Violência, corrupção e segurança pública são os destaques das manchetes dos jornais

Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Prisões do Rio abrigam rede de fraudes, tráfico e mortes. Corrupção no sistema prisional favorece a ‘venda de

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Prisões do Rio abrigam rede de fraudes, tráfico e mortes. Corrupção no sistema prisional favorece a ‘venda de facilidades’ Investigações dos ministérios públicos Estadual e Federal encontraram violações que vão de fraudes em contratos públicos, como o das quentinhas, à entrada de celulares e drogas nas cadeias/Manhã de horror. Oito mortos em guerra na Rocinha. Após morte de PM e morador há três dias, favela tem novo confronto entre agentes do Choque e traficantes/

Perfis são banidos após ‘fake news’. Origem de notícias falsas sobre vereadora foi revelada em reportagem. Facebook exclui perfis que faziam parte de esquema para difamar vereadora morta, como revelou O Globo/

  1. 50 anos depois. Assassinatos que sacudiram o país. Geração que viu a morte de estudante diante do Calabouço e lutou contra a ditadura volta às ruas após assassinato de vereadora/

Contra as armas. Protestos por controle de armas param Washington e metrópoles, pressionando Congresso/

Sérgio Côrtes: ‘Eu não queria ter ido para uma cela com o Cabral’/

Elio Gaspari. Caravana mostra que Lula, seus adversários e o país mudaram. Lula e seus adversários mudaram para pior. O Brasil, quem sabe/

Ancelmo Gois: COB envia carta ao COI para se livrar de acervo da Rio-2016. Pela primeira vez desde que o Barão de Coubertin criou os Jogos Olímpicos, em 1894, um comitê local desdenha da memória da competição planetária que ajudou e patrocinou. Acredite. O COB enviou carta ao COI dizendo que não quer o acervo da Rio-2016 — fotos, tochas e até fantasias de mascotes —, hoje guardado em salas de um prédio comercial no Centro; só com documentos, incluindo as plantas dos projetos, há duas mil caixas/

Merval Pereira: STF irá contra sua jurisprudência se conceder habeas corpus a Lula. O julgamento do habeas corpus em favor do ex-presidente Lula no dia 4 de abril colocará o Supremo Tribunal Federal (STF) diante de um dilema que obrigará a eventual nova maioria contra a prisão em segunda instância a se pronunciar sobre o mérito do processo, antecipando uma disputa jurídica com o Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Ficará claro, caso o habeas corpus seja concedido, o que todo mundo já comenta: o STF está tomando uma decisão contrária à sua própria jurisprudência/

Dorrit Harazim: Sem assessores, Trump segue bússola que só ele sabe decifrar/

Ascânio Seleme: Para salvar Lula, o tribunal está prestes a decidir em favor da impunidade num dos momentos mais constrangedores da história da Justiça/

Bernardo Mello Franco: Reunião de Aécio e Joesley faz um ano, e STF ainda não analisou o caso/

Lauro Jardim: Triangulações perigosas. A delação premiada de Luiz Carlos Velloso, ex-subsecretário de Transportes do Rio de Janeiro, não atinge apenas seu ex-chefe, o deputado Júlio Lopes. Já homologada pelo ministro Dias Toffoli, a colaboração tem um anexo em que a estrela é o ministro do TCU Augusto Nardes. Velloso detalha triangulações de que participou que envolviam Nardes — algumas com empreiteiro Fernando Cavendish e outras com o ex-diretor da Petrobras Renato Duque/

Padrinho Jovair pôs ‘171’ na linha de frente do Trabalho. Servidor processado por estelionato atuou em pagamento suspeito/

Editorial1: A queda dos juros não chega aos guichês. Com a redução vertiginosa da taxa básica, fica ainda mais escandalosa a enorme diferença entre a Selic e o que os bancos cobram nos vários tipos de crédito/

Editorial2: Onda de autoritarismo ameaça ordem mundial. Culto à personalidade e eliminação da alternância de poder geram tensões globais e regionais, tornando o mundo contemporâneo menos seguro.

 

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Após caixa 2, Maduro liberou US$ 4 bilhões para Odebrecht. Investigação mostra que empreiteira repassou US$ 35 mi a campanha; parte das obras foi financiada pelo BNDES/

Partidos se articulam para aumentar fundo eleitoral. Articulação entre siglas da base e governo tenta aumentar a reserva destinada às campanhas, no valor de R$ 1,7 bi; alternativa é usar recursos da reoneração/

Entrevista. Eduardo Giannetti. ‘Governo virou gestor de folha de pagamento’. Economista critica ‘intervencionismo truculento’ de Bolsonaro e diz que Marina precisa de um vice experiente/

Estudos indicam novas formas de tratar o autismo. Saúde. Estudos da farmacêutica Roche e da USP não prometem cura, mas revelam novas estratégias de tratamento associados às terapias comportamentais já indicadas; mais avançado, trabalho da indústria poderia melhorar habilidades de comunicação e motoras/

Caso Facebook expõe risco de dados na web. Uso ilícito de informações de 50 milhões de usuários da rede social teve origem em um ‘quiz’ divertido sobre hábitos da vida digital/

Operação na Rocinha deixa oito mortos. Troca de tiros entre PM e suspeitos durou quase 1 hora; situação é tensa desde quinta/

Eliane Catanhêde: Todos por um. Combinação de fim da prisão em segunda instância e fim do foro privilegiado é explosiva. A garantia de liberdade para o ex-presidente Lula foi adiada por mais treze dias, porque os ministros do Supremo tinham pressa para pegar o avião, mas é só uma questão de tempo. Resultado do plenário não se arrisca de véspera, mas tudo indica que o habeas corpus será concedido em 4 de abril, livrando Lula da cadeia e abrindo a avenida que leva ao fim da prisão em segunda instância e a uma encruzilhada para a Lava Jato/

Vera Magalhães: Os órfãos de Lula. Votos do ex-presidente não necessariamente vão todos para as opções de esquerda. Lula ganhou algum tempo no Supremo Tribunal Federal e pode até ter a prisão postergada indefinidamente caso os ministros lhe concedam habeas corpus após o longo feriado da Páscoa Suprema. Mas dificilmente será capaz, também, de engavetar a Lei da Ficha Limpa e estar na cédula em outubro. E para onde irá um patrimônio de espantosos quase 30% dos votos já declarados?/

Jabuti libera nomeação política em estatais. Projeto de lei que tramita em regime de urgência no plenário da Câmara revoga trechos da Lei das Estatais. O “jabuti” foi incluído em proposta que trata da modernização do setor de turismo no País, sem nenhuma relação com o tema. O relatório do deputado Paulo Azi (DEM-BA) anula a proibição de dirigentes partidários de ocuparem cargos em empresas públicas. E extingue o parágrafo que proíbe nomear parentes de congressistas. O deputado encaminhou essa versão para o Planalto em busca de aval para o texto. Recebeu recados para recuar/

Análise das contas de 2018 só em 2023. TSE e tribunais regionais eleitorais não têm estrutura para fiscalizar contas partidárias na 1.ª eleição com aumento do financiamento público/

Por Marina, Rede lança 13 pré-candidatos a Governo. Partido já definiu pelo menos 13 pré-candidatos a governador; falta de recursos para a eleição, no entanto, é problema para a sigla/

General Mourão critica tribunal por dar salvo-conduto a Lula. Militar usa redes sociais para atacar posição da Corte e fez ameaça aos ministros: ‘Cuidado com a cólera das legiões’/

Supremo quer melhorar imagem de TV. Corte pretende colocar em funcionamento a partir de agosto novo sistema de câmeras em alta definição na emissora oficial do Judiciário/

Editorial1: O Supremo genuflexo. O STF apequenou-se perante Lula. Num espetáculo indigno de uma Corte cuja função é ser obstáculo a excessos do poder, a maioria aceitou prestar vassalagem ao chefão petista/

Editorial2: A barganha com a lei.  O Estado anuncia que o presidente Michel Temer pretende autorizar a Caixa Econômica Federal a conceder empréstimos a Estados e municípios sem o aval do Tesouro, apenas com garantias de receitas tributárias. Tendo em vista a proibição constitucional a esse tipo de operação, o Conselho da Caixa havia suspendido no início do ano esses financiamentos. No entanto, a pressão política é intensa – governadores e prefeitos estão à caça de recursos para seus projetos, especialmente em ano eleitoral – e o Palácio do Planalto dá sinais de que não resistirá/

Editorial3: Em honra das vítimas. Está prevista para o verão de 2019 a conclusão das obras de reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), localizada na Península Keller, no interior da Baía do Almirantado, na Ilha Rei George.

 

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Ação no Rio é aprovada por 76%; maioria não vê melhora. Cariocas reconhecem notícias falsas sobre a vereadora morta Marielle Franco, mostra Datafolha. A maioria dos cariocas ê favorável à intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, mostra pesquisa Datafolha realizada nesta semana. Segundo o questionário, feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública na capital, 76% são favoráveis à ação e 20%, contra. A margem de erro é de três pontos percentuais. A intervenção foi decretada em 16 de fevereiro pelo presidente Michel Temer. Desde então, o Exército é o responsável pelo combate à violência no estado. Para 71% dos entrevistados, não houve melhorias no período. Ainda assim, 52% esperam ver avanços até o fim da ação, em dezembro. A pesquisa, que ouviu 1.012 pessoas, mostra ainda que a maioria recebeu notícias falsas sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) em celulares e redes sociais. A maior parte soube distinguir essas informações das verdadeiras/

Ao menos seis pessoas foram mortas pela PM no sábado (24) durante tiroteio na Rocinha, no Rio/

O que pensam os eleitores de Jair Bolsonaro. Folha convida simpatizantes do deputado para uma conversa franca/

Política identitária não ganha eleição, afirma MarkLilla. Mark Lilla se tornou o mais odiado dos pensadores de centro-esquerda dos EUA ao criticar, após a eleição de Donald Trump, a política identitária abraçada pelos democratas. Para ele, a segmentação do eleitorado reduz a capacidade de criar uma visão de país que vença eleições/

Ministério Público recebe R$ 1,3 bilhão além dos salários. Procuradores e promotores receberam juntos R$ 1,3 bilhão em benefícios como como auxílio-moradia, alimentação, transporte, prê-escola e funeral em 2017. Segundo levantamento feito pela Folha, a cada R$ 5 recebidos por promotores e procuradores, R$ 1 é penduricalho/

Elio Gaspari. Lula e adversários mudaram para pior; o Brasil, quem sabe/

Temer prepara pacote eleitoral, com anúncios e inaugurações. Enquanto tenta viabilizar a candidatura à reeleição, o presidente Michel Temer (MDB) prepara inaugurações e anúncios até julho, prazo legal para a presença de candidatos nesses eventos. O pacote inclui reajuste do Bolsa Família, entrega de moradias e de terminais em aeroportos. A estratégia busca elevar a popularidade de 6% e construir narrativa de legado para o país/

Marcha. Protesto em Washington contra venda de armas, parte de grande manifestação em 800 cidades dos EUA após novo massacre em escola/

Para escapar da crise, elite venezuelana migra para o Panamá/

Editorial1: Esperança e realidade. De modo pragmático, vasta maioria dos cariocas apoia a intervenção na segurança do estado, mas também aponta que ainda não há melhora/

Editorial2: Marcha insensata. Os Estados Unidos deram novo passo na escalada de tensões no comércio global. Depois de elevar as tarifas de importação de aço e alumínio, o presidente Donald Trump decidiu impor sanções sobre até US$ 60 bilhões em compras anuais de produtos da China. No âmbito estritamente comercial, a nação emergente tem mais a perder, ao menos de imediato. Mas Pequim dispõe de outras armas na disputa, como a possibilidade de dificultar a ação de empresas americanas em seu território. Pode ainda abalar o mercado financeiro com a venda de títulos da dívida do rival, seu devedor.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.