Renúncia de ministro das Cidades, do PSDB, é destaque do noticiário

Edição: Sérgio Botêlho “Justiça ignora crise e pressiona para criar 5,5 mil cargos. Custo da medida, que precisa do aval do CNJ, seria de R$ 606 milhões”, conta a

Edição: Sérgio Botêlho

“Justiça ignora crise e pressiona para criar 5,5 mil cargos. Custo da medida, que precisa do aval do CNJ, seria de R$ 606 milhões”, conta a manchete de O Globo. “PSDB inicia desembarque e obriga Temer a acelerar reforma ministerial. Bruno Araújo, titular das Cidades, pede demissão e é 1º tucano a deixar o governo em meio à crise no partido”, informa a do Estadão. “Falta de definição na reforma da CLT gera insegurança e adia contratações. Comércio aguarda definição do governo sobre ressalvas à reforma feitas no Congresso”, comenta a manchete da Folha.

Nas manchetes dos jornais Estadão e Folha dois dos principais assuntos do noticiário nacional nesta terça-feira, 14: a saída do ministro Bruno Araújo, do ministério das Cidades, abrindo espaço para a substituição do PSDB, no governo, após reforma ministerial; o outro tema em destaque na mídia é o da aplicação da reforma trabalhista, ainda gerando muita dúvida, com decisões judiciais contraditórias.

Destaques em títulos

Temer: reforma ministerial será feita ‘até meados de dezembro’. Presidente diz que há ‘unidade absoluta’ no ministério.

Não dava mais para segurar a tarefa’, lamenta ex-ministro Bruno Araújo. Partido quer que Gilberto Occhi substitua o tucano Bruno Araújo, que pediu demissão nesta segunda-feira. Interlocutores do presidente Temer defendem o nome do líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). Temer avisa que não vai nomear quem pretende ser candidato em 2018. Eliane Cantanhêde: A demissão de Bruno Araújo abre a porta de saída do PSDB do governo, implode o centro e deixa Michel Temer à mercê do Centrão.

FHC e Goldman miram chapa única para impedir descontrole no PSDB. Racha no PSDB faz ministro deixar governo. Por campanha, Cristovam Buarque anuncia licença. Mônica Bergamo: Para 2018, Lula vai tentar consenso entre Marinho, Haddad e Suplicy.

Pezão demite procurador-geral, por não defender a indicação do deputado Edson Albertassi para uma vaga no Tribunal de Contas do Estado. OAB critica decisão de Pezão de demitir procurador-geral do Estado. Justiça manda Pezão e Picciani explicarem nomeação no TCE.

Temer promete entregar reforma da Previdência até o fim de seu mandato. Disputa de Temer e Maia atrasa ajuste de reforma.

Petrobrás tem lucro líquido de R$ 266 mi no terceiro trimestre, mas resultado do terceiro trimestre ficou 89,6% abaixo das expectativas de analistas. Após Carne Fraca, venda de frango para a Europa cai 17,5%. Michel Temer: Com o apoio do Congresso, dos trabalhadores e do empresariado, pusemos o País nos trilhos. Agora o Brasil vai avançar mais. Bolsa família vai ter aumento real em 2018. Brasil negocia metas climáticas globais, mas não faz lição de casa.

Na Bahia, um juiz acata e um outro renega a nova legislação trabalhista. Por que a nova reforma parece não angariar muito apoio na sociedade?

Sem proposta concreta, Venezuela adia possível declaração de calote.

A operação conjunta da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil e do Exército em um baile funk no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, deixou sete mortos, mas nenhum dos envolvidos admite ter atirado. Drone fecha Congonhas por 2 h; PF vai investigar.

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Justiça ignora crise e pressiona para criar 5,5 mil cargos. Custo da medida, que precisa do aval do CNJ, seria de R$ 606 milhões/Pezão demite procurador-geral, que se recusou a defender governador no caso do TCE. Leonardo Espíndola disse que considerava a indicação do deputado Edson Albertassi totalmente inconstitucional/Desembargador suspende indicação feita por Pezão ao TCE. Decisão foi motivada por ação popular movida por deputados do PSOL/OAB critica decisão de Pezão de demitir procurador-geral do Estado. Justiça manda Pezão e Picciani explicarem nomeação no TCE/Temer: reforma ministerial será feita ‘até meados de dezembro’. Presidente agradeceu Bruno Araújo pelos ‘bons serviços prestados’/Ricardo Noblat: Reforma ministerial ampla, geral e irrestrita. Temer decidiu substituir todos os ministros que pretendam disputar as próximas eleições/Presidente diz que há ‘unidade absoluta’ no ministério. Temer participou de cerimônia com Torquato e Pezão lado a lado após troca de farpas. ‘O termo que dirige meu governo é a palavra dialogo’, diz Temer/‘Não dava mais para segurar a tarefa’, lamenta ex-ministro. Em entrevista ao GLOBO, tucano diz que pediu demissão porque ‘chegou no limite’: ‘entregamos o que deu para fazer‘.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: PSDB inicia desembarque e obriga Temer a acelerar reforma ministerial. Bruno Araújo, titular das Cidades, pede demissão e é 1º tucano a deixar o governo em meio à crise no partido/PP quer presidente da Caixa na pasta das Cidades. Partido quer que Gilberto Occhi substitua o tucano Bruno Araújo, que pediu demissão nesta segunda-feira/Temer promete entregar reforma da Previdência até o fim de seu mandato. ‘Com toda certeza, vamos terminar as reformas neste governo, quem sabe este ano’, diz presidente/Disputa de Temer e Maia atrasa ajuste de reforma/Petrobrás tem lucro líquido de R$ 266 mi no terceiro trimestre. Resultado do terceiro trimestre, porém, ficou 89,6% abaixo das expectativas de analistas/Após renegociar tributos, JBS tem lucro de R$ 323 milhões. Empresa diz que resultado do 3º trimestre foi o melhor da história, puxado por vendas no exterior/Por campanha, Cristovam Buarque anuncia licença. Senador diz, porém, que existe possibilidade real de Huck ser o nome do PPS para concorrer ao Planalto.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Falta de definição na reforma da CLT gera insegurança e adia contratações. Comércio aguarda definição do governo sobre ressalvas à reforma feitas no Congresso/Painel: Na Bahia, um juiz acata e um outro renega a nova legislação trabalhista/Por que a nova reforma parece não angariar muito apoio na sociedade?/Temer avisa que não vai nomear quem pretende ser candidato em 2018. Presidente vai dar início à reforma ministerial já na próxima semana, informa a coluna Painel/Mônica Bergamo: Para 2018, Lula vai tentar consenso entre Marinho, Haddad e Suplicy/FHC e Goldman miram chapa única para impedir descontrole no PSDB. Não temos caudilhos, afirma FHC sobre racha interno/Benjamin Steinbruch: É preciso aproveitar atual inflação baixa para acabar com a indexação/Alckmin confirma nomeação de mais votado como reitor da USP. O professor Vahan Agopyan foi o primeiro colocado na eleição realizada na instituição/Sem proposta concreta, Venezuela adia possível declaração de calote. Produção de petróleo atinge menor nível desde 1989.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Justiça ignora crise e pressiona para criar 5,5 mil cargos. Custo da medida, que precisa do aval do CNJ, seria de R$ 606 milhões. Órgãos reivindicam novos postos efetivos e também para empregados sem concurso, além de funções gratificadas/Racha no PSDB faz ministro deixar governo. Bruno Araújo, das Cidades, diz que não tinha apoio do partido para ficar no cargo. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, é o primeiro integrante do dividido PSDB a desembarcar do governo Temer. Em carta, ele alegou que já não tinha apoio do partido para se manter no cargo. “Minha sensibilidade dizia que chegou ao limite.” Surpreendido pela demissão, o presidente afirmou que fará reforma ministerial até meados de dezembro/Merval Pereira: Disputa tucana será divisor de águas. O PSDB, que já representou o novo na política, corre o risco de um triste fim, novamente se aliando ao PMDB velho de guerra/Míriam Leitão: Bolsonaro não sabe o básico de economia. Nem um transplante salva o pensamento econômico de Jair Bolsonaro, e as ideias de Lula variam conforme o ambiente/Sete mortos, e ninguém admite um tiro sequer. A operação conjunta da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil e do Exército em um baile funk no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, deixou sete mortos, mas nenhum dos envolvidos admite ter atirado. Depois da polícia, foi a vez de os militares negarem estar por trás das mortes/Pezão demite procurador-geral. Por não defender a indicação do deputado Edson Albertassi para uma vaga no Tribunal de Contas do Estado, o procurador-geral Leonardo Espíndola foi demitido pelo governador/Petrobras lucra R$ 266 milhões. O lucro da Petrobras ficou em R$ 266 milhões no terceiro trimestre do ano, abaixo dos R$ 2,7 bilhões previstos por analistas. A estatal perdeu mercado nas vendas de gasolina e diesel. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: PSDB deixa Cidades e Temer antecipa reforma ministerial. Bruno Araújo pede demissão e é o primeiro tucano a deixar o governo em meio à grave crise que atinge o partido/Eliane Cantanhêde: A demissão de Bruno Araújo abre a porta de saída do PSDB do governo, implode o centro e deixa Michel Temer à mercê do Centrão/PP quer ficar com a pasta e indica nome. Dono da quarta maior bancada da Câmara, com 45 deputados, o PP faz pressão para indicar o substituto de Bruno Araújo. O preferido da cúpula da legenda é o atual presidente da Caixa, Gilberto Occhi, mas interlocutores do presidente Temer defendem o nome do líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)/Após Carne Fraca, venda de frango para a Europa cai 17,5%. O governo brasileiro questiona as barreiras impostas pela União Europeia às exportações de frango após a deflagração da Operação Carne Fraca, em março. Em carta à comissária europeia para o Comércio, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirma que o aperto na fiscalização tem causado “efeitos nefastos”. As receitas caíram de US$ 294,8 milhões para US$ 241,5 milhões em um ano/Petrobrás tem lucro líquido de R$ 266 milhões, 10% do esperado. Apesar de conseguir reverter prejuízo de R$ 16,4 bilhões no terceiro trimestre de 2016, a Petrobrás registrou agora 10% do lucro projetado por analistas, de R$ 2,5 bilhões. O resultado ficou abaixo do esperado por causa de perdas de R$ 3,3 bilhões com programas de regularização de débitos, contingências judiciais e baixas contábeis. O desempenho do mercado de combustíveis também pesou/Professor da Poli é escolhido novo reitor da USP. Mais votado em eleição interna, o professor da Escola Politécnica Vahan Agopyan será o reitor da USP de 2018 a 2022. Atual vice-reitor, ele tem como principais propostas aproximar a universidade da sociedade e diversificar as fontes de receita/Michel Temer: Com o apoio do Congresso, dos trabalhadores e do empresariado, pusemos o País nos trilhos. Agora o Brasil vai avançar mais/Drone fecha Congonhas por 2 h; PF vai investigar. Um drone causou fechamento de Congonhas por mais de duas horas e afetou pelo menos 41 voos no domingo. A PF abriu inquérito para identificar quem pilotava o aparelho/Bolsa família vai ter aumento real em 2018.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Saída de tucano do governo acelera troca de ministros. Demissão de Bruno Araújo (Cidades) faz Temer iniciar negociações; PSDB tem mais três nomes na Esplanada/Falta de definição na reforma da CLT gera insegurança/Bolsa Família deve ter reajuste acima da inflação em 2018/Petrobras caminha para 1º lucro anual depois da Lava Jato/Nos EUA, Marin diz que Del Nero mandava na CBF. A defesa do ex-presidente da CBF José Maria Marin responsabilizou em julgamento nos EUA o atual comandante, Marco Polo Del Nero, por supostos crimes cometidos à frente da entidade: “Há uma diferença crucial entre estar em campo e jogar O jogo.”/Drone irregular para Congonhas e mobiliza a polícia. O uso irregular de um drone causou o fechamento do aeroporto de Congonhas na noite de domingo (12) e ainda mobiliza a Polícia Federal em busca do responsável pelo aparelho. Expor uma aeronave a perigo é crime que pode resultar em até cinco anos de prisão/Brasil negocia metas climáticas globais, mas não faz lição de casa/Repasse do BB a Val Marchiori foi irregular, diz TCU. Auditoria do Tribunal de Contas da União concluiu que o Banco do Brasil concedeu irregularmente em 2013, na gestão Aldemir Bendine, financiamento a Vai Marchiori. O TCU diz que o BB descumpriu normas internas ao liberar R$ 2,79 milhões para empresa da qual a socialite é sócia. O banco diz ter mostrado que a operação foi regular/Painel: Temer sinaliza mudança ampla nos ministérios. O presidente Michel Temer trabalha para encerrar as conversas com a base aliada até o fim desta semana. Quer, já na próxima, dar início à reforma ministerial. Ele deu sinais de que busca mudança mais ampla e gostaria, inclusive, de substituir todos os que serão candidatos em 2018.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.