Grampo no STF:

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), considerou nessa terça-feira (17) algo “gravíssimo” e uma “desfaçatez” a instalação de um aparelho de grampo no seu gabinete.
STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), considerou nessa terça-feira (17) algo “gravíssimo” e uma “desfaçatez” a instalação de um aparelho de grampo no seu gabinete. O aparelho foi encontrado pela Secretaria de Segurança da Corte no dia 11 de abril, durante uma varredura de rotina.

Segundo o ministro, do ponto de vista pessoal, o grampo não representa nenhum risco.

“Estou totalmente tranquilo e confortável. Aqui recebo pessoas em audiência e converso com meus assessores sobre os processos. A gravidade é alguém saber, por antecipação, o que, eventualmente, estou pensando em fazer em um processo. Fora isso, aqui é um espaço totalmente republicano, de modo de que não há risco de aparecer qualquer coisa errada”, disse Barroso, ressaltando que costuma escrever em casa, a mão, os votos.

O ministro informou ainda que o aparelho, escondido dentro de uma caixa de cabos telefônicos, estava “desativado”. Barroso afirmou não ter ideia de quando o grampo pode ter sido instalado. “Não era uma escuta ativa. Não tenho a menor ideia do que possa ser. Se alguém disse que isso estava aí antes de eu tomar posse, não saberia dizer.”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.