Guerra no mundo, violência no Brasil e economia são destaques no noticiário impresso

Destaque maior do noticiário deste sábado, 14, é o ataque de mísseis à Síria feito por ordem de Trump, com apoios da França e da Inglaterra. A Alemanha não

Destaque maior do noticiário deste sábado, 14, é o ataque de mísseis à Síria feito por ordem de Trump, com apoios da França e da Inglaterra. A Alemanha não concordou, e a Rússia promete retaliação. Trump justificou o ataque como represália à utilização de armas químicas pelo governo Sírio, na guerra interna.

Procuradora Geral da República denuncia o deputado federal Jair Bolsonaro, por racismo. Em palestra, ele disse que quilombolas não serviam nem para procriar.

Jornais destacam um mês do assassinato da vereadora Marielle Franco, e o rumo das investigações.

SINOPSE DE 14 DE ABRIL DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Trump ordena bombardeio da Síria e desafia a Rússia. Ataque americano tem a participação da França e do Reino Unido. Bases militares e laboratórios são os alvos declarados. Ofensiva. Em pronunciamento na TV, o presidente Donald Trump anuncia o ataque militar à Síria. Ele se dirigiu diretamente ao Irã e à Rússia, que apoiam o governo de Bashar al-Assad/

Alemanha destoa e rejeita a ofensiva. Gás russo e memória da Segunda Guerra levam país a não se alinhar aos EUA e outros aliados europeus/

Bolsonaro é denunciado por racismo. Em palestra na Hebraica, no Rio, deputado disse que moradores de quilombo ‘nem para procriar servem mais’. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou ao STF o deputado federal Jair Bolsonaro (PSLRJ) por prática de racismo. Se condenado, ele pode pegar até 3 anos de prisão/

STF julgará foro privilegiado em maio. Votação será retomada dia 2, e há maioria formada a favor de diminuir abrangência da norma/

Quantos mais vão precisar morrer? Carro usado para matar Marielle passou por Itanhangá e Tijuca. Assassinos saíram da Zona Oeste e subiram o Alto da Boa Vista/

BNDES cria taxa fixa para pequenas empresas. Para especialistas, ajuste visa a inverter queda no desembolso, com mais previsibilidade no pagamento/

Legislativo enfrenta general. Presidência da Alerj não cumpre prazo para devolver PMs e cancela reunião com interventor/

Roraima quer fechar fronteira com Venezuela. Governadora entra com ação civil no STF/

Assassinatos ameaçam paz na Colômbia. Assassinato de equatorianos na fronteira preocupa líderes da região e expõe obstáculos após acordo/

Roraima quer fechar fronteira com Venezuela. Governadora entra com ação civil no STF/

Fernando Gabeira: Para onde, Brasil? Ao contrário de um debate sobre uma eleição que se aproxima, as emoções dominam, estamos às voltas com ídolos/

Merval Pereira: A disputa que está em processo dentro do Supremo Tribunal Federal terá mais um capítulo na próxima semana quando o plenário analisará o habeas corpus ao deputado Paulo Maluf. Esse caso tem importância crucial no desenrolar dos acontecimentos em curso porque discute dois pontos que podem interferir em outras ações/

 

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Trump lança mísseis na Síria. Apoiada por Reino Unido e França, ofensiva foi retaliação a ataque químico contra civis Coalizão atinge laboratório de pesquisa e depósitos de armas químicas, dizem EUA Ação traz risco de confronto direto entre americanos e russos, que prometem reagir/

Bolsonaro é denunciado ao Supremo por racismo. PGR acusa pré-candidato do PSL de crime contra indígenas, quilombolas, refugiados, mulheres e LGBTs; filho é denunciado por ameaça a jornalista/

Um mês depois, ferida aberta. Família de vereadora cobra elucidação do crime; única sobrevivente de ataque deixa o País/

Fachin autoriza acesso da PF a dados da Odebrecht. Medida do relator da Operação Lava Jato no STF é considerada fundamental para o desfecho das investigações/

Supremo remarca julgamento sobre foro para maio. Rediscussão no STF sobre o alcance da prerrogativa estará restrita a deputados federais e senadores; Toffoli quer ampliar abrangência/

Roraima quer fechar fronteira com a Venezuela. Migração. Estado relata ao Supremo Tribunal Federal falta de recursos pelo grande número de imigrantes e critica governo federal; cerca de 50 mil pessoas já atravessaram o limite entre os países desde 2015, com reflexos em saúde, educação e criminalidade/

Coluna do Estadão: PSDB tenta cartada para centro chegar ao 2º turno. Com os presidenciáveis de centro patinando nas pesquisas, o PSDB se movimenta para tentar evitar que a disputa do segundo turno seja entre candidatos da extrema esquerda e extrema direita. O secretáriogeral da sigla, deputado Marcus Pestana (MG), procurou os presidenciáveis Rodrigo Maia (DEM) e Alvaro Dias (Podemos) para propor que, se o quadro for mantido, os postulantes de centro com menor chance eleitoral renunciem num determinado momento da campanha para apoiar o que tiver maior pontuação nas pesquisas eleitorais/

Click. A Câmara dos Deputados vai transmitir as sessões do plenário em 360°. Um servidor fará as imagens em tempo real para postá-las nas redes sociais da Casa/

Temer anuncia porta-voz como diretor da EBC. O diplomata Alexandre Parola vai assumir o cargo em maio; estatal foi criada durante o governo Lula para administrar os canais públicos de comunicação/

No Planalto, Cármen Lúcia pede para não ser chamada de ‘presidenta’. Presidente do STF é a segunda mulher na história a chefiar o País, ainda que por um dia; Temer deve retornar hoje/

Adriana Fernandes: Mesa de negociações para buscar saída ao auxílio-moradia pode ser chance de passar a limpo outras gratificações/

Fernando Reinach: Se a preferência das mulheres pelos musculosos pode aumentar risco de extinção, elas deveriam dar chances para os carecas/

João Domingos: Guerra sem sentido. A pressão que o PT e o Palácio do Planalto fazem para que o Supremo Tribunal Federal (STF) reexamine e revogue a jurisprudência que permite a prisão depois da condenação em segunda instância pode levar a uma guerra entre os poderes que não será benéfica para ninguém. Porque armas todo mundo tem. O risco maior é de que, em vez de se ferirem na batalha, venham os contendores ferir o estado democrático de direito e os pilares de sustentação da democracia/

Editorial1: Pior para quem mais sofre. A profunda crise econômica que o lulopetismo legou ao País está sendo duplamente mais penosa para a faixa da população que vive em piores condições/

Editorial2: Regras para o saneamento. Temer anunciou que projeto de modernização do marco regulatório está sendo ultimado. Aguarda-se sua conclusão/

Editorial3: Menos vigor no consumo. A aposta em mais um corte de juros foi reforçada pelos novos números, um tanto fracos, do comércio varejista. A recuperação continua, com crescimento de 2,8% em 12 meses, mas em velocidade menor do que até o fim do ano. Já havia razões para mais um estímulo de crédito à recuperação dos negócios. Argumentos a favor dessa medida ficaram ainda mais convincentes depois das últimas informações sobre o consumo.

 

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Economia dá sinais de retomada mais lenta. Varejo, indústria e serviços vacilam; bancos reduzem projeções trimestrais/

Dodge denuncia Jair Bolsonaro ao Supremo sob acusação de racismo. Pena é de um a três anos de reclusão; Procuradoria pede pagamento mínimo de R$ 400 mil por danos morais/

‘Não adianta ter inflação baixa se não tem emprego’. Entrevista – Eduardo Guardia. O novo ministro da Fazenda diz que não adianta ter inflação baixa se não tem emprego. “A questão social [da crise é grave”, afirma. Ele defende a atual política econômica, que, diz, está levando ao crescimento. “Se não crescer, não vai tirar as pessoas do desemprego.”/

Assassinato de Marielle completa 1 mês com autores desconhecidos. Principal linha de investigação é de crime político contra vereadora do Rio/

Brasil diz que não vai impor sanções ao regime Maduro. O governo brasileiro não vai impor sanções ao regime de Nicolás Maduro na Venezuela, disse o chanceler Aloysio Nunes. Segundo ele, haverá empenho para punir venezuelanos que pratiquem atos ilegais em solo nacional. O governo de Roraima pede no STF o fechamento temporário da fronteira para controlar o ingresso de cidadãos do país vizinho/

Crime na fronteira usa Correios para enviar os produtos. Com fiscalização mais rígida em Foz do Iguaçu (PR), contrabandistas recorrem aos Correios para enviar produtos vendidos pela internet. A prática não é nova, mas vem crescendo. O chefe de repressão da Receita na região, Vagner Diogo de Souza, diz que apreensões e ações triplicaram desde 2017/

Dois jornalistas do Equador são mortos por dissidentes das Farc na fronteira/

Painel: O consórcio. Um acordo costurado entre as cúpulas do PP e do DEM fez das duas legendas o fiel da balança em alguns dos principais palanques do país. As siglas pretendem atuar como um bloco, tanto nas alianças da disputa presidencial como na dos maiores colégios eleitorais. Em SP, oscilam entre o apoio a João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB). Nacionalmente, se Rodrigo Maia (DEM-RJ) levar adiante o plano de integrar uma chapa ao Planalto, o PP reivindicará o comando da Câmara/

MDB de Temer é a sigla que mais encolheu na Câmara desde 2015. Partido perde status de maior bancada com saída de 14 deputados/

MDB-RJ sofre debandada e só mantém deputado preso e filhos de Cabral e Picciani. Na Bahia, sigla perde todos os deputados estaduais e fica apenas com irmão de Geddel na Câmara/

Yunes deixa cargo em clube de Ilhabela e se diz vítima de calúnia. Ex-assessor e amigo do presidente Michel Temer virou réu sob acusação de organização criminosa/

Cármen se torna segunda mulher a assumir a Presidência e adota atitude discreta. A primeira foi a ex-presidente Dilma Rousseff, que sofreu impeachment/

Polícia indicia terceiro suspeito de agredir manifestante em frente ao Instituto Lula. Paulo Cayres, secretário nacional do Setorial Sindical do PT, afirma que é inocente/

‘Tem que fechar o Supremo’, diz deputado petista Wadih Damous. Em vídeo, congressista, ex-presidente da OAB, critica Luís Roberto Barroso/

Hélio Schwartsman: Escolas fazem diferença? Novos colégios em São Paulo acirram disputa pelo público endinheirado/

André Singer: Houve um visível esforço daqueles que foram simpáticos à prisão do ex-presidente Lula, sábado passado, em demonstrar a ausência de comoção das massas. De fato, a vida cotidiana seguiu. No entanto, a democracia está suspensa até que o campo popular decida o que fazer. Nesse sentido, o principal ícone do lulismo, mesmo detido em Curitiba, ainda guarda importantes cartas na manga/

Demétrio Magnoli: Lula não é um preso político. PT e PSOL não se opõem à subordinação da Justiça ao governo, com a condição de que seja o seu governo/

Editorial1: Miséria brasileira. Tímida retomada econômica não evita aumento da pobreza extrema e queda da renda do trabalho/

Editorial2: A relíquia. Congresso aprova lei que flexibiliza as regras para a transmissão do programa A Voz do Brasil.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.