Violência, economia e investigações são os destaques

Edição: Sérgio Botêlho  JORNAIS: Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Violência no Rio é a que mais aumenta. Homicídios tiveram alta de 24%; assaltos, de 40%. Fórum de

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e submanchetes do jornal O Globo: Violência no Rio é a que mais aumenta. Homicídios tiveram alta de 24%; assaltos, de 40%. Fórum de Segurança Pública compara 2015 com 2016; segundo ISP, escalada da criminalidade continuou em 2017. As cenas de violência no carnaval foram determinantes para a intervenção na segurança do Rio, mas a escalada de violência no estado tem ao menos três anos. De 2015 para 2016, o Rio foi o estado com a maior alta na taxa de roubos (40,4%), e com o terceiro maior aumento na taxa de homicídios (24,3%), atrás apenas de Acre e Amapá, que têm números absolutos menores. Dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública indicam que os assassinatos explodiram no Rio enquanto diminuíram em São Paulo, Minas e Santa Catarina. Em 2017, segundo o Instituto de Segurança Pública, foram 40 homicídios para cada 100 mil habitantes. O ministro Raul Jungmann passou da Defesa para o novo Ministério da Segurança Pública/PRF apreende arsenal com 15 fuzis na Dutra. Um carregamento de 15 fuzis, 33 pistolas e 25 mil projéteis foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal na Via Dutra. O arsenal estava numa picape que seguia de Foz do Iguaçu para a favela Nova Holanda, na Maré. Entre as armas, avaliadas em mais de R$ 1 milhão, está uma pistola dourada com a inscrição “RB da Clínica Nova Holanda”. O motorista Gilson Mera Cardoso foi preso/Bela Megale: As histórias e memórias do agente símbolo da Lava-Jato. O agente da Polícia Federal Newton Ishii, que se aposentou ontem, viu de perto a mudança de Marcelo Odebrecht, de caladão a generoso com os colegas da cadeia. Em entrevista ao GLOBO, fala sobre o perfil de outros presos e diz que nunca se acostumou à fama de símbolo da Lava-Jato. Viúvo, vive em Curitiba com a filha e um cachorro/PF: Wagner recebeu R$ 82 milhões. O ex-ministro e ex-governador da Bahia Jaques Wagner, opção do PT na corrida presidencial, foi alvo de operação da Polícia Federal que investiga R$ 450 milhões de superfaturamento na obra da Arena Fonte Nova. Wagner é suspeito de ter recebido R$ 82 milhões, entre doações e propinas, da OAS e da Odebrecht. Ele nega/Bernardo Mello Franco: Um cartão vermelho para Wagner. A nova operação da Polícia Federal pôs mais uma pedra no caminho do PT. O partido já dava como certo que não conseguirá lançar Lula à Presidência. Agora pode ficar também sem seu plano B: o ex-ministro Jaques Wagner/Merval Pereira: Palanques são montados ao sabor dos ventos policiais/Temer não terá sigilo quebrado. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, divergiu da PF e não solicitou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente Michel Temer. Dogde quer que o diretor-geral da PF, Fernando Segovia, não se manifeste mais sobre o caso/Lobão pediu à Camargo contratação de ‘empresa amiga’, diz delator à PF. Construtora atendeu senador após ter feito doação inferior à solicitada por ele/Mudanças. Jungmann assume Segurança, e general vai para Defesa. Nova pasta vai incorporar as polícias Federal e Rodoviária. Militar, que tinha cargo de secretário-geral, é nomeado ministro interino/Ofensiva. Exército e PM retiram barreiras do tráfico que isolam favelas. Operações foram realizadas na Vila Kennedy e no Complexo do Lins/Próximo governo terá desafio fiscal. Ao deixar para 2019 a reforma da Previdência, o governo só aumentou os problemas fiscais que o próximo presidente terá de enfrentar logo no início do mandato. Decisões de política fiscal terão impacto sobre 70% do Orçamento/Editorial1: Foco do Banco Central precisa ser a inflação. Não há maturidade para que o BC também se preocupe com o emprego, como acontece nos EUA, onde, apesar do duplo mandato, o Fed dá prioridade à defesa do dólar/Editorial2: Culto à personalidade indica retrocesso na China. Fim da alternância do poder na segunda maior economia do mundo ameaça o ‘socialismo de mercado’ e contradiz a defesa da globalização feita por Xi Jinping.

Manchete e submanchetes do jornal Estado de São Paulo: Recuperação se espalha e chega a 62% da indústria. Em 2017, 58 dos 93 setores registraram resultados positivos; movimento foi maior no quarto trimestre. Além de voltar a crescer depois de três anos em queda, a indústria viu a recuperação se disseminar em 2017: 58 dos 93 segmentos, ou 62%, fecharam o ano com resultados positivos, de acordo com levantamento do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), com base em dados do IBGE. O impulso foi maior no quarto trimestre, quando 66 setores avançaram em ritmo maior do que o de 2016 – em 16, o crescimento superou os dois dígitos. O movimento é “puxado” pelo setor automotivo, responsável por metade da alta de 2,5% registrada pela indústria no ano passado, o que se reflete em outros segmentos, como o de borracha e plástico e metalurgia, entre outros. “O sinal é positivo e disseminado. Há um conjunto de desdobramentos e de relações intersetoriais que vão além do que a gente identifica como setor automotivo”, diz o economista-chefe do Iedi, Rafael Cagnin/Temer é candidato a cabo eleitoral, diz aliado. Interlocutor de Michel Temer, frequentador do Palácio do Jaburu, o deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) diz que a candidatura do presidente à reeleição “não é para valer” e os movimentos nessa direção visam apenas transformá-lo “num cabo eleitoral poderoso” para um candidato de centro. Perondi defende apoio do MDB ao governador e presidenciável tucano Geraldo Alckmin. “Ele abandonou o governo nas duas denúncias e foi medroso na questão da Previdência, mas vamos superar as mágoas”, diz. “Porque ele é o melhor nome do centro”/Arrecadação em alta. A retomada da economia nos setores da indústria e comércio rendeu à União uma receita de R$ 155,6 bilhões em janeiro, alta real de 10,12% em relação a igual mês do ano passado. É a melhor arrecadação no período desde 2014/Plano B do PT, Jaques Wagner é indiciado por propina na Copa. O indiciamento do ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) na Operação Cartão Vermelho da Polícia Federal, por suspeita de receber R$ 82 milhões em propina e caixa 2, abriu nova crise no partido. Nome mais cotado como plano B na corrida ao Planalto, caso o ex-presidente Lula seja barrado pela Lei da Ficha Limpa, Wagner é acusado de receber dinheiro desviado das obras da Arena Fonte Nova, estádio construído em Salvador para a Copa do Mundo de 2014/Delação de Wesley é rescindida. A procuradora-geral, Raquel Dodge, alegou que o empresário Wesley Batista não informou fatos ilícitos ao MPF, como a ligação com o então procurador Marcello Miller/Novo currículo médio terá duas disciplinas. A nova Base Nacional Comum Curricular, do MEC, terá somente Língua Portuguesa e Matemática como disciplinas do ensino médio. As escolas poderão decidir como oferecer os demais conteúdos/Militar vai assumir a Defesa pela 1ª vez/Eliane Cantanhêde: Se o STF arma o fim branco da Lava Jato, as operações da PF contra crimes de colarinho-branco vão de vento em popa/Editorial1: Setor externo continua firme. Com superávit comercial de US$ 64,02 bilhões e saldo de US$ 59 bilhões previsto para este ano, o País continua com boa perspectiva para o setor externo/Editorial2: Além do desemprego. Ofato de que 12,3 milhões de brasileiros não conseguem encontrar o emprego que procuram com insistência mostra como ainda é grave o quadro do mercado de trabalho, a despeito dos sinais cada vez mais evidentes de melhora da situação econômica/Editorial3: Intervenção: uma advertência. Se a disposição é combater o crime, é preciso ir além do discurso propagandístico.

Manchete e submanchetes do jornal Folha de São Paulo: PF indica repasses ilícitos de R$ 82 mi a Jaques Wagner. Segundo o inquérito, o ex-governador petista da Bahia se beneficiou de superfaturamento no estádio da Fonte Nova. Inquérito da Polícia Federal indica que 0 ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) teria recebido R$ 82 milhões de empreiteiras pelo superfaturamento do contrato de reconstrução e gestão do estádio da Fonte Nova. Os indícios de pagamentos ilícitos surgiram de delações de ex-executivos da Odebrecht e de materiais apreendidos na sede da OAS. Luciana Matutino, responsável pelas investigações, afirma que há ainda provas materiais, entre elas mensagens de telefone celular, de que dinheiro foi entregue a emissários de Wagner. A PF cumpriu ontem mandados de busca e apreensão em sete endereços em Salvador, ligados a Wagner e a dois supostos intermediários da propina —0 atual secretário da Casa Civil da Bahia, Bruno Dauster, e 0 empresário Carlos Daltro, ambos ex-funcionários da OAS. O Tribunal Regional Federal da Bahia negou pedido de prisão temporária dos três. O ex-govemador da Bahia é visto como alternativa do PT para as eleições de outubro caso 0 ex-presidente Lula, condenado em 2ª instância, não possa concorrer. Wagner nega 0 recebimentos de recursos ilícitos e afirmou que não houve sobrepreço na obra de reconstrução da Fonte Nova/Dodge rescinde a delação de Wesley Batista, da JBS/Moradores de favelas no Rio relatam fuga de criminosos. Criminosos de duas comunidades do Rio aproveitaram o final de semana sem ação militar para fugir, segundo relatos de moradores da Vila Kennedy e do Complexo do Chapadão. As duas favelas são consideradas redutos do Comando Vermelho, a maior facção do Estado/Raul Jungmann troca Defesa por novo Ministério da Segurança/Investimento da Uber dependerá da nova regulação. Presidente-executivo da Uber, Dara Khosrowshahi afirma que 0 nível de investimentos da empresa no Brasil estará atrelado às normas fixadas pela Câmara para os aplicativos de transporte —0 tema deve voltar à pauta dos deputados hoje. “Podemos continuar sendo uma força econômica positiva no país”/Filhas solteiras de servidores federais brigam por pensão. Filhas solteiras de servidores federais, associações e até um partido político entraram com 336 ações na Justiça para impedir cortes de pensões sob suspeita, promovidos pelo Tribunal de Contas da União. Em 2016, foram cassados pagamentos a mulheres que têm renda própria, acumulam benefícios ou ocupam um cargo público/Editorial1: Os donos do dinheiro. Trocas de partido e disputa por fundos mostram que controles precisam ser aperfeiçoados. A proximidade da janela aberta pela legislação para trocas de partido começou a atiçar o senso de oportunidade dos deputados federais, bem como o apetite das siglas nas quais o poder se fragmentou no Congresso há algum tempo/Editorial2: Privatização reabilitada. Pré-candidato do PSDB à Presidência da República, o governador Geraldo Alckmin causou certa surpresa ao aventar, dias atrás, a possibilidade de privatização da Petrobras no futuro. Além de Alckmin, outro presidenciável, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), agora adere, e de modo radical, à pauta.

PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e smbmanchetes da hora de O Globo online: Estatística do caos: violência no Rio é a que mais aumenta. Levantamento mostra que homicídios tiveram alta de 24%; assaltos, de 40%. General e equipe de intervenção cruzam dados de criminalidade de três instituições. Braga Netto desconfia de balanço parcial do carnaval divulgado pelo estado/PT admite desgaste após operação contra Wagner, mas mantém ‘Plano B’. Partido vai reforçar discurso de que é alvo de perseguição política/Provas apresentadas por delatores da J&F serão mantidas após rescisão de acordo. Raquel Dodge, Rodrigo Janot e Edson Fachin já defenderam esse entendimento/Inquérito contra Marcello Miller está parado no Ministério Público/Dodge quer Segovia proibido de comentar inquérito sobre Temer. Procuradora-geral sugeriu que diretor-geral da PF seja afastado do cargo caso descumpra a determinação/Justiça nega pedido para afastar diretor-geral da PF. Juiz da 22ª Vara Cível negou pedido do senador Randolfe Rodrigues/Dodge diverge da PF e não pede quebra de sigilo de Temer. Procuradora entende que não há elementos que justifiquem ação. 

Manchete e submanchetes da hora do Estadão online: Recuperação se espalha e chega a mais de 60% dos setores da indústria. Em 2017, 58 dos 93 setores registraram resultados positivos; movimento foi maior no quarto trimestre/Em 16 setores da indústria, avanço supera dois dígitos/BC deve se preocupar com ciclos econômicos, diz Arminio/Indiciamento de Wagner abre nova crise no PT. Considerado alternativa a Lula, ex-governador foi incluído em inquérito sobre desvio em estádio da Copa/Dodge pede ao STF que proíba Segovia de comentar inquérito de Temer. Procuradora-geral requereu ‘ordem judicial’ sob pena de afastar diretor-geral da PF do cargo. Segovia negou ter interferido em inquérito/Dodge pede prorrogação de inquérito contra Temer/PGR rescinde acordo de delação de Wesley Batista. Raquel Dodge diz que empresário omitiu ‘fatos criminosos’, como a ligação com o procurador Marcelo Miller.

Manchete e submanchetes da hora da Folha online: Criminosos deixam favelas logo após fim de cerco do Exército. Fuga discreta neste final de semana foi relatada por moradores de comunidades/Planos de segurança pública são engavetados a cada novo governo federal/Dodge pede ao STF que proíba Segovia de comentar inquérito sobre Temer. Procuradora-geral quer que diretor da PF se abstenha de ‘qualquer ato de ingerência’, sob pena de afastamento do cargo/Procuradoria rescinde delação de Wesley Batista por omitir participação de ex-procurador Marcello Miller/Repilo a ideia de receber propina, afirma Jaques Wagner. Wagner levou R$ 82 mi em propina e doações, diz PF. PF diz que Jaques Wagner pedia relógios a empreiteiras/Igor Gielow Caso favorece palanque de Alckmin na BA/Dirceu duvida de candidatura Lula e critica viés eleitoreiro/Cotado para disputar governo, Doria diz que prefeitura funciona sem ele.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.