Habeas corpus de Lula no STF é o destaque absoluto das manchetes dos jornais

Edição: Sérgio Botêlho  Habeas corpus de Lula no STF é o destaque absoluto das manchetes dos jornais. À unanimidade, jornais realçam, em suas manchetes, posicionamentos contrários à concessão do habeas

Edição: Sérgio Botêlho 

Habeas corpus de Lula no STF é o destaque absoluto das manchetes dos jornais. À unanimidade, jornais realçam, em suas manchetes, posicionamentos contrários à concessão do habeas corpus ao ex-presidente. Nos três jornais. os editoriais são contrários às pretensões da defesa de Lula.

JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Para Dodge, exagero de recursos ‘aniquila’ Justiça. STF julga habeas corpus de Lula dividido e sob pressão. Dois ministros negam que resultado possa beneficiar outros condenados. O julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula no STF, hoje, pode ir além da garantia de liberdade ou não ao petista, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. Um resultado favorável a Lula poderá levar a uma nova jurisprudência. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou que “o Judiciário vinha entendendo que só se pode executar uma sentença após quatro instâncias judiciais confirmarem a condenação”. Para ela, “este exagero aniquila o sistema de Justiça exatamente porque uma Justiça que tarda é uma Justiça que falha”. Os ministros Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski disseram que o habeas corpus valeria apenas para Lula, sem estabelecer regra para outros condenados/

Chefe do Exército cria polêmica. ‘Quem está pensando no bem do país?’, pergunta comandante do Exército/

R$ 10 bilhões. Congresso dá alívio a ruralistas. Refis é estendido a microempresas, e tributação de fundos deve caducar. Afago a microempresa. Temer e o ministro Meirelles realizaram evento para comemorar a derrubada do veto. O Congresso derrubou os 24 vetos do presidente Temer à renegociação de dívidas de produtores rurais, com impacto de R$ 10 bilhões no Orçamento. E o próprio governo negociou a derrubada do veto ao Refis das microempresas/

Onda de crime no Rio. Roubos têm pior patamar desde 1991. Seis tipos de crime atingem, no primeiro bimestre, os piores patamares da série histórica/

Investimentos. Petróleo deve trazer US$ 100 bi. Leilão de blocos em Campos e Santos vai render até US$ 100 bi em investimentos no Rio/

Obituário. Luiz Garcia, mestre do jornalismo, morre aos 81. Em seis décadas de profissão, um mestre de texto impecável que formou gerações de repórteres/

TV da Colômbia exibe sequestrados. Equipe do ‘El Comercio’ foi sequestrada na fronteira com Colômbia/

Pressão nas ruas. Milhares de pessoas saíram às ruas em ao menos 23 estados e no Distrito Federal para cobrar do STF a prisão do ex-presidente Lula. Em São Paulo, manifestantes de verde e amarelo ocuparam trecho da Avenida Paulista/

Dono do grupo Libra admite à PF que se encontrou com Temer. Gonçalo Torrealba prestou depoimento ontem na Operação Skala/

Cunha: MP dos Portos favoreceu Odebrecht. Empreiteira foi sócia da Embraport, que operava terminal em Santos/

No PMDB, Meirelles tenta virar nome do governo ao Planalto. Ministro se filia à sigla de Temer e quer defender ‘legado’ na eleição/

Com atraso e multa, Maluf devolve imóvel da Câmara. Deputado afastado está em prisão domiciliar e perdeu benefícios/

Prefeito e vereadores são presos na Paraíba. Políticos de Cabedelo são acusados de desviar R$ 18 milhões/

Rio. Roubos têm pior patamar desde 1991. Seis tipos de crime atingem, no primeiro bimestre, os piores patamares da série histórica/

Míriam Leitão: STF deve barrar prisão após segunda instância e dar habeas corpus a Lula/

Merval Pereira: Julgamento impõe a Rosa Weber a responsabilidade de decidir/

Elio Gaspari. Presos sem julgamento do andar de baixo são os sem-instância/

Bernardo Mello Franco: Julgamento virou guerra de torcidas por ser determinante para a eleição/

Lyidia Medeiros: Ponto de virada. Com visões opostas sobre a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, os ministros do STF Gilmar Mendes e Luiz Fux concordam em um ponto: Lula está inelegível/

Editorial1: ‘Lula no STF representa a impunidade’. O julgamento pode representar a volta de um tratamento não republicano a poderosos e ainda estender a falta de punição a criminosos de todo tipo/

Editorial2: Aumento da violência é desafio para intervenção. Pelo que se viu nas ruas, especialmente durante o carnaval, já era de se esperar que os números da violência em fevereiro fossem ruins — a situação era tão caótica que o governo federal decretou intervenção na segurança do Rio. Mas as estatísticas divulgadas ontem pelo ISP se revelam ainda piores do que se poderia imaginar. Uma análise feita pelo GLOBO mostra que, nos dois primeiros meses de 2018, alguns índices atingiram os piores patamares em quase 30 anos.

 

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: STF define futuro de Lula; chefe do Exército diz repudiar ‘impunidade’. Supremo analisa hoje recurso contra prisão de ex-presidente; Eduardo Villas Bôas se manifesta e generais apoiam o comandante/

Vetos de Temer caem e podem custar R$ 13 bi. Contas públicas. Parlamentares retomaram projetos que já tinham sido vetados por Temer, como o programa de parcelamento de dívidas para micro e pequenas empresas e o Funrural, ambos usados como moeda de troca para aprovação da reforma da Previdência/

Manifestações nas ruas. Em menor número, foram realizadas manifestações a favor da concessão de um habeas corpus e da liberdade de Lula/

Planalto aposta que Lula irá para prisão domiciliar. O resultado do julgamento do HC do ex-presidente Lula causa apreensão no Planalto. A maior preocupação é com a forte reação popular caso os ministros do Supremo livrem o petista da prisão. Não há dúvidas de que esse resultado levará o povo às ruas e o governo também vai virar alvo das manifestações. O que não significa que haja torcida para que Lula seja preso. A aposta no Planalto é que a Corte tomará nesta quarta, 4, uma decisão política e pelo caminho do meio. Colocará o petista em prisão domiciliar, livrando-o do regime fechado/

2ª instância gera ‘confusão’, diz Gilmar. Para ministro do STF, tema poderá ser retomado no julgamento de hoje; ele fala que condenação de Lula é ‘mancha para imagem do País’/

Currículo do ensino médio deixa de ter conteúdo dividido por série. Educação. A BNCC da etapa descreve habilidades de forma geral, sem indicar progressão de acordo com a idade do aluno; Física, Química, Biologia, História e Geografia são abordadas de forma interdisciplinar. Formação de professores preocupa especialista/

São Paulo recebe cem venezuelanos. Eles sairão de Boa Vista em um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) e ficarão acomodados em dois Centros Temporários de Acolhida/

Editorial1: A hora escura do Supremo. Quem quer que se sinta contrariado com a decisão de hoje não reconhecerá a legitimidade do resultado. E isso só acontece porque o STF não vem se dando ao respeito. A concessão de um indulto não será apenas para Lula, mas para todos os condenados em crimes de corrupção/

Editorial2: O grande circo. Após o retumbante fiasco de sua “caravana” pelo Sul do País, o ex-presidente Lula da Silva encontrou na cidade do Rio de Janeiro o local propício para repetir a velha ladainha para seu rebanho de fiéis: um circo/

Editorial3: Uma recuperação trabalhosa. Os sinais vitais da economia melhoram, mas a herança petista continua presente.

 

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Sob pressão, STF julga habeas corpus de Lula. Em caso de vitória do petista, advogados de outros réus explorarão precedente. O Supremo Tribunal Federal retoma hoje a análise do habeas corpus preventivo pedido pela defesa do ex-presidente Lula para evitar que o petista seja preso. Em janeiro ele foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão em segunda instância por corrupção e lavagem. Seus advogados argumentam que a detenção agora contraria o princípio constitucional da presunção de inocência, pois ainda há recursos a cortes superiores. Se a decisão favorecer Lula, deve surgir um precedente a ser explorado por outros réus, inclusive da Lava Jato. Advogados adiantam que usarão uma eventual vitória do petista para tentar libertar clientes presos após o fim dos recursos em segunda instância. Procuradores veem risco de um efeito em cascata, o que tornaria inócuas iniciativas da operação e estimularia a impunidade. Nesta terça (3), houve em várias cidades —São Paulo, Rio, Salvador e Curitiba entre elas— manifestações favoráveis à prisão de Lula. Durante a sessão de hoje do STF, são esperados atos a favor e contra o ex-presidente. A segurança no tribunal estará reforçada/

Raquel Dodge: Executar sentença após 4 instâncias é exagero revisional. O julgamento do habeas corpus de Lula põe à prova o maior avanço do sistema penal. Executar sentença só após quatro instâncias é um exagero revisional que aniquila o sistema, porque a Justiça tarda e, por isso, falha/

Na véspera de julgamento sobre Lula, comandante do Exército diz repudiar impunidade/

Cúpula das Forças diz que intenção era ‘reforçar’ posição contra guinada no STF/

Governo do Paraná avalia locais para a prisão do petista/

Aliados já planejam contingência para eventual detenção/

Hélio Schwartsman: Exceto pelo agrado às torcidas, decisão não altera quadro político/

Elio Gaspari: Discussão sobre as instâncias só vale para o andar de cima/

Parlamentares derrubam veto do presidente ao Refis do Simples. O governo deve perder bilhões em receita com derrotas e concessões políticas. Parlamentares derrubaram o veto do presidente Michel Temer ao Refis para empresas do Simples. 0 programa de regularização de dívidas tributárias deve ter impacto negativo de R$ 7,8 bilhões em 15 anos. 0 Planalto aceitou ainda negociar o Funrural (para produtores rurais que devem à Previdência) e deverá perder medida provisória que tributa fundos/

Com dois casos em macacos, febre amarela chega ao litoral norte de SP/

Mônica Bergamo: Governo proibirá novos cursos de medicina até 2023. O governo Michel Temer (MDB) vai decretar moratória para impedir a abertura de novos cursos de medicina por cinco anos. A portaria será assinada nesta quinta (5). A decisão já estava tomada desde o ano passado, mas a resistência política à medida retardou a assinatura/

Editorial1: Não se trata de Lula. A possibilidade de prisão de condenados em 2ª instância se mostrou decisão meritória/

Editorial2: Bem longe da paz. Israelenses e palestinos não demonstram disposição genuína para buscar convivência.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.