Prisão de Lula continua dominando as manchetes dos jornais

Prisão de Lula continua dominando as manchetes dos jornais. Prisão de Lula: Efeitos sobre o PT e reação dos presidenciáveis são os destaques das manchetes da mídia impressa Edição: Sérgio

Prisão de Lula continua dominando as manchetes dos jornais. Prisão de Lula: Efeitos sobre o PT e reação dos presidenciáveis são os destaques das manchetes da mídia impressa

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Reação à prisão de Lula e eleição racham PT. Uma ala defende elevar ataques, e outra crê que isso piora situação. Nos últimos anos, ex-presidente sempre deu a palavra final e agiu para unificar o partido. Com o ex-presidente Lula preso, o PT está rachado sobre que estratégia adotar em relação ao Supremo Tribunal Federal e que rumo tomar na eleição deste ano. Uma ala defende aumentar os ataques ao Judiciário, enquanto outra acredita que isso pode complicar a situação do ex-presidente. A sigla também não está unida em torno de quem pode substituir Lula na disputa pela Presidência neste ano nem em relação a possíveis alianças eleitorais/

Após confronto, polícia bloqueia quarteirão da sede da PF, no PR. Em SP, polícia abre inquérito sobre homem agredido no Instituto Lula/

Entidades criticam ataques à sede de TV e a jornalistas. Prédio da TV Verdes Mares, em Fortaleza, foi alvo de pichações e teve portas quebradas/

Paulo Guedes: Maldição dirigista. A prisão de Lula anuncia o estado de direito e o fim da impunidade. Mas só a reforma econômica pode regenerar a classe política/

PP passa PMDB e PSDB e é 2ª maior bancada. DEM foi o que mais cresceu; PT perdeu 12 deputados desde a posse, mas ainda é o líder na Câmara/

O mais novo negócio das milícias no Rio: imóveis. Investigadas por cobrar taxas de proteção e explorar a distribuição de sinal clandestino de TV a cabo e os transportes alternativos, as milícias estão expandindo seus negócios para o mercado imobiliário. Inquéritos mostram que essas quadrilhas controlam toda a cadeia da atividade ilegal, desde a grilagem e a construção dos imóveis até a corretagem. Em bairros da Zona Oeste, milicianos invadem áreas públicas e de proteção ambiental para fazer loteamentos ou extrair pedra e saibro/

Forças Armadas fazem patrulhamento à noite. Porta-voz do Exército diz que tropas já estão nas vias expressas e que inteligência agirá contra milícia/

TCU quer manter bloqueio de bens da Odebrecht. Relatório aponta prejuízos de R$ 16 bilhões, mas acordo de leniência só prevê devolução de R$ 3,14 bilhões/

Para fiscais, reparação deve ter valor maior. Empreiteira {Odebrecht} questiona parâmetros de auditorias do Tribunal de Contas/

Editorial: Rumo à representação. Fim do imposto, pedido por Lula nos anos 70, combate sindicatos cartoriais, sem base.

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Presidenciáveis disputam espólio eleitoral de Lula. Estratégias incluem programas com ênfase na área social e busca por votos do ex-presidente no Nordeste. A seis meses das eleições, pré-candidatos à Presidência se articulam para conquistar votos de Luiz Inácio Lula da Silva, preso anteontem sem ter indicado um herdeiro no PT. Ênfase na área social e busca pelo espólio do ex-presidente no Nordeste fazem parte da estratégia de pré-candidatos mais identificados com o centro e a esquerda. Documento da Rede, partido de Marina Silva, propõe vincular programas de distribuição de renda, como o Bolsa Família, a políticas de formação profissional e trabalho. Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira afirmou que a candidatura de Joaquim Barbosa vai disputar o voto progressista, tentando herdar votos de Lula, caso ele não possa mesmo concorrer a Presidência. No PSDB, o tom de Geraldo Alckmin tem sido moderado ao falar sobre a prisão do ex-presidente. A estratégica é tentar equilibrar o antipetismo, ingrediente indispensável para o eleitorado tradicional tucano, com ideias e propostas de centro-esquerda que agradam ao eleitorado petista/

Lula: ‘Moro tem mente doentia’. Dois dias antes de ser preso, Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em vídeo que o juiz federal Sérgio Moro tem “mente doentia”. A gravação foi publicada na página do ex-presidente no Facebook/

Lula indica Gleisi como sua porta-voz. Ex-presidente anunciou escolha em reunião com a cúpula do PT antes de ser preso; objetivo é evitar uma guerra por poder dentro do partido/

PT e defesa de Lula pressionam Supremo. Presidente do partido, Gleisi Hoffmann diz esperar que Rosa Weber mude seu voto sobre 2ª instância; tema pode ser analisado nesta semana/

1º dia tem jogo e pão com manteiga. No primeiro dia preso, Lula recebeu a mesma comida servida aos detentos da carceragem da PF e viu a vitória do Corinthians/

Delegado diz que ‘é hora’ de Temer, Aécio e Alckmin. Responsável pela delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros em São Paulo (Delecor), o delegado da PF Milton Fornazari Junior escreveu numa rede social que “agora é hora de serem investigados, processados e presos os outros líderes de viés ideológico diverso que se beneficiaram dos mesmos esquemas ilícitos que sempre existiram no Brasil (Temer, Alckmin, Aécio etc)”. A postagem foi feita quando Lula era levado a Curitiba e depois retirada/

Joaquim Barbosa ganha passaporte diplomático. Fora do Supremo desde 2014, o ex-ministro Joaquim Barbosa ganhou passaporte diplomático do Itamaraty. A legislação não prevê o benefício a ex-ministros da Corte. O ministério diz que ele foi enquadrado no Decreto 5.978/2006, que permite conceder o documento a “pessoas de interesse do País”. Barbosa acaba de ingressar no PSB e pode disputar o Planalto. Além dele, o ex-ministros do STF Sepúlveda Pertence, Eros Grau e Ellen Gracie também têm o passaporte. Em comum, todos atuam como advogados. Sepúlveda tem como cliente o ex-presidente Lula/

Moreira Franco vai assumir Minas e Energia/

‘BNDES é muito quadradão’. Entrevista – Dyogo Oliveira. Ex-ministro diz que Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social tem de mudar processos e fazer parceria com o setor privado. “Competir com o mercado é estupidez.”/

Comércio entre Brasil e países árabes confirma expansão. Evento em São Paulo debate relações e parcerias entre as duas regiões, que deve aumentar a demanda para a próxima década/

Cida Damasco: Economia perde foco na campanha, mas retomada e ajuste desafiam candidatos/

Editorial1: Cerco ao ajuste fiscal. Decisões e omissões de Legislativo e Judiciário, algumas com a conivência ou concordância do Executivo, minam declarado esforço do governo pelo ajuste das finanças públicas/

Editorial2: Soluções fáceis. Urge que políticos responsáveis digam aos cidadãos que não há lei e ordem fora do respeito ao Estado de Direito/

Editorial3: O ensino na visão dos brasileiros. Que a má qualidade do ensino básico influi no aumento da violência criminal e da corrupção, não há novidade. O inédito é que aumentou o porcentual da população brasileira que compreende essa relação e não esconde sua indignação com a má situação em que se encontra a rede pública de ensino básico, da qual resulta a precária formação escolar das novas gerações. Também é inédita a constatação de que oito em cada dez brasileiros concordam com a afirmação de que a má qualidade do ensino não decorre da falta de recursos financeiros, mas do modo perdulário como eles têm sido geridos pelos governos municipais, estaduais e federal.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Sob temor de racha, PT reafirma Lula candidato. Cresce preocupação com cisão interna; ex-presidente vê jogo no 1º dia na cela. Em estratégia para a defesa política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde a noite de sábado em Curitiba, o PT pretende se reunir hoje na capital paranaense para reafirmar a candidatura de seu líder à Presidência da República. Uma nota nesse sentido deve ser divulgada pela sigla. Embora duvidem da possibilidade de ter Lula na disputa eleitoral, aliados dizem que falar em nomes alternativos seria reconhecer que a derrota judicial é definitiva. Cresce a preocupação com divergências internas e com a busca de candidatura única da esquerda. PSOL e PC do B recusam, por ora, o debate. Segundo o PT e a defesa, Lula teve um primeiro dia tranquilo na cela. Conseguiu autorização para que uma TV fosse instalada no local e assistiu ao jogo que deu o título ao Corinthians, seu time. Está, porém, indignado com a situação e se considera um preso político, segundo seu advogado. Apoiadores de Lula acampam ao redor da Superintendência da PF, ao longo de quatro quadras. Ontem, foram visitados por petistas e houve show de Ana Canas. Na quarta (11), o STF deve julgar pedido de liminar que busca evitar prisões de condenados em 2ª instância até decisão sobre o tema/

Esquerda, sem união, pode ficar fora do 2Q turno. Renato Lessa, professor de filosofia política da PUC do Rio, afirma que a esquerda pode ficar fora do 2º turno da eleição presidencial se seus partidos não compuserem uma frente. A prisão de Lula, diz, completou um ciclo de neutralização desse segmento da política/

PT reafirmará candidatura de Lula, mas já vive divisão. Reunião nesta segunda insistirá em lançar ex-presidente, mesmo preso/

Ausência de Ciro em ato no sindicato afasta apoio do PT/

Com Lula preso, Bolsonaro mede palavras e mira Ciro/

Com expectativa de julgamento sobre prisão em 2º grau, STF volta ao foco na 4ª/

Procuradores dizem que petista se vende como perseguido/

Lula assistiu a título do Corinthians na cela. Prédio onde Lula está preso foi construído no governo dele/

Críticas de Lula são ofensa irresponsável e delírio, diz associação de procuradores/

Em vídeo antes de ser preso, Lula diz que Moro tem mente doentia/

Sindicato diz que empresas de comunicação também são culpadas por agressões a jornalistas/

Vinícius Mota: Voto de Rosa pode produzir mais efeitos que a prisão de Lula. Magistrada deu mais peso à estabilidade, fator em falta na Justiça brasileira, em seu voto no julgamento do ex-presidente/

Leandro Cólon: O mundo não acabou com prisão de Lula e peças eleitorais já se mexem. Detenção de ex-presidente coincide com movimentos de possíveis 4 candidaturas presidenciais/

Celso Rocha de Barros: O PT sozinho não tem poder para resistir à Lava Jato. Nunca teve, nem quando era governo/

Marcos André Melo: Lula e as razões da incerteza eleitoral. Prisão do ex-presidente exacerba imprevisibilidade das eleições de outubro/

Hebe Matos: As fragilidades das acusações me parecem suficientes para fundamentar a convicção de perseguição política; infelizmente é um fato/

Gregorio Duvivier: Imbecilidade dos antilulistas dá força dobrada ao lulismo/

Salário de aposentado precoce cai de 30% a 80%. Os salários dos brasileiros que se aposentam antes dos 65 anos e continuam trabalhando caem entre 30% e 80%, segundo estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Economia, da FGV, e pela plataforma IDados. O impacto negativo de aposentadorias precoces sobre a economia brasileira é é uma redução entre 0,3% e 0,7% do PIB ao ano. Em 2014, foram perdas de até R$ 40 bilhões/

Momento exige cautela extra em investimentos/

Nova política leva 1.500 deficientes às universidades. Ao menos 1.500 deficientes que estudaram em escolas públicas estão ingressando em universidades usando política de cotas instituída em 2016 pelo governo federal, segundo levantamento da Folha em 45 instituições. Embora corresponda a menos de 20% das cerca de 8.000 vagas, a adesão nunca foi tão alta/

Editorial1: O pós-Lula. Prisão do ex-presidente lança dúvidas sobre a coesão do PT e da esquerda/

Editorial2: Poder reformador. Prestes a completar um ano na Presidência da França, Macron enfrenta resistência a mudanças.

 

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Prisão de Lula volta às mãos do STF. Preso desde sábado na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a possibilidade de voltar à liberdade pelas mãos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)/

Emprego indica retomada lenta. A taxa de desemprego permaneceu em 12,4% no primeiro trimestre deste ano, interrompendo uma serie de quedas ocorridas no ano passado. Esse percentual, livre de influências sazonais, é mais um claro sinal de que a recuperação da economia, que vinha ganhando força em 2017, perdeu intensidade em 2018/

Cai medida que onerava fundo fechado. A MP 806, baixada em outubro, não foi votada pelo Congresso e perdeu a validade ontem. Percepção de que cerco fiscal tem se fechado força contribuinte a revisar estruturas de fundos/

Falta interesse por fábricas da Petrobras. Não se espera disputa pelas fábricas de fertilizantes que a Petrobras colocou à venda. Até agora, é certa só a presença da norueguesa Yara na aquisição de uma das quatro unidades/

Mobilidade. A chinesa Mobike, maior empresa de compartilhamento de bicicletas do mundo, começará a operar na cidade de São Paulo em junho. No início, as bicicletas serão trazidas da China, mas o plano é passar a fabricá-las no Brasil, diz o vice-presidente de expansão da empresa, Chris Martin/

Dono e ex-dono não querem a Brasil Pharma. A recuperação judicial da maior rede de farmácias do Brasil, a Brasil Pharma, com dívidas de R$ 1,3 bilhão, deve se transformar nos próximos dias em um litígio entre a atual controladora, a Lyon Capital, e a holding do banco BTG Pactual, a PPLA Participations – praticamente único credor financeiro e ex-dono do negócio/

“Valor Carreira” vai medir engajamento. Valor e Mercer anunciam parceria e abrem inscrições para pesquisar as melhores empresas na gestão de pessoas. A nova metodologia da pesquisa, que está sendo lançada mundialmente no Brasil, será também aplicada pelas unidades da Mercer nos Estados Unidos e na China/

Dúvida sobre ISS persiste após liminar. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender os efeitos dos dispositivos da Lei Complementar nº 157 que alteraram o local de recolhimento do ISS não deve barrar o ajuizamento de ações judiciais por planos de saúde, consórcios, empresas de cartões de crédito e débito e fundos de investimentos/

Com retomada lenta, desemprego estaciona na série com ajuste sazonal. Consultorias estimam taxa dessazonalizada em torno de 12,5%/

Cenário eleitoral mais complexo eleva riscos. Prisão de Lula torna cenário eleitoral mais complexo e ajustes de ativos ampliam riscos de mercado/

PT descarta substituir Lula como candidato. Nem o mais convicto lulista explica como ex-presidente irá manter candidatura de dentro da cadeia/

Crise política do ano passado fez gestão de Meirelles perder ímpeto/

Casa Branca suaviza retórica bélica contra Pequim. Após ameaçar a China com novas tarifas, o presidente americano, Donald Trump, afirmou ontem que é possível se chegar a um acordo sem uma guerra comercial/

Editorial: Do paliativo ao estrutural na regra de ouro. Não há como se escapar de encarar a questão fiscal de forma mais estrutural, olhando-se o problema da rigidez de despesas.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.