Venezuela expulsa embaixador brasileiro que criticou política do país e Itamaraty promete tratamento igual

Edição: Sérgio Botêlho Entre as manchetes dos jornais da grande imprensa não há um tema que signifique maior destaque no noticiário. O Globo reproduz em manchete trechos de entrevista

Edição: Sérgio Botêlho

Entre as manchetes dos jornais da grande imprensa não há um tema que signifique maior destaque no noticiário. O Globo reproduz em manchete trechos de entrevista com o juiz Sérgio Moro, que critica a possibilidade de o STF rever a prisão após sentença em segunda instância e se diz ‘tranquilo’ por ter condenado Lula. O Estadão revela em sua manchete que benefícios a juízes de primeira instância superam às dos magistrados em tribunais superiores. Na manchete da Folha, resultado de uma pesquisa escolar que mostra descendentes de japoneses com melhor desempenho do que descendentes de ibéricos no aprendizado da matemática.

Embora não esteja nas manchetes dos jornais, a decisão tomada pela Venezuela de expulsar o embaixador brasileiro está nas primeiras páginas dos jornais e nos destaques dos maiores portais de notícia. Portal de O Globo dá a matéria em manchete. Haverá “reciprocidade”, informou em nota o Itamaraty. Venezuelanas vêm ao Brasil para dar à luz.

Gilmar manda investigar áudio que o acusa de receber propina. Transparência Internacional critica indulto natalino de Temer, assim como o coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. Ministro da Justiça, Torquato Jardim, explica que medida tomada por Temer considerou momento político. A delação de Barata: o rei dos ônibus começou a negociar com o MPF. Apurações do governo contra corrupção caem 80% em 4 anos.

Meirelles: ‘O que afeta PIB é a aprovação da Previdência’.

MANCHETES DOS JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Moro: rever prisão em 2ª instância é ‘terrível’. Para juiz, decisão do STF de revisar medida seria ‘tremendo retrocesso’. Magistrado critica Executivo e Legislativo pela falta de avanços em medidas contra a corrupção e afirma estar ‘absolutamente tranquilo’ pela decisão que tomou de condenar Lula. O juiz Sergio Moro afirmou que a sua principal preocupação no combate à corrupção é a possibilidade de o Supremo Tribunal Federal rever a decisão que determinou a prisão imediata dos condenados após a confirmação da sentença pela segunda instância. “Seria um tremendo retrocesso”, disse. Para o magistrado, a possibilidade de a impunidade voltar a ser a regra seria “terrível”. Moro foi eleito o Personagem do Ano de 2017 na América Latina pelos diretores e editores dos 11 jornais do Grupo de Diários América (GDA), entidade da qual O GLOBO faz parte. O juiz criticou a inércia de Executivo e Legislativo em avançar nas medidas anticorrupção, disse que “o preço da integridade é a eterna vigilância” e afirmou estar “absolutamente tranquilo” em relação à decisão de condenar o ex-presidente Lula/O Natal da Lava-Jato. Em São Paulo, Joesley e Wesley Batista passarão a noite trancados em celas individuais. Em Curitiba, haverá ceia. Os que foram soltos tentam ficar com as famílias/Embaixador do Brasil é expulso. A Assembleia Constituinte da Venezuela declarou o embaixador do Brasil, Ruy Pereira, persona non grata, o que significa a sua expulsão do país. O governo brasileiro havia criticado a perseguição do regime de Nicolás Maduro à oposição/Oi negocia crédito e venderá ativos. Com a aprovação do plano de recuperação, a Oi deve receber crédito de R$ 2 bi do banco chinês CDB. O presidente da Oi, Eurico Teles, disse que venderá ativos para investir/Desmatamento flagrado do alto. Imagens de satélite ajudam a identificar desmatamentos no Rio. Equipes em terra já confirmaram 340 casos em um ano e oito meses/Lauro Jardim. A delação de Barata. O rei dos ônibus começou a negociar com o MPF.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Benefício a juiz de 1ª instância supera o de tribunal superior. Extra com ‘penduricalhos’ chega a mais que o dobro, em média, para magistrados e desembargadores dos TJs. Juízes de primeira instância recebem mais benefícios como auxílio-moradia e auxílio-livro do que magistrados e ministros de tribunais superiores. Levantamento feito com base em informações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostra que o extra no contracheque com os “penduricalhos” chega, em média, a R$ 5 mil para juízes e desembargadores dos Tribunais de Justiça (TJs), ante R$ 2,3 mil para integrantes do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Superior Tribunal Militar (STM). O País tem 16 mil juízes e desembargadores e os dois tribunais superiores somam 141 magistrados. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior do Trabalho (TST) não entraram na conta. O presidente da Associação de Magistrados do Brasil, Jayme de Oliveira, defende a legalidade dos auxílios. “São verbas legítimas e devem permanecer”, diz. Ele argumenta que as instâncias superiores garantem outras vantagens, como carros com motorista/Análise. Luiz Guilherme A. Conci. A generosidade em causa própria/De olho na eleição, em 2018. Analistas não duvidam dos avanços econômicos conquistados em 2017, mas lembram que ainda há muitos desafios, como a Previdência, que pode ter espaço central no debate eleitoral/Henrique Meirelles: Oportunidade para crescer junto com o Brasil/Roberto Rodrigues: Paz na Terra/José Márcio Camargo: Muitos avanços. Mas está faltando um/José Luis Oreiro: Agenda Brasil 2018/Zeina Latif: Encontro marcado em 2019/Luiz Schymura: A economia brasileira em 2018/Carlos Melo: A hora e a vez da política/Murillo de Aragão: Sobre incertezas e sangue-frio/Barry Eichengreen: O ano de se viver perigosamente/Monica De Bolle: A solidão da América Latina/‘Há uma avenida aberta para os outsiders’. Cotado para compor como vice uma chapa à sucessão presidencial, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), afirma que o centro político, no qual se insere, ainda não se estruturou para as eleições, o que dá espaço para “outsiders”. Ele diz que o ambiente hoje é péssimo e “empurra a política para os extremos”. “Quem tem espaço num campo desse é bravateiro e vendedor de terreno na Lua”/Venezuelanas vêm ao Brasil para dar à luz. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima, 500 venezuelanas deram à luz na única maternidade pública do Estado de janeiro a novembro deste ano, ante 288 em 2016/Técnica altera DNA de forma simples e rápida/Vera Magalhães: Qual garantismo? Apeada Dilma, iniciou-se um movimento de acomodação no establishment/Celso Ming: Boeing & Embraer. O negócio tem de ser visto pelo lado do que é melhor para o Brasil.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: Sobrenome faz diferença em nota de matemática. Análise de desempenho dos estudantes da rede pública mostra que descendentes de japoneses levam vantagem. Crianças descendentes de avós ou bisavós japoneses estão um ano à frente dos de ancestralidade ibérica (portuguesa e espanhola ) no aprendizado de matemática. Pesquisa com metodologia inédita no país identificou a origem de sobrenomes e analisou o desempenho de todos os alunos da rede pública em provas aplicadas no terceiro e no quinto ano do ensino fundamental. Os pesquisadores isolaram outros possíveis impactos, como o índice socioeconômico dos pais e a capacidade dos professores. A conclusão é que existe um “prêmio de ancestralidade” na performance educacional, de acordo com o especialista em políticas públicas Geraldo Silva Filho. Descendentes de japoneses citaram como possíveis causas para o desempenho superior o medo de decepcionar os pais, a obrigação de ir bem, a possibilidade de melhorar de vida e o interesse natural pelos estudos. Apurar hipóteses é o próximo passo dos pesquisadores. Entre elas está a de que algumas culturas são menos imediatistas —aceitam sacrifício no presente por resultados no futuro/Apurações do governo contra corrupção caem 80% em 4 anos. Órgão anticorrupção do governo federal, a Controladoria- Geral da União reduziu o número de apurações. Dados obtidos pela Folha mostram que o número de ações anuais caiu de 11 mil em 2013 para cerca de 2.000 em 2017. A redução não tem relação direta com corte de verbas. A pasta afirma que melhorou seu filtro de órgãos e procedimentos que devem ser investigados/Debandada de aliados ameaça o futuro do clã Sarney em 2018/Caracas declara embaixador do Brasil ‘persona non grata’. O embaixador brasileiro Ruy Pereira foi declarado “persona non grata” pela Constituinte da Venezuela. A expulsão valerá até que “se restitua a ordem constitucional que o governo Temer rompeu” com a saída de Dilma, disse o órgão. Pereira está no Brasil. Haverá “reciprocidade”, informou em nota o Itamaraty/Para ficar nos EUA, brasileiros ilegais recorrem a casamento falso/ONGs criam bancos de currículos para ajudar refugiados. Para ajudar refugiados a se recolocarem no mercado de trabalho, ONGs lançam iniciativas que conectam empresas e profissionais. Uma delas criou banco de currículos on-line e ajuda as companhias a selecionarem os perfis adequados. Segundo o Ministério da Justiça, os pedidos de refúgios no país triplicaram neste ano.

MANCHETES DOS PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online:  Venezuela expulsa embaixador do Brasil em Caracas. Repúdio a escalada repressiva faz Constituinte declarar Ruy Pereira persona non grata/Venezuela decide soltar 69 presos políticos para o Natal/Expulsão de embaixador em Caracas é ‘extremada’, diz chefe das Relações Exteriores da Câmara. Itamaraty prega reciprocidade após Constituinte declarar Ruy Pereira persona non grata/Torquato: Temer considerou ‘momento político’ para indulto. Regras editadas pelo governo trouxeram mudanças que facilitam a obtenção de perdão da pena para quem praticou corrupção/Procurador do Ministério Público Federal (MPF) e coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, diz que indulto natalino é ‘feirão de natal para corruptos’. Coordenador da operação Lava-Jato usou as redes sociais para criticar decreto de Temer/Indulto de Natal do governo facilita perdão a corruptos/Transparência Internacional critica indulto concedido por presidente. Entidade diz que perdão tem beneficiado condenados desde o Mensalão/Gilmar pede inquérito sobre áudio em que é acusado de receber propina de Garotinho. Gravação atribuída a juiz de Campos circulou nas redes sociais neste sábado/’Vitória da justiça’, diz Garotinho sobre decisão de Gilmar/Meirelles: ‘O que afeta PIB é a aprovação da Previdência’. Para o ministro, mudar regime de aposentadorias terá mais impacto na economia do que rebaixamento/Sem reforma, juros e inflação sairão do controle, diz Temer. Presidente volta a defender votação da proposta em ano eleitoral. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Benefício a juiz de primeira instância supera o de tribunal superior. Extra com ‘penduricalhos’ chega a mais que o dobro, em média, para magistrados e desembargadores dos TJs/Gilmar manda investigar áudio que o acusa de receber propina. ‘A mala foi grande’, diz gravação atribuída a juiz eleitoral em conversa sobre a soltura de Garotinho/Indulto de Natal é posição política, diz ministro da Justiça. Para Torquato Jardim, Temer ‘entendeu que era o momento’ para uma visão mais liberal do Direito/Juízes prometem lutar no ‘limite de suas forças’ por auxílio-moradia. Presidentes de entidades afirmam que não medirão esforços pelo benefício de R$ 4,3 mil à toga/Venezuela expulsa embaixador do Brasil no país. Diplomata Ruy Pereira foi considerado ‘persona non grata’ pela líder da Câmara Constituinte, em Caracas/Incêndio em shopping nas Filipinas mata 37 pessoas. Fogo se alastrou por centro de compras de Davao, na mesma região castigada pela tempestade Tembin/Antes de ser preso, Maluf se hospedou em hotel luxuoso no Ceará. Ao pedir suspensão ao Supremo, defesa alegou que deputado tem ‘limitação severa de mobilidade’. 

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Descendente de japonês está um ano à frente dos ibéricos em matemática. Estudo comparou nota de todos os alunos de escola pública do país para verificar o efeito da cultura das famílias e constatou que filhos e netos de orientais têm vantagem/Exatas. Disciplina e paciência podem ajudar no aprendizado de matemática/Por quê? Como vencer a pobreza e a desigualdade no Brasil?/Apurações da CGU caem a um quinto depois de período de quatro anos. Número de ações diminuiu de 11 mil em 2013 para cerca de 2.000 neste ano, segundo dados obtidos pela Folha por meio da Lei de Acesso/Debandada de aliados ameaça futuro do clã Sarney no Maranhão. 180 de 217 prefeitos estão com o governador Flávio Dino. Pela primeira vez, desde 2002, o PT deve não apoiar candidato do ex-presidente.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.