destaque do noticiário. Questão do Oriente Médio, após decisão de Trump sobre Jerusalém, é outro dos temas de relevo, na mídia. Também são destaques: suspensão do julgamento sobre poder das Assembleias em livrar deputados de prisão; quebra dos sigilos bancário fiscal de Aécio; denúncia contra Picciani sobre R$80 milhões em propina; reajuste de gás de cozinha; denúncia feita pela PGR contra Henrique Eduardo Alves.

PREVIDÊNCIA. Líder do governo na Câmara diz que fechou acordo com o presidente da Casa sobre Previdência, mas defende votação só se Temer tiver os votos necessários. Até agora, só o PMDB e o PTB decidiram obrigar seus deputados a apoiar a nova Previdência. Mercado vê chances menores de aprovação da reforma. Meirelles reconhece que governo não tem votos suficientes. Ministro não sabe se DEM precisará fechar questão. Governo dá recado de que há mais dinheiro há ser liberado. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma à Folha que o PSDB precisa defender valores como o reformismo, mesmo que perca a eleição em 2018. Por reforma, Temer estuda devolução de cargos a infiéis. Segundo apurou o Estado, o governo tem 278 votos, mas precisa de 308 para aprovar as mudanças na aposentadoria. A aprovação da Previdência já comprometeu R$ 43,2 bilhões dos cofres públicos. Celso Ming: Mesmo que seja aprovado algo mais do que uma reforma desidratada, o rombo estará longe de ser equacionado. Planalto perdoa até infiéis para tentar aprovar alterações no dia 18.

INTERNACIONAL. Com prisão decretada, Cristina diz ser perseguida. Fogo nos EUA. Incêndios na Califórnia deslocam 200 mil pessoas e atingem Los Angeles. Fúria na Palestina deixa cem feridos. Confrontos após presidente dos EUA declarar Jerusalém capital israelense deixam feridos na Cisjordânia.

POLÍTICA/ELEIÇÕES. Huck diz que não estava preparado para ‘pauladas’. Meirelles diz que decide sobre candidatura até março. Alckmin monta chapa de consenso para executiva do PSDB.

ECONOMIA. Preço do gás abala o orçamento de 67% dos brasileiros, diz Datafolha. Preço do gás abala brasileiros, e Petrobras anuncia nova política. Demissões na Faculdade Estácio estão no radar do Ministério Público do Trabalho. Medidas do governo atendem aos setores da construção e de eletroeletrônicos, que são grandes empregadores.

JUSTIÇA/DENÚNCIAS/INVESTIGAÇÕES. Bolsonaro empregou e promoveu a sua mulher em gabinete na Câmara. Lula diz desconfiar de acusações contra Cabral. Delator confirma anel a Adriana e diz que Cabral recebia 5% por contrato. Rosinha permanece de tornozeleira e Garotinho preso. PMDB-RJ era ‘poderosa organização criminosa’, diz MPF. Mantega tinha palavra final sobre reajuste de combustíveis, diz ex-chefe da Petrobras. Corrupção no futebol: Promotoria mostra rota da propina para Marin e gastos de US$ 118 mil. Painel: CPI pede que tratativas de delação sejam filmadas desde o seu início. Operação Sépsis. Henrique Alves é denunciado, de novo, por lavagem. Ex-ministro Henrique Eduardo Alves é acusado de encobrir propina nas obras do Porto Maravilha, no Rio. Nos EUA, ministro criticou os que se opõem às decisões do STF que aumentam o combate à corrupção. CPI da JBS: relator diz que PGR orientou delação contra Temer. STF deve vetar a soltura de deputados por Assembleias. Lava Jato devolve R$ 654 milhões para a Petrobras. O Supremo suspendeu julgamento quando havia cinco votos a favor de proibir as assembleias legislativas de revogar prisões de deputados estaduais e quatro contra. Os ministros Luís Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski só devem votar no ano que vem. O ministro Marco Aurélio, do STF, determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de senador Aécio Neves e de sua irmã, Andrea. Fachin manda bloquear obra pivô da queda de Geddel.

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Sem apoio suficiente, governo marca votação da reforma. Planalto perdoa até infiéis para tentar aprovar alterações no dia 18. Medidas de interesse da base já aprovadas terão impacto de R$ 27,9 bi nas contas/MPF denuncia Picciani por R$ 80 milhões em propinas. PMDB-RJ era ‘poderosa organização criminosa’/No STF, 5 a 4 pela prisão de deputados. O Supremo suspendeu o julgamento quando havia cinco votos a favor de proibir as assembleias legislativas de revogar prisões de deputados estaduais e quatro contra. Os ministros Luís Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski só devem votar no ano que vem/Ministro quebra sigilos de Aécio. O ministro Marco Aurélio, do STF, determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de senador Aécio Neves e de sua irmã, Andrea/Mulher trabalha três horas a mais. Somadas as tarefas domésticas, mulheres trabalham três horas a mais por semana que os homens. Em casa, só nas brincadeiras com os filhos a participação é equivalente/Fúria na Palestina deixa cem feridos. Jihadistas ameaçam EUA após decisão sobre Jerusalém/Aposta na inovação. Para sair da crise, Rio deve investir em empreendedorismo e inovação, dizem especialistas.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Palestinos reagem a Trump; Israel lança ataque a Gaza. Confrontos após presidente dos EUA declarar Jerusalém capital israelense deixam feridos na Cisjordânia/Por reforma, Temer estuda devolução de cargos a infiéis. De olho em 30 votos a favor da reforma da Previdência, Michel Temer estuda a devolução de cargos a deputados que se posicionaram a favor do prosseguimento das investigações contra ele na Câmara. Segundo apurou o Estado, o governo tem 278 votos, mas precisa de 308 para aprovar as mudanças na aposentadoria. Mesmo assim, marcou a votação para o dia 18. A aprovação da Previdência já comprometeu R$ 43,2 bilhões dos cofres públicos/Supremo autoriza quebra de sigilo de Aécio. Marco Aurélio Mello decretou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador Aécio Neves (PSDBMG) de 2014 a 18 de maio deste ano. Ele atendeu a pedido da procuradora- geral, Raquel Dodge, para rastrear recursos supostamente ilícitos. O senador é acusado de receber R$ 2 milhões da JBS. Também ontem, o ministro revogou a prisão domiciliar da irmã de Aécio, Andrea Neves, do primo dele e de Mendherson Souza Lima, ex-assessor de Zezé Perrella/Fachin manda bloquear obra pivô da queda de Geddel. O ministro Edson Fachin ordenou a indisponibilidade de parte de sete prédios erguidos ou em construção em Salvador que teriam recebido dinheiro de empresas ligadas à família de Geddel Vieira Lima. Entre eles, está a obra pivô do pedido de exoneração do ex-ministro/Eliane Cantanhêde: Festa? Que festa? O PSDB faz sua convenção num ambiente de muita insatisfação/Celso Ming: Mesmo que seja aprovado algo mais do que uma reforma desidratada, o rombo estará longe de ser equacionado/STF adia votação sobre poder de assembleias/Gás de cozinha terá nova regra de reajuste.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Temer cria pacote de bondades para acelerar retomada. Medidas do governo atendem aos setores da construção e de eletroeletrônicos, que são grandes empregadores. A pasta dos Transportes permitirá que pequenas construtoras façam obras de reparação em rodovias. Segundo cálculos do setor, essa medida deve injetar R$ 4,8 bilhões na economia e gerar de imediato cerca de 106 mil postos de trabalho. Medida provisória que será assinada hoje perdoará empresas de informática por investimentos não feitos. O texto deve preservar 20 mil empregos e permitir investimento de quase R$ 10 bilhões. O Congresso já havia beneficiado outros setores. Temer e aliados abriram os cofres e agora aprovam gastos e perdões de dívida sob o pretexto de reformar a Previdência/Preço do gás abala brasileiros, e Petrobras anuncia nova política/STF deve vetar a soltura de deputados por Assembleias. Com cinco votos contrários à possibilidade de as Assembleias estaduais soltarem deputados presos pela Justiça antes de sentença condenatória, o STF adiou a decisão sobre o assunto. Faltam votar Luís Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski. A expectativa é que o voto do primeiro consolide a posição da atual maioria/Lava Jato devolve R$ 654 milhões para a Petrobras. O Ministério Público Federal realizou cerimônia de devolução de R$ 653,9 milhões para a Petrobras. A verba tem origem em acordos de delação e de leniência da Lava Jato. Segundo a Procuradoria, essa é a maior quantia já recuperada em uma investigação criminal no país/PSDB pode perder, mas deve manter valores, diz FHC. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma à Folha que o PSDB precisa defender valores como o reformismo, mesmo que perca a eleição em 2018. “Você pode ganhar ou perder, mas não pode perder a cara”/Ministro Marco Aurélio (STF) autoriza quebra de sigilos de Aécio e revoga prisão domiciliar de irmã do tucano/Bolsonaro empregou a mulher em seu gabinete na Câmara/Justiça Federal decreta prisão de ex-docente da USP. A Justiça Federal decretou a prisão preventiva do cientista Marcelo Carvalho, ex-professor da USP, acusado de desviar cerca de R$ 930 mil do Departamento de Zoologia, informa Rogério Gentile. O caso foi revelado pela Folha em maio. Carvalho, que deixou o cargo após após a abertura da apuração, 11 anos atrás, disse em carta que seguiu as regras.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Governo define 18 de dezembro como data para votar Previdência. Líder do governo na Câmara diz que fechou acordo com o presidente da Casa, mas defende votação só se Temer tiver os votos necessários/Por Previdência, governo pode rever punições a infiéis/STF deve decidir só em 2018 se assembleias podem revogar prisões. Julgamento será retomado com os votos de Luís Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski/‘Pode parecer conspiração, mas há fotos, malas’, diz Barroso. Nos EUA, ministro criticou os que se opõem às decisões do STF que aumentam o combate à corrupção/CPI da JBS: relator diz que PGR orientou delação contra Temer. Conclusões do deputado devem integrar seu parecer como relator da CPI da JBS/Temer prega parceria de seu governo com outras instituições, em jantar de confraternização. Entre os presentes, estavam ministros do TSE, TST, TCU e STM/MPF denuncia Henrique Eduardo Alves por lavagem de dinheiro. Ex-ministro é acusado de encobrir propina nas obras do Porto Maravilha, no Rio/Análise: Mulheres trabalham mais em casa, e isso afeta a economia brasileira. Mais instruídas, elas poderiam elevar produtividade da economia se tivessem sobrecarga menor de afazeres domésticos/Republicano renuncia após denúncia de assédio nos EUA. Deputado Trent Franks é o terceiro a renunciar nesta semana enquanto Washington vive uma onda de denúncias de abusos sexuais/Senador democrata renuncia por denúncias de abusos sexuais/Palestinos se recusam a receber vice de Trump: ‘Não é bem-vindo’. Casa Branca alerta que anular reunião entre Pence e Abbas seria contraproducente. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Temer gasta R$ 43 bi pela reforma, mas tem dificuldade em convencer aliados. Até agora, só o PMDB e o PTB decidiram obrigar seus deputados a apoiar a nova Previdência/Celso Ming: A reforma, a síndrome Kandir e coisas mais/Governo estuda devolver cargos a deputados ‘infiéis’/Mercado vê chances menores de aprovação da reforma/Câmara vai votar reforma no dia 18 de dezembro, diz líder/Meirelles reconhece que governo não tem votos suficientes/Para presidente da Bolsa, reforma tem 50% de chance/Ministro não sabe se DEM precisará fechar questão/Governo dá recado de que há mais dinheiro há ser liberado/STF: Limite a poder de Assembleia tem cinco votos. Julgamento que estabelece se Legislativo Estadual pode vetar prisões impostas a deputados foi adiado/Cármen convoca sessão extraordinária no STF/Gilmar diz ser contra prisão preventiva a  parlamentares/Marco Aurélio quebra sigilos de Aécio desde 2014. Ministro do STF estendeu a medida a outros citados em investigação sobre propina de R$ 2 mi a senador/STF tira irmã de Aécio da prisão domiciliar/Huck: Desistir de eleição foi ‘mistura de luto e alívio’/Apresentador diz que Marina (Rede) e Alckmin (PSDB) são ‘bons nomes’, mas não manifestou seu apoio/Meirelles diz que decide sobre candidatura até março. Em culto evangélico, Meirelles pede oração para a economia/‘O PSDB envelheceu’, diz Armínio Fraga/Partido Novo mira SP e convida líder do Vem Pra Rua/Alckmin monta chapa de consenso para executiva do PSDB. PSDB deve decidir pelo fim da reeleição no partido/Moro desbloqueia aposentadoria de Lula. Juiz aceitou pedido da defesa para liberar conta com R$ 63 mil, mas manteve bloqueio de R$ 9 milhões/Lula diz desconfiar de acusações contra Cabral/Delator confirma anel a Adriana e diz que Cabral recebia 5% por contrato. Homem da mala do ex-governador afirmou que o ‘Cabra Macho’ na tabela das propinas era Cabral/Cabral quer desmarcar audiência para prestar Enem/Rosinha permanece de tornozeleira e Garotinho preso/Demissões na Estácio estão no radar do MPT. Sindicato dos Professores do Rio fará protesto na 6ª; rede nega estar se aproveitando da nova lei trabalhista/Corrupção no futebol. Empresa de Marin recebeu propina de R$ 4,9 milhões, dizem procuradores. Investigação mostra caminho do dinheiro até a conta do dirigente, que fez gastos em lojas de luxo/Operação Sépsis. Henrique Alves é denunciado, de novo, por lavagem. MPF em Brasília aponta transações de R$ 4,6 milhões que teriam sido ocultadas pelo ex-parlamentar/Saúde. CFM libera redução de estômago em caso de diabete. Mudança segue padrões já adotados nos EUA e na Europa e tem como objetivo o controle da doença/Oriente Médio. Após convocação de Intifada, Israel ataca Hamas/Exército retalia lançamento de foguetes pelo grupo islâmico; na Cisjordânia, 31 ficam feridos durante ato/Palestinos protestam contra decisão de Trump. Trump obedeceu à vontade do povo, diz Tillerson/Com prisão decretada, Cristina diz ser perseguida. Ex-presidente diz que violações do Estado de direito no país são dirigidas pelo presidente Mauricio Macri. 

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Temer quer acelerar retomada com pacote de bondades para empresas. Medidas miram construção e eletroeletrônicos, setores que são grandes empregadores/Fogo nos EUA. Incêndios na Califórnia deslocam 200 mil pessoas e atingem Los Angeles/PSDB pode ganhar ou perder, mas precisa manter valores, diz FHC. Ex-presidente defende reformismo e diz que tucano Alckmin tem a ‘simplicidade’ como ativo/Renato Terra: Nova espécie de tucano não voa para a direita nem para a esquerda/Presidenciáveis. Alckmin prioriza a economia para neutralizar ambição de Meirelles/Huck diz que não estava preparado para ‘pauladas’/Bolsonaro empregou e promoveu a sua mulher em gabinete na Câmara/Previdência. Busca por votos. Governo avalia devolver cargos a punidos por votar contra o governo/Mônica Bergamo: Marcelo Odebrecht passará o seu 1º Natal fora da prisão sem os pais/Painel: CPI pede que tratativas de delação sejam filmadas desde o seu início/Análise: Inovações do Supremo geram uma série de incertezas sobre imunidade. Tendência da corte é de restringir imunidades parlamentares como resposta à crise da política/Refundação do país não tem volta, diz Barroso em palestra nos EUA/São Paulo. Alckmin derruba verba e usa 38% do previsto para evitar enchentes/Educação. Justiça manda prender ex-professor acusado de desviar dinheiro na USP/Economia. Preço do gás abala o orçamento de 67% dos brasileiros, diz Datafolha. Desempregada usa galhos em fogão improvisado/Combustíveis. Mantega tinha palavra final sobre reajuste, diz ex-chefe da Petrobras/São Paulo. Doria guia agenda para a periferia para tentar melhorar avaliação. Prefeito define o Tatuapé como ‘região periférica’/Patrícia Campos Mello. Reconhecimento de Jerusalém não é tudo isso, para o bem e para o mal/Hélio Schwartsman. Decisão de Trump é esquisita/Corrupção no futebol. Promotoria mostra rota da propina para Marin e gastos de US$ 118 mil.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.