Manchetes com críticas a não cumprimento de promessas de campanha, perda de recursos de saúde e educação e falta de controle sobre renúncia fiscal se destacam na mídia

Edição: Sérgio Botêlho MANCHETES DOS JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Pezão não cumpriu 72 de 100 promessas. Teleférico na Rocinha e 50 novas UPPs ficaram no
Eleições 2018, renúncia fiscal e Pezão são destaques

Edição: Sérgio Botêlho

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Pezão não cumpriu 72 de 100 promessas. Teleférico na Rocinha e 50 novas UPPs ficaram no papel. Governador atribui resultado à recessão e à queda nos preços do petróleo, que afetaram fortemente o Rio, e afirma que seu principal legado será o ‘fôlego’ financeiro que deixará para o sucessor/CGU barra repasse de meio bilhão a centrais. A Controladoria-Geral da União (CGU) determinou a suspensão de um repasse de R$ 500 milhões às centrais sindicais, após auditoria encontrar fraudes no processo. O dinheiro faz parte de um saldo residual da contribuição sindical obrigatória, que foi extinta na reforma trabalhista, em novembro passado/Réus por tortura são promovidos. Seis PMs de Goiás que são réus por suspeita de tortura, no primeiro caso desse tipo no país com investigação do Ministério Público Federal, subiram na hierarquia. A polícia diz que a investigação está em curso e que eles não foram condenados/Nomeação é alvo de ação na Justiça. Um grupo de advogados trabalhistas entrou com ações na Justiça Federal para suspender a nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) como ministra do Trabalho. Eles alegam que, se ela infringe leis trabalhistas, não pode ocupar o cargo/Em risco, Segurança Presente prendeu 7 mil. Operação, que pode ser suspensa por falta de financiamento, ajudou a derrubar índice de roubos na Lagoa. A Operação Segurança Presente, que pode ser suspensa por falta de financiamento, prendeu quase sete mil suspeitos na Lagoa, no Aterro, no Méier e no Centro desde que foi implementada, em dezembro de 2015.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Saúde e educação perdem R$ 472 mi para campanhas. Fundo eleitoral criado pelo Congresso também retirou verbas de áreas como segurança e infraestrutura. O fundo eleitoral criado pelo Congresso para custear as campanhas deste ano com recursos públicos levou à perda de R$ 472,3 milhões originalmente destinados pelos parlamentares para educação e saúde, informa Felipe Frazão. Levantamento feito pelo Estado aponta que o fundo receberá R$ 121,8 milhões remanejados da Educação e R$ 350,5 milhões da Saúde. O valor corresponde à transferência de dinheiro das emendas de bancadas – que seria destinado a esses setores – para gastos com as campanhas eleitorais deste ano. O fundo, aprovado em 4 de outubro do ano passado, é uma alternativa à proibição pelo Supremo das doações empresariais e receberá, no total, R$ 1,75 bilhão. Além das verbas de saúde e educação, R$ 828 milhões foram retirados de áreas como segurança pública, infraestrutura, obras contra a seca e agricultura. Universidades também foram afetadas/Sem populismo. Em entrevista à coluna Direto da Fonte, o cientista político Rubens Figueiredo diz que “ou o País expulsa o populismo ou vamos cair num buraco do qual será muito difícil sair depois”/Procurador das pedaladas ataca flexibilização da regra de ouro. O procurador Júlio Marcelo de Oliveira, que denunciou as pedaladas no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), diz que não há espaço para aventura fiscal em ano de eleições. Em entrevista a Adriana Fernandes, ele afirma que a flexibilização da “regra de ouro”, como vem sendo negociada pelo governo com a Câmara dos Deputados, é sinal de que responsabilidade fiscal não é um valor fundamental/BNDES planeja mudar perfil e passar a investir em pequenos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) quer acelerar investimentos em companhias em estágio inicial em 2018. Depois de concentrar investimentos em líderes setoriais nos últimos anos, a ideia é dar espaço às ‘campeãs invisíveis’, como o banco vem chamando pequenas empresas e projetos de inovação/BNDES planeja mudar perfil e passar a investir em pequenos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) quer acelerar investimentos em companhias em estágio inicial em 2018. Depois de concentrar investimentos em líderes setoriais nos últimos anos, a ideia é dar espaço às ‘campeãs invisíveis’, como o banco vem chamando pequenas empresas e projetos de inovação/Brasileiro critica Maduro e oposição. Expulso da Venezuela, Jonatan Diniz afirmou nos EUA que está “bem”. Ele admite ter protestado contra Maduro, mas critica a oposição. “Tortura depende do ponto de vista”, disse a Cláudia Trevisan/Foto-legenda: Meninas mães. Na última década, País não conseguiu reduzir gravidez na faixa etária de 10 a 14 anos, a de maior risco. O Amapá é um dos estados com a maior proporção de meninas que dão à luz com menos de 15 anos e mais óbitos nessa situação/Coluna do Estadão: O TST vai julgar em fevereiro ação que pede a retirada de dependentes de funcionários dos Correios dos planos de saúde/Cida Damasco: Crise na segurança pública se repete e clima eleitoral pode polarizar debate/Só Alckmin vence Lula, diz Beto Richa.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Renúncia fiscal cresce sob controle frágil, afirma TCU. Fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União) constatou que 53% dos programas de benefício tributário do governo federal não contam com órgão gestor responsável, o que compromete seu monitoramento./Temer explicará nova Previdência em programas populares de TV/Painel: O presidente Michel Temer (MDB) decidiu gravar participações em programas populares de televisão para explicar a proposta de reforma da Previdência Social. Os compromissos foram acertados neste domingo (7) com o dono do SBT, Sílvio Santos. O empresário e apresentador disse não entender o que será votado/TRF-4 passa ação de Lula à frente de sete da Lava Jato. Ao marcar o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o próximo dia 24, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região deixou pendentes sete processos da Lava Jato cujos recursos chegaram antes à corte. O juiz revisor tem dito que leva em conta a complexidade de cada caso/Bolsonaro se diz Vítima de calúnia’ sobre patrimônio/Sobe aprovação à pena de morte, aponta Datafolha. O apoio à aplicação da pena de morte no Brasil cresceu, segundo pesquisa Datafolha feita no final de novembro. Pelo levantamento, 57% dos entrevistados se disseram favoráveis à adoção da penalidade capital. Em um levantamento anterior, de 2008,47% tinham essa opinião/Folhainvest: Selic menor reduz retorno da renda fixa, e opção é título privado.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Pezão ainda não cumpriu 72 de 100 promessas que fez quando foi eleito. Governador atribui resultado à recessão e à queda do preço do petróleo/CGU aponta fraude e desvio de dinheiro de contribuição sindical no Ministério do Trabalho. Controladoria manda suspender repasse de R$ 500 milhões às centrais/PMs de Goiás acusados de maus-tratos sobem na hierarquia. Grupo é acusado de torturar em 2010 um jovem para que ele confessasse dois estupros que não cometeu/Governador descansava em praia de PE durante crise nos presídios. Rebelião no primeiro dia do ano terminou com nove presos mortos/Advogados vão à Justiça para impedir posse de nova ministra do Trabalho. Movimento de profissionais da área trabalhista promete ações contra a deputada Cristiane Brasil, como no caso da nomeação de Lula/Elio Gaspari: Roberto Jefferson, o símbolo de uma modernidade. O ex-deputado simboliza o anacronismo da elite do país/José Casado: Troca em ministérios expõe debilidade do governo Temer. Presidente vai mudar quase metade dos ministros/‘Não sofri maus-tratos’, diz brasileiro após deixar Venezuela. Preso e depois expulso do país, Jonatas Diniz desabafa: ‘Quando um povo se une não há governo que não se amedronte’/’Do coração, eu não morro mais’, diz mãe de brasileiro/

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Saúde e educação perdem R$ 472 mi para fundo que banca campanhas. Fundo eleitoral criado pelo Congresso também retirou verbas de áreas como segurança e infraestrutura/Redução foi de 30% para custear fundo eleitoral/Após política das ‘campeãs nacionais’, BNDES quer impulsionar as pequenas. Criticado por colocar muito dinheiro em poucas companhias, banco mira firmas em estágio inicial/Recursos viabilizam crescimento e aquisições/Globo de Ouro celebra e fortalece as mulheres. Tradicional premiação ocorreu na Califórnia;  ‘Lady Bird’ e ‘Três Anúncios Para um Crime’ foram bem/‘O tempo dos abusadores já acabou’, afirma Oprah Winfrey em cerimônia. Apresentadora e atriz falou sobre  racismo e desigualdade de gênero ao ser homenageada/’Tortura depende do ponto de vista’, diz brasileiro preso pelo chavismo. Diniz, acusado de conspirar contra o governo, foi expulso do país no sábado e está nos EUA/Brasileiro preso foi confundido com americano/Maia diz que Meirelles deveria apresentar agenda pós-reforma da Previdência. O presidente da Câmara voltou a lamentar que reforma não tenha sido aprovada em 2017/Em programa, Luciano Huck não descarta candidatura no futuro. Apresentador falou pela primeira vez sobre o assunto na TV e disse não ser ‘salvador da pátria’/Liberação de emendas de deputados e senadores bate recorde com Temer. Em ano de delação da J&F e denúncias, valor gasto com verbas indicadas chega a R$ 10,7 bi em 2017.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Apoio à pena de morte bate recorde entre brasileiros, aponta Datafolha. Índice de favoráveis chega a 57%; marca cresceu 10 pontos percentuais em nove anos/Em 1861. Último condenado à morte no país cavou própria cova dentro de igreja/Maioria é contrária à ampliação do porte legal de armas, diz Datafolha. 56% dos entrevistados se dizem contrários ao porte legal para todos os cidadãos; índice fica estável em relação à ultima pesquisa, após apresentar queda nos últimos anos/Eleições 2018. Após reportagem sobre patrimônio, Bolsonaro fala em blog em ‘calúnia’/Elio Gaspari: FHC duvida que candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência voe/Lava-jato. Cármen Lúcia nega liminar e Andrade amarga derrota no STF. Essa é a primeira derrota de uma das construtoras que fecharam acordo de leniência com a Lava Jato, informa a coluna Painel/Só pressão internacional impede o fim da Funai, diz indigenista/Com polícia em greve, RN vive crise de caixa e escalada de crimes/Fugiu em novembro. Chefe de facção responsável por rebeliões em Goiás é preso no RJ/Eduardo Villas Boas: Com doença degenerativa, general diz ter ‘forças’ para chefiar Exército. Sintomas são de doença sem cura e ‘cruel’/

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.