Troca-troca partidário e violência são os temas das manchetes

Troca-troca partidário e violência são os temas das manchetes dos principais jornais do país. Quem mais perde deputados no troca-troca partidário são PMDB, PT e PSDB, anota O Globo.

Troca-troca partidário e violência são os temas das manchetes dos principais jornais do país.

Quem mais perde deputados no troca-troca partidário são PMDB, PT e PSDB, anota O Globo.

O Estadão avalia que Centrão sai ganhando no processo.

Na Folha, o retrato da violência: 1 entre cariocas já ficaram em meio a tiroteios.

SINOPSE DE 04 DE ABRIL DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: PMDB, PT e PSDB são os que mais perdem deputados. Prazo para mudança termina no próximo sábado. … o partido {MDB} até agora já perdeu oficialmente seis deputados federais e ganhou apenas três, mesmo sendo a sigla do presidente Michel Temer. E esse saldo negativo deve aumentar. … o PSDB já perdeu o suplente Paulo Martins (PR) e deve ter, até sábado, as baixas de Daniel Coelho (PE), que negocia com o PPS, e Elizeu Dionísio (MS), de partida para o PSB. O PT perdeu duas cadeiras na Câmara e ganhou uma/

Supermercados e indústria se unem contra crise. Para garantir vendas, supermercados do Rio e indústria negociam descontos e reduzem ganhos/

CPI dos Ônibus termina sem resultados. Relatório da CPI dos Ônibus ignora parecer técnico e não aponta irregularidades/

A guardiã dos livros. A reabertura da Biblioteca de Manguinhos, que hoje leva o nome de Marielle Franco, só foi possível graças à luta de Daiana de Oliveira. Criadora de projeto social ocupou e cuidou de espaço cultural abandonado pelo estado. Ela contou a Pezão que recorreu ao tráfico pra evitar invasões/

Caso Marielle: testemunhas novas podem ser importantes. Duas pessoas que viram crime revelaram detalhes para O Globo/

Magistradas de golpe bilionário podem ter aposentadoria cassada. Pedido foi feito pelo procurador-geral de Justiça do Pará à Justiça local/

Vácuo legal permite venda de dados de eleitores. Bancos com informações de eleitores são usados em campanhas; para ministro, TSE está apto a lidar com ‘fake news’/

Ricardo Rangel: O STF e o ‘Ancien Régime’. Somos um país aristocrático, onde os ‘mais iguais do que os outros’ podem se apropriar impunemente do que deveria ser público/

Apoio fora do ar. Facebook retirou duas páginas de apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência pelo PSL; juntas, elas somavam mais de 900 mil seguidores/

Tiro mata criança em Mangaratiba. Menina de 2 anos é baleada na cabeça no carro do pai, que era perseguido/

Editorial: Tema em discussão. Política educacional. Nossa opinião Batalha ideológica. O campo da educação, por tratar de conhecimento, aprendizado, ideias, é espaço aberto a debates políticos e ideológicos. Trata-se de uma característica intrínseca ao meio. E a questão para professores, diretores de estabelecimentos de ensino e gestores em geral é saber como manejar num universo que tende a estar em ebulição intelectual, e fazer com que dos choques de pensamento se produzam melhorias na qualidade do ensino.

 

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Centrão ganha força no balcão de negócios da Câmara. DEM, PP, PSD, Podemos e PROS são as legendas que mais ganham deputados na janela para troca de partidos/

Janeleira’ do Podemos. Estreante na Câmara, a deputada mudou o nome do partido (ex-PTN) e fez a bancada mais que triplicar desde 2014. A deputada Renata Abreu (SP), presidente do Podemos, foi apelidada de “janeleira” pelos colegas. A legenda, que tinha 4 deputados em 2015, conta com 18 parlamentares e deve chegar a 22/

Secretário assume Planejamento. Governo confirmou ontem que atual secretário-executivo vai assumir a pasta; Dyogo Oliveira deixará o ministério para comandar o BNDES/

Febre amarela: sobrevida após transplante é de 43%. Dos 21 pacientes operados em São Paulo, Rio e Minas Gerais, 9 sobreviveram; troca de fígado nesse caso nunca havia sido feita/

Dois em cada 3 brasileiros querem intervenção. Dois em cada três brasileiros apoiariam uma intervenção federal na segurança pública em seu Estado, segundo pesquisa do Instituto Ipsos feita em parceria com o Estado/

Trump nega benefício para jovens ilegais. Velho alvo. No feriado de Páscoa, presidente americano coloca sob risco de deportação cerca de 800 mil pessoas que chegaram ao país ainda crianças e ameaça acabar com o Nafta, caso governo mexicano não contenha fluxo migratório na fronteira/

Crédito imobiliário cai pela metade. Casa própria. Números do ano passado representam a terceira queda consecutiva no volume de recursos para financiar a compra e construção de imóveis; em 2017, foram destinados R$ 83 bilhões ante os R$ 168 bilhões de três anos antes, segundo dados do BC/

China sobretaxa produtos dos Estados Unidos. Em reação a tarifas sobre aço e alumínio criadas por Trump, Pequim taxará em 25% oito bens importados dos EUA e em 15% outros 120/

Papa defende diálogo com a Coreia do Norte. Em tradicional mensagem de Páscoa, Francisco fala sobre conflito na Síria e crise na Venezuela/

Discreta, Rosa definirá destino de Lula. Aposta nos bastidores é de que voto da ministra deve determinar resultado do julgamento do habeas corpus do petista no STF/

‘Yunes está sendo punido por ser amigo de Temer’. Para criminalista que defende ex-assessor do presidente, a acusação contra o empresário é ‘totalmente descabida’/

Sócios da Libra têm de se apresentar à PF, diz Barroso/

Carlos Velloso: A execução da pena e o trânsito em julgado da decisão. O número exagerado de recursos pode levar à prescrição da pena, em detrimento da sociedade e da credibilidade do Judiciário/

Arrecadação começa antes da campanha. As novas regras eleitorais vão permitir pela primeira vez que futuros candidatos comecem a arrecadar recursos para a campanha mesmo antes do prazo de registro de candidatura. Se em agosto o postulante for impedido de disputar, terá de devolver todo o valor para seus doadores. As vaquinhas virtuais (crowdfunding) e os jantares de arrecadação estão liberados a partir de 15 de maio, mas esses valores só poderão ser usados na época da campanha. Outra novidade é que os partidos devem receber também antecipadamente o fundo eleitoral/

Editorial1: Quem paga esse rombo. O adiamento, pela Câmara Municipal, da tramitação do projeto de reforma do sistema de previdência de São Paulo poderá ter consequências graves para a cidade e para sua população/

Editorial2: Rigidez e ineficiência. O regime fiscal engessou de tal modo o Orçamento que pouco sobra para ser aplicado em programas e projetos novos/

Editorial3: A pós-graduação da USP. Embora continue sendo a melhor instituição brasileira de ensino superior, a Universidade de São Paulo (USP) vem enfrentando problemas graves em matéria de qualidade de seus cursos, principalmente na pós-graduação. Em 2017, ainda que tenha ficado numa posição de destaque no levantamento promovido pelo Center for World University Ranking, que aponta as melhores universidades do mundo, a USP obteve 47,09 pontos, ante 49,15 pontos obtidos na edição de 2016.

 

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Um em três cariocas diz ter ficado em meio a confronto. Maioria dos moradores teme bala perdida e quer sair do Rio, mostra Datafolha. Um terço dos moradores da cidade do Rio diz ter estado no meio de um confronto a tiros nos últimos 12 meses, e 9 em cada 10 afirmam ter medo de tiroteio, bala perdida ou de morrer em assalto, mostra pesquisa Datafolha feita em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Quando o tema é estar no meio do fogo cruzado entre bandidos e polícia, 39% acreditam que há muita chance de isso acontecer. E 3 em 4 moradores relatam terem ouvido tiroteio nos últimos 12 meses . A pesquisa aponta que 73% dos moradores gostariam de deixar a cidade. O Rio é a capital brasileira com maior número absoluto de crimes violentos. Em 2016 foram registrados 1.446 assassinatos. Proporcionalmente, é a 21ª capital mais perigosa, com 22,6 mortes por 100 mil habitantes. As respostas dos entrevistados refletem temor mais difuso que em outros locais. “No Rio, as pessoas têm medo mesmo em lugares onde deveriam se sentir seguras, como em casa”, afirma a pesquisadora Samira Bueno, diretora do fórum. Em consequência da escalada de violência, o estado do Rio está sob intervenção federal na segurança desde fevereiro/

Rosa Weber nega habeas corpus na maioria das vezes. Dona do voto que pode definir o futuro do ex-presidente Lula no plenário do STF nesta semana, a ministra Rosa Weber negou, em 58 casos, a liberdade a 57 condenados que recorreram à corte para se livrar da cadeia nos últimos dois anos, mostra o levantamento feito pela Folha/

Governo dá apoio a cobrança de imposto sindical. O Ministério do Trabalho defende cobrança do imposto sindical dos trabalhadores de uma categoria após aprovação em assembleia. Nota técnica de secretaria da pasta apoia a cobrança, voluntária desde novembro. Setor patronal diz que desconto dependerá de autorização individual/

Privacidade digital é base para democracia’. Relatora de uma legislação sobre privacidade digital na Europa, a parlamentar alemã Birgit Sippel diz que proteger os dados e as comunicações digitais é fundamental para a democracia. “Você precisa ter o direito à livre escolha, e isso hoje passa necessariamente pela privacidade digital.” Uma nova lei de proteção de dados entra em vigor em maio na Europa/

No Peru, apuração de corrupção ligada à Odebrecht varia de acordo com política/

Importante doador para preservação da Amazônia, Noruega financia frigoríficos/

Sob Dória, aplicação de inseticida contra Aedes aegypti sofre queda em São Paulo/

Editorial1: Adiando o inadiável. Reforma previdenciária de Doria empaca; o déficit consome parcela crescente da arrecadação/

Editorial2: O mecanismo da disputa. É lamentável o grau de obscurantismo a que podem chegar as patrulhas ideológicas.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.