Rombo fiscal em 2017 é de R$ 129 bilhões

Edição: Sérgio Botêlho MANCHETES DOS JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Rombo fiscal de 2017 fica R$ 30 bilhões abaixo do previsto. Resultado reflete melhora da arrecadação

Edição: Sérgio Botêlho

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Rombo fiscal de 2017 fica R$ 30 bilhões abaixo do previsto. Resultado reflete melhora da arrecadação e ação do Tesouro. Contas do governo fecharão com déficit de R$ 129 bi. Sem a aprovação de medidas que garantam o ajuste, governo deve contingenciar R$ 20 bi este ano. O rombo fiscal de 2017 ficou R$ 30 bilhões menor do que o previsto, revela Míriam Leitão. Os dados serão divulgados no fim do mês, mas as primeiras contas mostram que a arrecadação forte de dezembro e a contenção de despesas pelo Tesouro permitiram um déficit menor que a meta de R$ 159 bilhões. Para 2018, contudo, os sinais são de um ano mais difícil. O reajuste do funcionalismo não será adiado porque os salários já foram pagos com o aumento, após a liminar do STF, e não poderão ser reduzidos. Há outras frustrações de receita, com medidas fiscais não aprovadas. Por isso o governo prevê bloquear R$ 20 bilhões no Orçamento de 2018/Recorde na balança comercial reforça retomada. Saldo positivo de US$ 67 bilhões é o maior desde 1989. A balança comercial fechou 2017 com superávit recorde de US$ 67 bilhões, o melhor desempenho em quase três décadas, impulsionado por aumento de preços de commodities, supersafra agrícola e melhora do cenário internacional. O resultado contribui para o desenvolvimento econômico, com mais importação de máquinas e criação de empregos/Veto de Sarney barra indicado ao Trabalho. Sem o aval de José Sarney, o presidente Michel Temer desistiu de nomear o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) para o Ministério do Trabalho. O deputado é adversário do ex-presidente no Maranhão/Delação da Carne Fraca. Ex-ministro teria recebido propina em espécie. Pagamentos a Serraglio teriam sido feitos por frigoríficos; deputado nega/CNJ alertou para risco em presídio. Inspeção do Conselho Nacional de Justiça, em novembro de 2017, apontou precariedade da cadeia de Goiás onde rebelião causou 9 mortes/Lydia Medeiros: Cármen Lúcia penou para falar com Judiciário local. A presidente do STF, Cármen Lúcia, teve dificuldades para encontrar as autoridades do Judiciário local e determinar a realização de uma inspeção de emergência no presídio de Goiás onde, no primeiro dia do ano, houve um massacre que deixou nove mortos. O presidente do Tribunal de Justiça estava em férias, em Alagoas. Sua substituta foi alcançada só ontem, a caminho de uma fazenda/Ministro dá aval a acordo da Embraer. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que não há restrições a um acordo entre Boeing e Embraer que inclua a área de Defesa, desde que o sigilo das operações seja preservado. “A Defesa torce para que a parceria avance”, disse. O governo só não abre mão do controle da empresa/Assim caminha o BRS: a passos lentos. Implantado há sete anos para desafogar corredores viários do Rio, o sistema BRS viu seu projeto de ampliação original ficar no papel em 2107. Além disso, os 50 quilômetros existentes sofrem com falta de manutenção. A Secretaria de Transportes garante que 13 quilômetros serão feitos este ano, mas não diz onde ou quando/Merval Pereira: PIB revela dimensão da nossa tragédia econômica. A medida da nossa tragédia econômica pode ser traduzida pelo recente número divulgado de nosso PIB per capita, o valor de tudo que geramos de renda dividido pelo número de habitantes do país/Elio Gaspari: País ainda não resolveu agendas dos séculos XIX e XX/Ancelmo Gois: Impacto do réveillon na economia do Rio foi de R$ 1,9 bi.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Exportação cresce após 5 anos e saldo comercial bate recorde. Resultado de US$ 67 bilhões é o melhor desde 1989 e teve impacto da alta nas vendas de petróleo e automóveis. As exportações brasileiras voltaram a crescer depois de cinco anos de queda, levando a balança comercial a registrar saldo positivo de US$ 67 bilhões no ano passado – melhor resultado da série histórica iniciada em 1989. O recorde anterior era de 2016 e somava US$ 47,6 bilhões. As importações tiveram a primeira alta após três anos consecutivos de retração. O resultado foi reforçado pelas vendas recordes de petróleo (em volume) e de automóveis (em valor). Novos acordos comerciais e câmbio favorável contribuíram para a exportação de 200 mil carros a mais em 2017. Com isso, os automóveis passaram da 9.ª para a 5.ª colocação no ranking de produtos exportados. Os principais itens vendidos para o exterior continuam sendo minério de ferro (em valor) e soja (em volume), mas em 2017 a conta petróleo – resultado entre o que é comprado e o que é vendido – teve saldo positivo pelo segundo ano consecutivo. Para Welber Barral, ex-secretário de Comércio Exterior, o resultado “sinaliza uma retomada econômica”. Para este ano, a expectativa é de saldo ainda positivo, mas em torno de US$ 50 bilhões/Petrobrás economiza R$ 21 bi com nova lei. A Lei do Repetro, que define um regime tributário especial para empresas de óleo e gás, trará economia de R$ 21 bilhões à Petrobrás/Por Sarney, Temer desiste de indicação para o Trabalho. Michel Temer desistiu de nomear o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) ministro do Trabalho. Segundo o presidente do PTB, Roberto Jefferson, a decisão foi tomada porque o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) não concorda com o nome de Fernandes, aliado do governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B). Ele havia sido indicado por seu partido para o lugar de Ronaldo Nogueira (PTB-RS). Em nota, Sarney disse que não foi consultado/Lula no tribunal. O ex-presidente Lula disse ao PT que vai ao julgamento que poderá torná-lo inelegível por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no TRF da 4ª Região, em Porto Alegre. A corte decidirá sobre o caso do triplex no Guarujá no dia 24/Guarulhos quer cobrar IPTU de aeroporto. A Prefeitura de Guarulhos e a Câmara Municipal de Campinas querem cobrar IPTU dos aeroportos, com o argumento de que depois da concessão à iniciativa privada acabou a isenção de impostos à União. Se o cálculo de Guarulhos for retroativo à data da privatização, em 2012, a conta pode chegar a R$ 100 milhões. A concessionária questiona a cobrança e diz que o imóvel ainda é da União. Especialistas afirmam que as tarifas podem subir/SP vai ‘repartir’ doses de vacina. São Paulo, Rio e Bahia vão aplicar doses fracionadas de vacina contra febre amarela. A medida foi tomada para evitar a falta de vacinas, depois da constatação de que o vírus se alastra por áreas antes livres da doença, como o litoral norte paulista. Alguns parques fechados por causa do surto, como o Horto Florestal , reabrem neste mês/Vera Magalhães: Negociação para a votação da reforma da Previdência retrocedeu graças a trapalhadas na política.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Cresce o apoio à idade penal de 16 por crime grave. Sobe de 26% para 36% no Datafolha parcela que aceita redução da maioridade só para delitos como homicídio. Pesquisa Datafolha aponta que cresceu o endosso do brasileiro à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos em caso de crimes graves, como homicídios. Continua maciço (84%) o apoio à ideia de baixar a idade em que o indivíduo pode ser responsabilizado criminalmente. Mas nesse universo subiu de 26%, em 2015, para 36% a fatia dos que aceitam a medida apenas para delitos mais violentos. A opção pela redução seletiva está prevista em uma proposta de emenda à Constituição que está parada no Congresso Nacional desde março do ano passado. Tecnicamente, ela poderia ser votada neste ano, mas isso é bastante difícil, por tratar-se de período eleitoral. Mesmo com o apoio popular, os congressistas em geral evitam os temas polêmicos enquanto estão engajados em campanha. Há diferenças segundo o espectro ideológico do entrevistado. Concordam mais com a redução da maioridade eleitores dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (95%) e Geraldo Alckmin (91%), enquanto dão menos apoio (79%) os eleitores de Luiz Inácio Lula da Silva. Para o promotor da Infância e da Juventude Fabio Bueno, a conclusão da pesquisa “reflete a insegurança da população”/Desemprego vai permanecer alto, dizem analistas. As instituições que mais acertaram projeções econômicas no Boletim Focus, do BC, preveem estagnação do emprego em 2018, com taxa de desocupação ainda em dois dígitos ao fim do ano. A projeção vai de 10% a 12%, este o valor aferido até novembro/Bolsa brasileira bate recorde em dia de novas ações. A Bolsa brasileira começou 2018 batendo recorde, próxima dos 78 mil pontos. O dia foi de estreia de cinco novos papéis no Ibovespa, como os do Magazine Luiza. Ações da Embraer registraram alta de 3,15% com o interesse da Boeing por sua área militar/Após Sarney vetar, Temer desiste de nome indicado para o Trabalho/Gerdau vende usinas de aço nos Estados Unidos por R$ 2 bilhões/Droga vetada pela Justiça é entregue com aval da União. Ao menos um hospital recebeu o LeugiNase de órgãos públicos depois que a Justiça proibiu a União de comprar e distribuir novos lotes do medicamento chinês, sob a justificativa de que sua eficácia não é comprovada/Aplicativo 99 negocia venda para chineses. A brasileira 99, dona de aplicativo para uso de carros particulares e táxis, negocia venda de seu controle para a chinesa Didi Chuxing, que atua no mesmo segmento. Segundo executivos, o valor do negócio pode superar US$ 500 milhões (cerca de R$ 1,63 bilhão)/Ricardo Hausmann: Ação militar de vizinhos é opção para a Venezuela. Com a piora da situação na Venezuela, solução deve incluir o inconcebível. A transição negociada é preferível, mas a intervenção militar por coalizão de forças regionais talvez seja o único meio de pôr fim à penúria causada por Nicolás Maduro/Em tratamento de infecção urinária, Temer estende repouso médico/O deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA), que havia sido escolhido para comandar o Ministério do Trabalho, não será mais empossado nesta quinta-feira (4). Segundo a Folha apurou, o ex-presidente José Sarney (MDB) não referendou o nome do parlamentar, que é alinhado ao governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora do portal O Globo: Míriam Leitão: Rombo fiscal de 2017 fica R$ 30 bi abaixo do previsto. Resultado reflete melhora da arrecadação e ação do Tesouro/Alta de importações mostra reação do consumo interno. Saldo positivo de U$ 67 bilhões é o maior desde 1989/Merval Pereira: Renda estagnada. A medida da nossa tragédia pode ser traduzida pelo PIB per capita/Ministro dá aval a acordo da Embraer incluindo Defesa. Raul Jungmann diz que é necessário preservar sigilo de operações/Deputado vetado rejeitou pedido para conversar com Sarney. Sarney nega ter vetado indicação para Ministério do Trabalho/Lydia Medeiros: Gratidão eterna de Temer a Sarney. Presidente nem cogitou deixar de atender ao cacique maranhense. 

Manchete e submanchetes da hora do portal Estadão: SP vai ‘repartir’ doses de vacina contra febre amarela; litoral norte é alvo. Medida de fracionar imunizante deve ser seguida por RJ e BA; vírus ameaça regiões consideradas livres/Lula diz ao PT que irá ao julgamento no TRF-4. Petista comunica a dirigentes que vai ao RS acompanhar decisão da Corte que pode torná-lo inelegível/Pyongyang diz que reabrirá comunicação com o Sul. Medida é sinal que pode reduzir tensão após um ano em que o Norte conduziu testes de bombas nucleares/Marun monta tropa de choque para votação da Previdência. A partir de fevereiro, grupo de líderes governistas fará reuniões para definir a pauta do Congresso. 

Manchete e submanchetes da hora do portal da Folha: Cresce apoio para redução da idade penal somente para crimes graves, Sobe de 26% para 36% parcela que aceita a mudança só para delitos como homicídio/Petrobras faz acordo de US$ 2,95 bilhões para encerrar ação nos EUA. Processo começou em 2014 por acionistas descontentes com a perda de valor das ações após a descoberta do esquema de corrupção/Dinheiro recuperado na Lava Jato em 2017 cai 90% em relação a 2016. Ressarcimento cai de R$ 8 bi para R$ 839 mi/Mônica Bergamo: Joesley e Wesley Batista passaram a virada do ano sem receber visitas/Em 2018. Desemprego deverá permanecer alto no país, afirmam analistas. Ano deve ter inflação controlada e juro baixo/Igor Gielow. Brasil falha ao tratar a privatização como tabu após quase três décadas.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.